Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

O meu cabelo: como evitei um corte radical há um ano atrás!

12.02.19 | Vera Dias Pinheiro

cuidar do cabelo danificado

 

Algumas pessoas têm elogiado o meu cabelo – lá pelo Instagram e pelos Instastories – e eu, no que me diz respeito, aprendi imenso sobre o meu cabelo neste último ano. E porquê?

 

Porque tive um contratempo, há pouco mais de um ano, com um processo químico que não correu bem. O meu cabelo não estava preparado para tal, não fui bem aconselhada na altura e ingenuamente confiei. E digo ingenuamente pelo facto de, no que toca ao tema cabelo, eu já tenho a minha conta de erros. Nesta fase da minha vida, não quero mais correr riscos. Só desejo ter um cabelo saudável e bonito, ter um corte normalíssimo e, por fim, não ter obrigatoriedade nas idas ao cabeleireiro. Daí ter voltado a alterar o tom natural do meu cabelo com técnicas muito naturais e que não alterem a cor da raiz. Claro que os cabelos brancos vão sendo cada vez mais, mas, sabem? Eu não quero tornar-me demasiado obcecada com isso.

Cresci com a minha mãe a fazer aquelas colorações totais, o cabelo ficou-lhe branco muito cedo, eu tenho alguns, vou aceitando, limitando a disfarça-los. A única vez que pintei com cabelo esteticamente com esse intuito, fui super estranho. Não me senti nada eu!

coloração capilar

 

 

Mas voltando ao importante! Aquando aquela tragedia química, o meu cabelo ficou uma lastima e sem grande margem para fazer algo radical. Tinha feito um corte no cumprimento e como tal, tive que controlar o desespero e tentar dar a volta de outra forma. Foi então que conheci o cronograma capilar, entrei no grupo de Facebook e tentei perceber o mais possível do assunto.

 

Algumas fotografias daquele tempo e que, muito provavelmente, vocês nem se aperceberam do mau que estava_ percorram a galeria abaixo:

 

Basicamente, de acordo com o estado do vosso cabelo e o vosso objectivo, há um cronograma – com a utilização de três máscaras diferentes, numa determinada sequência e em determinados dias – que com o passar do tempo recupera o nosso cabelo! E assim foi, passei a lavar o cabelo em casa para ter tempo para cumprir religiosamente os 20 minutos que as máscaras deviam actuar, passei a lavar menos vezes, a secar menos. No fundo, passei a ser muito mais consciente na forma como devemos cuidar do nosso cabelo, inclusivamente pela forma como o levamos.

E com paciência e tempo, os resultados começaram a aparecer e, à medida que o cabelo ia crescendo, passei ao segundo passo: acertar o corte!

 

E o nosso cabelo, como em tudo resto, a nossa alimentação, a bossa pele, é uma coisa muito nossa, que precisa de cuidados específicos, mais do que usarmos o champô da nossa amiga ou o sérum de pontas que vimos na “net”. Afinal, quem não passou já pela experiencia de experimentar algo que é viral, com óptimo feedback e resultados e, connosco, simplesmente não funciona?

Não quer dizer que seja mau ou publicidade falsa. Regra geral, tem a ver com as nossas necessidades específicas. E ninguém melhor do que nós próprias para nos conhecer em profundidade e ao nosso corpo.

 

De qualquer forma, posso partilhar aquilo que funciona comigo, os cuidados gerais e específicos que tenho e também o investimento que fiz!

O primeiro passo é, sem dúvida, fazerem uma avaliação do fio do vosso cabelo e do couro cabeludo, para além da observação ao olhar, existem aparelhos que vão buscar informação essencial não visível ao olhar, mesmo ao olhar clínico de um profissional.

Eu já fiz duas, uma no cabeleireiro, o que me permitiu saber qual o tipo de cabelo e o tipo de produtos a usar. E a segunda vez, foi já recente, e com a marca JF Lazertigue – podem fazêr numa farmácia gratuitamente. Comprei o que já sabia, relativamente ao meu tipo de cabelo, mas tive informações importantes sobre o estado do meu couro cabeludo que desconhecia.

