Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

Life&Style | Já aprendi a simplificar, só falta aprender a não acumular!

03.03.16 | Vera Dias Pinheiro
Depois de alguma experiência - adquirida nas (muitas) mudanças de casa que já tive - percebi que a tendência é sempre para acumular, muitas vezes, sem sabermos muito bem o quê e como. Mas acumulamos, juntamos tralha, coisas desnecessárias, mas que achamos sempre que um dia vamos precisar (às vezes, até é mesmo assim, mas não há espaço e temos que aprender a "desprendermo-nos das coisas"). Por isso, nesta última mudança, assumi uma postura um pouco diferente: less is more!

Optei por não encher a casa em demasia logo com muitos móveis; optei por procurar soluções que privilegiassem, acima de tudo, o espaço para a arrumação, pois o meu intuito é o de ter a menor quantidade de coisas possíveis à vista. Ora quando temos uma missão destas pela frente, invariavelmente que a primeira passagem é feita na grande superfície com maior oferta e diversidade. Qual? O nosso querido IKEA, obviamente! 

E digo-vos que com a quantidade de vezes que mudamos de casa, com as alterações que inevitavelmente vão tendo que ser feitas à decoração e aos móveis, o investimento tem vindo a ser cada vez menor em móveis demasiado caros. O senhor meu marido tinha-se dedicado de corpo e alma à decoração da sua casa de solteiro, fez o investimento que entendeu e hoje... a única coisa que nos continua a acompanhar é a mesa de centro e consigo perceber nele sempre uma grande tristeza cada vez que temos que nos desfazer de alguma coisa e ele suspira: "mas tu sabes quanto é que isso custou?". Assim, e para evitar este "dói de alma" decidimos que, a gastar dinheiro, o faremos num faqueiro, num serviço de jantar ou de chá, num quadro... por exemplo. 

No quarto do Vicente, sabendo que queríamos muito ter um segundo filho em breve e aconselhada até por algumas amigas na altura, escolhemos a gama Stuva do IKEA que permitia mobiliar o quarto quase como sendo um puzzle. Na altura, compramos apenas o roupeiro e um baú, para além da cama de crescido, e tem sido suficiente até agora. E bastou-nos ir ao site, escolher a cómoda que queríamos e acrescentar, o que para já, dá conta do recado. Desta forma, tenho a certeza que posso fazer as coisas aos poucos e à medida das nossas necessidades.



Agora, por favor, senhores do Ikea, não se lembrem de descontinuar esta gama que tanto jeito dá a todos nós - e parece-me que não vai demorar muito até precisarmos de acrescentar mais uma peça a este puzzle!

Como é que fazem a vossa gestão de espaço quando a família começa a aumentar ou, mesmo quando, simplesmente, as coisas se começam a acumular?