Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

Serás mãe para a vida toda...

11.03.18 | Vera Dias Pinheiro

É quando os nossos filhos estão doentes e mostram o quão frágeis eles são que percebemos (ainda mais) o quão importante é o nosso papel de mãe. Como me disse uma amiga, nestes dias em que tenho tido o Vicente e a Laura doentes e muito dependentes de mim, “mãe é mãe”. Pode vir o pai, a avó, o tio ou o irmão, aliás, podem vir todos juntos, mas a mãe é (e será) sempre a mãe. E isto deverá dar-nos que pensar. A mim, faz-me pensar em todo o valor da nossa relação, assim como de tudo o que a preenche, desde as coisas mais pequeninas até as grandes. Afinal, serás mãe para a vida toda.


E eu, na verdade, sou aquele tipo de mãe “coruja” que não larga as crias enquanto pressente que precisam de si. Por isso, o porque, lá está, “mãe é mãe”, têm sido noites em branco, noites em que só descanso quando sei que a febre cedeu. São noites de vigia, em que refresco, aqueço, conforme vão precisando. Sou paciente, atenta e presente porque sou eu a sua referência e, no momento em que seus olhos pequeninos, fixam os meus na procura de ajuda ou de uma solução, é como se eu me transformasse, é como se algo mais forte se apoderasse de mim para conseguir estar à altura. Pelo menos, para lhes dar algum conforto naquele momento.


Serás mãe a vida toda e a verdade é que eu espero que os meus filhos estejam presentes (na minha vida) ao longo da vida. Quero ensinar-lhes coisas importantes, valores e princípios, quero dar-lhes a conhecer o mundo e coisas tão simples como saltar nas poças de água. Quero que sintam a rede de segurança e o apoio que nunca lhes faltará. Desejo que voem muito e muito alto, mas que não se esqueçam onde é o seu ninho.


Ser mãe não é mais um papel que acumulamos no nosso dia a dia, é uma missão que nos preenche e que respiramos através de todos os nossos poros. Estar presente na vida deles, assumir o cuidado e a atenção é inquestionável, sobrecarregar-me e ficar sem noites para descansar e sem tempo para trabalhar é, no momento, natural, porque, como disse, é uma missão que fazemos com muito amor e altruísmo. Não damos conta do esforço ou da dificuldade e se damos, somos completamente anestesiadas pelo efeito desta relação entre mãe e filho.


Serás mãe para a vida toda e eu não quero pensar mais tarde nos minutos que podia ter passado com eles e não passei, nas vezes que precisaram de mim e em que eu não estive, nos abraços que tiveram que esperar ou nas brincadeiras que não chegamos a fazer.


Ser mãe não é apenas mais um papel na nossa vida, é uma missão - e é tão somente isto, sem “mais mas nem meio mas”.

Boa noite!