Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

Dia da Mulher: O que eu quero dizer à minha filha

08.03.18 | Vera Dias Pinheiro | comentar
Hoje, Dia da Mulher, escrevo para a minha filha, para que ela saiba que pode ser quem ela quiser. Escrevo-lhe para lhe dizer que não espere nada dos outros, sem antes acreditar nela própria, porque as mulheres são as primeiras a atraiçoarem-se e dos homens não se (...)

Até quando dura o vosso pós-parto?

18.10.17 | Vera Dias Pinheiro | comentar
Não devemos ter a pretensão de que sabemos tudo sobre a vida, sobre nós ou mesmo sobre o nosso corpo. Por isso, não devemos substimar o efeito que um pós-parto, ou mesmo de uma gravidez, tem numa mulher, independentemente de ser ou não a primeira vez. Da mesma forma (...)

Somos mulheres com um prazo de "validade"?

26.06.17 | Vera Dias Pinheiro | comentar
Há uma necessidade intrínseca à grande maioria das mulheres para comentar a vida de uma outra mulher, especialmente quando o assunto é a maternidade. Eu não fazia a mais pequena ideia do quão grave, por vezes, chega a ser. Lá no fundo, sou um pouco ingénua e o meu (...)

Duas gravidezes e dois filhos depois... a decepção!

24.05.17 | Vera Dias Pinheiro | comentar
As mudanças que ocorrem no nosso corpo não são todas reversíveis e nem tudo é um mar de rosas! Mas antes de continuarem a ler, convém também referir que cada corpo é um corpo e que precisamente por isso, as coisas não se sucedem de maneira igual para todas nós. (...)

Não Temos Que Ser Todas Magras

16.04.17 | Vera Dias Pinheiro | comentar
 Gostar de nós próprias pode parecer coisa simples, mas gostar da imagem que vemos reflectida no espelho tal e qual ela é, com os defeitos e as qualidades que temos, já é um pouco mais difícil.Quer queiramos, quer não, o papel da mulher - por tudo aquilo que envolve (...)

11 Factos (sobre mim) que me irritam | Parte 2

12.04.17 | Vera Dias Pinheiro | comentar
1. Que alguém decida abrir uma torneira quando estou a tomar banho;2. Que, junto às caixas de supermercado, estejam sempre verdadeiros iniciadores de uma crise entre pais e filhos. Há um sem fim de tentações, desde os chocolates, as gomas, sem esquecer os brinquedos e (...)