Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

O que andei a planear para janeiro, o primeiro mês do ano!

15.01.19 | Vera Dias Pinheiro

Mês de janeiro

 

Janeiro é longo. Ouvia no outro dia que, este ano, acontece uma coisa rara, que é termos um janeiro com cinco sextas-feiras, cinco sábado e cinco domingos. Ufa!!! Como se não bastasse a loucura, a todos os níveis do mês de dezembro, um janeiro assim, mais parece uma travessia no deserto, para a qual nos esquecemos de ir prevenidos com água suficiente para nos hidratarmos.

 

Para mim, janeiro é sempre um mês de voltar a organizar trabalho. Refazer o CV, actualizar as apresentações e redefinir a estratégia. É um mês um pouco parado na minha área, por isso, há que aproveitar, então, para “limpar a secretária” e, claro, fechar a contabilidade. Confesso que ainda estou na fase de perceber esta coisas de ser trabalhadora independente, recibos verdes e tudo mais.

 

Portanto, esta parte das “resoluções” até está a correr bem! O que não anda a correr tão bem é a inspiração para escrever. Se calhar, apetece-me arrumar a casa primeiro para começar do início com temas diferentes e que me inspirem, pelo menos a mim, para que os escreva, naturalmente. Daí, talvez, notarem uma menor frequência dos posts. Também é verdade que, no final do ano, tive imenso trabalho, o que se reflectiu no blogue e nas redes sociais. De certa forma, é como se também vos quisesse dar um “descanso”.

 

Sei que a maioria de vós compreende que isto é parte importante do meu trabalho, que preciso de usar os meus canais para o conteúdo que eu faço com algumas marcas. Mas também vos digo, que me sabe mesmo bem estes momentos mais parados e tranquilos – contudo, que para este ano, que não sejam muitos estes momentos sem trabalho… acho que percebem, não é? 😊

 

A parte da vida activa, ou seja, das idas ao ginásio e do exercício físico, continua a correr bem. Aliás, é a rotina após deixar os miúdos na escola. E o lema continua a ser o mesmo: treinar sempre que posso, assim tenho margem para os dias mais complicados e em acabo por não conseguir ir – por exemplo, hoje foi um desses dias. Entre o acordarmos mais tarde e uma reunião da parte da manhã, a minha janela de oportunidade fechou-se!

 

E aqui chego ao ponto que está a correr menos bem, “o levantar cedo e cedo erguer”. Uma das coisas importantes que o meu médico me “receitou” foi a alteração dos meus horários, passando a deitar-me mais cedo e a acordar mais tarde. Mas o que acontece é que as minhas insónias voltaram nas últimas semanas. Alguma ansiedade e preocupação, ao mesmo tempo, naturais nesta altura do ano em particular. Claro que, no dia seguinte, é algo que se reflecte no dia seguinte. Para além disso, tanto o Vicente como a Laura andam também a acordar mais tarde.

 

Enfim… não vamos fazer disto um problema, até porque esta fase é, como disse acima, mais tranquila, e fico como mais tempo para fazer as coisas.

 

Em casa, com tanto “destralhe”, acho que acabei por encontrar algum equilíbrio e finalmente conseguir ter a casa organizada diariamente. Uma harmonia fundamental para mim, que trabalho em caso.

Há rotinas boas, como a ida ao mercado ao sábado de manhã, e conseguir ter as refeições mais ou menos organizadas para a semana seguinte sem grande necessidade de idas extra ao supermercado. Frutas, legumes, carne e peixe, fora as compras de mercearia. Isto é também uma coisa muito boa! No caminho, trago ainda flores frescas para casa.

 

Daqui a um mês faço 36 anos. Recentemente, acho que comecei realmente a olhar para mim com mais consciência da minha idade e do meu tempo. Sinto, cada vez mais, a necessidade de não “correr atrás”, de fazer as coisas no tempo que tenho, sem estar constantemente no meu limite. Entendem?

 

A idade tudo traz, sem dúvida! A idade traz também o reconhecimento de muitas das coisas que os nossos pais nos diziam e também de um regresso às origens. Não sei bem, contudo, que origens serão essas, pois não me estou a ver a regressar à minha terra natal, ainda bem, quero uma vida mais tranquila para mim e para os meus filhos, para que possam entreter-se com as coisas mais banais que a vida tem.

 

Boa noite!