Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

O que será que esconde o meu sorriso?

24.02.17 | Vera Dias Pinheiro

A história da minha vida são os meus dentes e o meu sorriso, e eu nunca vos falei deste assunto. Mas hoje, cerca de quatro anos após a primeira vez, voltei a usar o tradicional aparelho ortodôntico. Sim, é isso mesmo - ferrinhos nos dentes!!!!

Confesso que ainda procurei alternativas não tão radicais, contactei algumas dessas clínicas com métodos ultra modernos que mostram resultados incríveis, sem o recurso ao aparelho dentário. Porém, também rapidamente percebi que não são para a minha carteira e que por isso, mais valia resignar-me e fazer isto ao estilo tradicional.

Não gosto! Detesto! E sei que vou passar os próximos meses super envergonhada e pouco à vontade, porém, posso dizer-vos que não me custou tanto como da primeira vez. E, para além disso, há um factor muito importante a pesar: a maturidade! Uma pessoa, quando cresce, passa a olhar para as coisas das quais não gosta, mas que são necessárias, de uma outra perspectiva e o aparelho é a forma mais eficaz de corrigir o meu sorriso, algo, na minha opinião, super importante para a nossa auto-estima.

O aparelho dentário tem que ser visto pela sua finalidade, tal como qualquer outro tratamento que venha resolver um qualquer problema que tenhamos. E a verdade é que, embora eu tenha adiado toda a minha adolescência o medonho aparelho por razões meramente estéticas, acabou por ser o meu próprio sorriso a incomodar-me muito mais do que quaisquer ferrinhos nos dentes. Um sorriso espontâneo e verdadeiro é capaz de transformar uma pessoa, pois revela quem nós somos, atrai coisas boas e até acho que facilita a nossa vida no dia-a-dia. O nosso sorriso é o nosso cartão de visita. 

Por isso, após um ano em que apostei tanto em mim e nos meus auto-cuidados, não poderia deixar de fora algo tão importante como o meu sorriso ou permitir que ele me impedisse de mostrar quem realmente sou e a forma feliz, leve e espontânea que quero ter perante a vida. 


A ideia era ter aqui uma fotografia minha já de aparelho - que, para já, é só o superior - mas já me tinha esquecido de como estes primeiros dias são dolorosos, por isso, nem sequer houve ânimo para o fazer. 

Mas aguardem-me, porque irei desmistificar o uso do aparelho, para que os "preguiçosos" como eu, não adiem muito mais decisões deste género - também ajuda o facto de saber que o tempo passa o correr e que, na verdade, já não vão ser dois anos, mas sim, apenas uns meses. 

P.s: Posts sobre o Carnaval só nos próximos dias, quando os vírus permitirem as folias carnavalescas.



Beijinhos e um óptimo fim-de-semana.

Boa noite.