Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

Hoje o AMOR está de parabéns! Sabiam?!

02.01.16 | Vera Dias Pinheiro
Enquanto as festas e comemorações do final do ano são dadas como terminadas, outras, igualmente especiais para nós, iniciam-se por aqui. O Vicente faz três - oh meus Deus, TRÊS anos... - amanhã, mas entre a passagem de ano e o nascimento do Vicente, houve ainda tempo para algo mais acontecesse nas nossas vidas. Sim, por aqui os acontecimentos sucedem-se sempre uns atrás dos outros, muitas vezes, sem tempo para os assimilar e saborear, mas é assim. Não vale a pena questionar ou combater este facto, porque na minha vida, as coisas acontecem em avalanche e o melhor é eu estar preparada para as conseguir agarrar, pois caso contrário... já era!

Bom, mas ia eu dizendo, entre a passagem de ano e o nascimento do Vicente houve ainda tempo para um grande acontecimento: um casamento. O meu casamento! Foi uma espécie de lusco fusco, pois nesse mesmo dia fui à minha consulta de rotina com a minha obstetra e já não saí de lá e o resto já vocês sabem ou imaginam.

Eu podia escrever muita coisa sobre este dia, mas quando reli este post (O que é que acontece quando não controlamos a nossa própria vida?) novamente, não senti que tivesse que mudar alguma coisa, foi e continua a ser, exactamente aquilo que eu sinto em relação ao nosso casamento e à forma como decidimos que seria.

Porém, já disse algumas vezes ao senhor meu marido que um dia temos que casar novamente (um com o outro, é claro!) e fazer a nossa festa, assim lá para Agosto, longe de todas as outras comemorações e que o tempo seja só nosso - comigo mais leve, de preferência - e com a presença de alguns amigos e da nossa família mais próxima. 

Porque na realidade, se a nossa expectativa quando imaginamos o dia em que nos casamos é, mais ou menos, assim:

Imagem do Pinterest
Por vezes, a vida passa-nos umas partidas e a realidade revela-se completamente diferente... Afinal, nós nem sempre controlamos o percurso da nossa própria vida, não concordam?

 



Nota: Sim... esta sou eu: muito grávida e muito loira! Foi uma fase, já passou! Na altura, achava o máximo, agora... nem vou comentar :)

Quanto ao casamento, o meu casamento, ele tem sido um verdadeiro teste. Na realidade, aquilo que continuo a sentir é que não houve tempo para vivermos apenas os dois, sem os cerca de 2 000 quilómetros que nos separavam na altura. E aprender a fazê-lo, ao mesmo tempo que aprendemos a ser mãe e pai... não é uma tarefa fácil. 
Foram muitas e grandes mudanças ao longo destes três anos, porém, o espírito de aventura que sempre esteve por detrás de todas essas alterações são a nossa chama ao longo deste tempo... talvez seja por isso, que ainda não estejamos habituados à rotina que de repente se instalou nas nossas vidas. 
Tu e eu somos muito diferentes, muito mesmo, mas independentemente disso, o nosso maior trunfo é o de não desistir nas dificuldades, mesmo quando elas são profundas e o de ter a certeza que estamos seguramente melhor juntos do que separados. Por isso, continuamos a escrever a nossa história a dois... a três e em breve a quatro, sempre com os olhos posto no nosso objectivo, na nossa felicidade. Leve o tempo que levar, custe o que custar, nós vamos conseguir, juntos! 

Tu dizes-me obrigada por te aturar - sim, tens razão, não é fácil - e eu digo-te obrigada por me teres dado a oportunidade de ser mais feliz, comigo mesma, contigo e com a nossa família, todos os dias.

Eu não acredito em contos de fada, como aqueles que vêm nos livros, por isso, não me assustam nem me desmoralizam as discussões ou os arrufos. Para mim, fazem parte do nosso crescimento a dois, do nosso ajuste e se conseguirmos aprender com eles, então, seremos certamente muito mais felizes e muito mais unidos à medida que os anos vão passando. 

Hoje é o AMOR que está de parabéns, assim como, a nossa capacidade de nos adaptarmos sem ter que seguir protocolos, regras ou aquilo que é expectável fazer-se... Eu sei que gostas que eu te desafie e que incentive a ir mais longe, a ir onde tu podes chegar e onde tu serás também mais feliz todos os dias! 

Tu e eu somos diferentes, no entanto, és tu quem consegue fazer de mim uma pessoa melhor e eu sei que só eu consigo ajudar-te a moldar e a descobrir o outro Bruno (por vezes) escondido. E, depois, deste trabalho feito... tu e eu formamos um só por nos completarmos na perfeição - e pensando bem: se fossemos iguais, como seria possível nós completarmo-nos assim?!

Parabéns a nós! 

1 comentário

Comentar post