 

Vantagens Desta Avaliação Capilar:

Saber quais os produtos de cuidados gerais mais adequados, nomeadamente, tipo de champô e de condicionador. E também os cuidados específicos.

No meu caso:

Cabelo com raiz oleosa e pontas secas – cuidados gerais.

Irritação do couro cabeludo com escamação – cuidado específico.

Produtos recomendados (GALERIA):

 

Sobre a marca:

É uma marca francesa, no mercado desde 1963. São produtos de cuidados de cabelo personalizados botânicos e vegan que foram para além da minha expectativa. Fiquei a saber, por exemplo, que os champoos contêm menos água de forma a aumentar a concentração de ingredientes activos e optimizar a sua eficácia. E que basta uma pequena quantidade para obter óptimos resultados.

Este produtos encontram-se à venda em farmácias e são de facto muito bons. O meu cabelo correspondeu de imediato e, como eu já não usava produtos de supermercado no cabelo, esta marca vai passar a ser mais usual por cá. A sensação de frescura no couro cabeludo foi, sem ´duvida, o que mais me impressionou.

Falei-vos dela logo após a apresentação da mesma através do Instagram e, sim, tenho usado os produtos desde então. É notoria também a preocupação com os aromas e a sua combinação, que são muito agradáveis e que permanecem no cabelos após as lavagens.

 

Cuidados Complementares a cada lavagem:

Protecção de calor (antes de secar) e sérum de pontas.

protecção de calor para cabelos

 

Coisas importantes a reter:

  • O champo é indicado para a raiz do nosso cabelo e, por isso, deve ser utilizado da raiz até meio.
  • O champoo deve ser aplicado nas mãos, esfregamos um pouco, e só a seguir passamos para o cabelo.
  • O condicionador é específico para as pontas e, por isso, para ser usado correctamente é aplicado do meio até as pontas.
  • Existem três tipos de máscaras de tratamento: nutrição, hidratação e reparação. E não, não serve tudo para o mesmo!
  • Privilegiar a escolha de produtos sem parabenos, sulfatos e silicones. Portanto, achar que o cabelo para ficar bem lavado é preciso haver muita espuma, é um mito! Na verdade, devemos começar a habituar-nos precisamente ao contrário.
  • Fontes de calor devem ser usadas com moderação e com as temperaturas adequadas ao vosso cabelo.

 

Aqui, admito que não uso com moderação. Eu não gosto de cabelo com volume e o meu cabelo não é liso por natureza. Contudo, se eu não estava preparada para abdicar do secador e da prancha de alisar, tive que ser inteligente e investir algum dinheiro.

Comprei um secador novo, de uma marca muito conceituada e com óptimas referências de profissionais, da Parlux. Não comprei o topo de gama, não havia necessidade, e, de facto, a “qualidade” do cabelo é logo outra e mesmo nas crianças. O cabelo da Laura, sobretudo, fica muito mais macio e brilhante.

E, o segundo investimento, foi uma Steampod, sim essa coisa caríssima, que vale cada cêntimo.

E tudo o que eu já tinha ouvido sobre a Steampod, comprovei: é mais rápida, o cabelo fica mais brilhante, as pontas seladas, enfim… Não existe comparação sequer com o antes!

steampod

 

 

Informações Práticas:

Avaliação Capilar com a JF Lazertigue: consultar aqui (via Instastories) as datas e locais (alternativa, perguntarem na vossa farmácia de referência).

Grupo De Facebook do Cronograma Capilar: aderir aqui.

Site onde comprei a Steampod com o melhor preço de mercado possível: Lookfantastic

Loja onde comprei o secador: Pluricosmética

 

Com as informações certas e adequadas, a nossa postura muda. Somos pessoas mais confiantes, com maior capacidade crítica e evitamos que os erros aconteçam. Diria melhor, se os erros acontecerem, conseguimos dar-lhes a volta sem necessidade de medidas drásticas. Diz-se muito que “é só cabelo, depois cresce”, porém, na prática, não é exactamente assim.

 

Boa noite.

2 comentários

Comentar post