Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

Os Vs | O melhor do nosso fim-de-semana

11.10.15 | Vera Dias Pinheiro
Um menino que num dia de chuva, sai para pisar umas poças de água, com as suas galochas amarelas e com o seu chapéu de chuva de dragão.

Fim-de-semana de muita chuva combina com programas mais calmos, mais caseiros e, se possível, aproveitar as sestas dos mais pequenos para retemperar energias dos mais crescidos - pelo menos, por aqui foi assim.

No sábado, aproveitámos para juntar a nossa outra família - a dos amigos - num almoço longo, com boa comida, boa conversa e o melhor de tudo com um ambiente próximo e caloroso, já com muitas crianças à mistura - com tudo o que isso implica: brincadeiras, algumas birras (claro), choros, mas acima de tudo, com muita proximidade já entre todos eles. E é tão engraçado ver que, se até há bem pouco tempo, o Vicente era dos mais pequenos, aquele que andava atrás dos mais crescidos a tentar ser como eles e agora ele próprio já é imitado pelos mais pequenos, já tem o seu fiel escudeiro, o Manuel, que andou sempre atrás dele com aquele ar de maroto que os miúdos fazem quando sabem que estão a fazer-se de grandes e fazer as maiores traquinices - e é nestes momentos que vemos também como o tempo passa demasiado rápido.

Há pouco tempo li um artigo (que vocês também podem ler aqui) que dizia que as pessoas que se encontram com amigos e familiares pessoalmente pelo menos três vezes por semana correm menos risco de desenvolver uma depressão, por comparação aqueles que mantêm sobretudo um contacto meramente virtual. E eu não podia estar mais de acordo: quem não regressa a casa de coração cheio e feliz depois de bons momentos passados com os amigos ou com a família? Quem não se sente bem quando o ambiente distendido com que se está, não nos deixa aperceber da passagem das horas? Ou quando nos perdemos a olhar para uma mesa cheia e ver como todos conversam animadamente, com o barulho das crianças animadas como fundo?

Ter sorte com os amigos que se escolhe e ter a sorte desses amigos serem os amigos de todas as horas, é realmente uma benção, é o melhor euromilhões que nos podia sair. Ver que os nossos filhos se tornam amigos dos filhos dos nossos amigos, vê-los felizes quando se encontram, traz-nos uma certa tranquilidade, por considerarmos importante haver este tipo de referências e estes "amigos de uma vida inteira e que ficam para a vida". 

Da forma como a vida e a sociedade se organizam, a tendência é, cada vez mais, para que as pessoas se distanciem fisicamente na procura da sua realização pessoal e profissional, conhecemos muitas pessoas, estamos em muitos ambientes heterogéneos o que, por vezes exige de nós diferentes tipos de comportamentos, por isso, saber que, no final, existe este quadro de referências ajuda-nos a manter-nos fiéis a nos próprios e aos nossos princípios. Os amigos não precisam de estar todos os dias juntos; os amigos de verdade fazem esquecer o tempo que estiveram sem se ver no momento em que se encontram. 

Já hoje, o dia foi para matar saudades do melhor brunch da Lisboa, o brunch do Chef Nino. É o melhor brunch pela comida, que é confeccionada com receitas caseiras e também pelo espaço em si, acolhedor, mesmo em dias como o de hoje, frio e chuvoso, com pessoas simpáticas e sorridentes prontas a nos receber. 

Prato com uma refeição de brunch: sopa, sumo de frutas, saladas, folhados, fiambre de perú, uvas e muito mais. è um brunch do Chef Nino em Lisboa


Uma fatia de tarde de maça com canela, num prato azul.

Um copo de sumo de frutas da estação, com gelo, parte do brunch de fim-de-semana do Chef Nino em Lisboa.
Adicionar legenda

No regresso a casa, ainda tivemos tempo para parar pela Livraria Ler Devagar, uma das mais bonitas que conheço e onde gostamos sempre muito de parar e folhear uns livros.

interior de uma livraria, com estantes cheias de livros, cadeiras e mesas. trata-se da Livraria Ler Devagar, no Lx Factory em Lisboa.

Interior da livraria Ler Devagar, no Lx Factory em Lisboa: Bicicleta presa no tecto e estantes cheias de llivros, primeiro andar da livraria.


E, por aí, como aproveitaram este fim-de-semana de chuva? Estão preparados para mais uma semana?