Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

Mulher | Para 2016, eu quero....

30.12.15 | Vera Dias Pinheiro
Do Natal até ao fim do ano é um instante - impressão minha ou não, a cada ano que passa, sinto que o tempo passa cada vez mais rápido - e para mim, esta é sempre uma altura de reflexão e de ponderação sobre o ano que passou; o que gostava de ter feito e não fiz; os objectivos que alcancei; as surpresas e os desafios... E embora a festa de passagem de ano propriamente dita não me deixe particularmente entusiasmada, para mim é fundamental entrar no Ano Novo com o "pé direito": gosto de reflectir sobre os meus desejos para o novo ano; gosto de vestir roupa interior de cor azul; gosto de ter as 12 passas na mão à meia noite - embora não goste - e de comer cada uma delas concentrada naquilo que quero para o próximo ano; e, se possível, gosto ainda de subir para a cadeira.

Não sou uma pessoa muito ligada a superstições ou crenças, mas há coisas em que acredito e que não abro mão de fazer. E este ano, as prendas de Natal que recebi foram algumas delas já determinantes para o ano que aí vem, projectos que andava a adiar, sonhos que queria realizar e que, por um motivo ou por outro, não tinham ainda acontecido... ou simplesmente porque o seu tempo ainda não tinha chegado. Mas 2016 vai trazer-me coisas novas e novos desafios, daqueles que nos enriquecem primeiro por dentro e que só depois se tornam visíveis por fora. 

Há cerca de três anos lancei-me um enorme desafio pessoal e profissional e, entre outras coisas, passei a ter que ser eu a procurar e a criar as minhas próprias oportunidades. E embora, muitas vezes, não tenha sabido o que fazer ou por onde começar, a verdade é que, fazendo agora uma retrospectiva, fui sempre progredindo um pouco mais, fui sempre conseguindo encontrar-me um pouco mais comigo mesma e, assim, a clarear na minha cabeça o que não quero - que é, na minha opinião, a parte mais fácil - e, consequentemente, aproximar-me daquilo que realmente desejo para mim.

Aprendi, nesta minha viagem pessoal, que nós podemos ser o nosso principal incentivador como o nosso principal obstáculo e que um erro que facilmente cometemos é o de esperar os sinais do exterior para tomar uma atitude. Não existe outra forma de nos realizarmos pessoal e profissionalmente se não acreditarmos em nós e se não tomarmos a iniciativa de nos lançar, a nós próprios, desafios e nos colocar à prova. Avançar sem esperar que o que nos rodeia nos leve a isso, mas investir em nós e agir, ter uma atitude. Os frutos daquilo que fazemos colhem-se mais tarde: se nos nutrirmos do bem e se trabalharmos para um objectivo claro, os resultados aparecem; o que vale igualmente para o lado inverso.

Também aprendi que não vale a pena ter medo ou achar que uma atitude nossa pode ser em vão. A maioria das vezes, são as nossas próprias atitudes e acções que vão gerar as oportunidades do outro lado. E, acima de tudo, devemos colocar sempre o melhor de nós em tudo o que fazemos, mesmo nas coisas mais pequenas ou naquelas em cujo beneficio concreto não está visível logo à partida. 

E, por fim, o Universo conspira mesmo a nosso favor, ele ouve tudo o que nós dizemos para nós mesmos, tudo aquilo que pensamos e os julgamentos que fazemos. Vamos aproveitar isso e preocuparmo-nos com aquilo que queremos para nós e deixar que o outro se preocupe com sua própria vida. Não chegaremos a lado algum se a nossa preocupação estiver com o que o outro estiver a fazer. Hoje em dia já pouco se consegue inventar, mas a diferença fazemos está na forma como conseguimos colocar um pouco de nós e da nossa essência naquilo que fazemos no nosso dia-a-dia. 

De todos os presentes que recebi, foram três aqueles que de certa foram definem como será o meu novo ano e, de certa forma, o meu recomeçar.

O primeiro foi esta peça que eu própria ofereci a mim mesma, a nós, ao nosso quarto. Faltava "aquele" pormenor para que as noites fossem mais descansadas e menos preocupadas com o dia de amanhã. Passei muito tempo sem saber o que fazer com aquela parede branca por detrás na nossa cama, mas sentia que não podia ser qualquer coisa. A cor que iria sobressair no meio do - sempre - branco, por sua vez, seria o verde, não me perguntem porquê, mas no quarto a cor que me fazia sentir bem e que me transmitia tranquilidade era - e é - o verde. Mas depois conheci a Rita Sevilha e o seu projecto Weaving e foi amor à primeira vista. Imediatamente soube que seria uma das suas peças a preencher o vazio daquela parede e assim foi... Desde então, as noites são muito mais aconchegadas e tranquilas (são mesmo!)

home + decoração + organização + quarto + weaving + Rita Sevilha + Natal + Resoluções de ano novo + Mr. Wonderful


A Rita é uma artesã e uma pessoa maravilhosa, daquelas que ainda que nos conseguem surpreender pela positiva. O Weaving é um projecto que vem do coração e o que a move é a paixão, que herdou e aprendeu com a sua avó, pela tecelagem. A Rita só ponderou começar a vender as suas peças quando o espaço em casa se tornou pequeno e ainda bem que assim foi. Visitem a sua página de Facebook e o seu Instagram e fiquem a conhecer esta forma de arte, que brilha pela sua simplicidade e delicadeza. 

Logo de seguida vem a Agenda para 2016 - esta é do Mr. Wonderful, que não podia ser mais motivadora com a pergunta na capa: "Que planos fantásticos tem para hoje?".

home + decoração + organização + agenda + 2016 + hobbies + Natal + Resoluções de ano novo + Mr. Wonderful

Depois da primeira gravidez e agora que estou novamente grávida, a  minha memória prega-me cada vez mais partidas e, confesso que agendas eletrónicas não são o meu forte. Para mim o que funciona bem é o papel e a escrita. Por isso, escrever, planear o dia seguinte e, sobretudo, não aceitar ou agendar compromissos sem olhar primeiro para a agenda, são items essenciais para que eu consiga ser mais produtiva. Assim, este presente não podia ter vindo em melhor altura quando há já tanta coisa para escrever ali.  

E, por fim, a máquina fotográfica que era um sonho antigo, o de ter uma máquina profissional. Porém, tratando-se de um investimento considerável, foi sendo sucessivamente adiado. Mas este ano o senhor meu marido, o meu Pai Natal de todas as horas e sempre atento, pôs-me esta Canon no sapatinho e deixou-me nas nuvens!!! No fundo, acaba por ser um presente para toda a família, afinal, um dos objectivos para o novo ano é o de voltar aos álbuns de antigamente e deixar de ter tudo enfiado num computador. Agora, o próximo passo é aperfeiçoar a técnica! 

home + decoração + fotografia + máquina fotográfica + Canon + hobbies + Natal + Resoluções de ano novo


Como em tudo o que acontece deste lado, 2016 vai chegar em força, logo com o aniversário do Vicente e depois há muita coisa que quero fazer e deixar pronta antes da bebé nascer, algures entre o final de Março e o início de Abril, para que nessa altura, as atenções sejam todas dedicadas a ela e ao Vicente.


E, por aí, já se pensa nas resoluções para o novo ano?


Bom Dia!!!