Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

Embaixadora To Be Kid | Chegou a hora de vos contar tudo!!!

17.09.15 | Vera Dias Pinheiro
E chegou o momento de vos revelar tudo aquilo que tinha ficado em suspense ontem....

Sempre encarei o facto de ser mãe a tempo inteiro como um dos maiores desafios da minha vida - imediatamente a seguir ao facto de ser mãe, é claro. Talvez porque nos é fortemente passada a ideia de que uma criança que esteja em casa terá um desenvolvimento diferente quando comparada com outra que vá para a cresce cedo. Porém, e como em muitas coisas na minha vida, eu sou mais pela opinião de esperar que chegue a minha vez e só nessa altura tirar as minhas próprias conclusões.

Ora, se ser mãe a tempo inteiro, na minha perspectiva, iria dar-nos a oportunidade de viver esta coisa da maternidade sem pressas, iria permitir-nos deixar as coisas fluirem ao seu ritmo, podendo o Vicente dar os "baby-steps" do seu crescimento de forma livre. Por outro lado, eu sentia uma pressão enorme para estar à altura daquela missão, não queria, de alguma forma, que o Vicente deixasse de ter todos os estímulos que precisava naqueles primeiros anos de vida. Queria que ele tivesse rotinas e estivesse exposto a situações que o estimulassem a cada fase do seu crescimento.

Sorte - ou não - partimos bem cedo para uma cidade, Bruxelas, onde a realidade das "stay at home moms" está muito presente e é muito comum - muitas famílias estão ali como expatriadas, um dos pais ter-se-á deslocado até ali em trabalho, tendo levado consigo a sua família. Por isso, grupos de mães, os chamados play groups, são muito comuns e são muito utilizados por todas nós. Ali se fazem novas amizades, as mães falam com outras mães, enquanto as crianças socializam e brincam com outras crianças, tudo de forma muito natural e... sem preconceitos. 

Quando regressamos a Lisboa, eu tinha toda uma nova realidade para me adaptar e adaptar o Vicente, tinha novas rotinas para criar, mas a minha preocupação era sempre: E agora o Vicente? O que faço com ele agora durante toda a semana?
Não esquecer que eu saí de Lisboa, na verdade, sem saber como é viver aqui com filhos, o Vicente tinha apenas 3 meses quando fomos para Bruxelas e foi naquela sociedade que eu nasci como mãe, que criei os meus padrões, a minha forma de estar, que criei toda uma rotina para o nosso dia-a-dia, etc...
Quando regressei, inevitavelmente senti-me perdida, sem saber muito bem o que fazer e foi neste processo de adaptação e de encontro da nossa família nesta cidade, a nossa casa, mas ao mesmo tempo tão desconhecida, que encontrei a To Be Kid. Encontrei um local acolhedor, onde, por umas horas, o Vicente podia ficar a brincar com outras crianças, com a grande vantagem de poder ficar lá sem ser preciso eu estar presente. Naquelas duas horas eu podia fazer o que queria ou simplesmente podia escolher não fazer nada. Foi um período muito feliz para o Vicente e muito bom para mim, que até tive direito a um upgrade na minha vida de mãe a tempo inteiro. 

Quando chegou a altura de passar à nova etapa, a creche propriamente dita, foi com uma certa tristeza que dissemos adeus à To Be Kid, mas como eu já aqui escrevi algumas vezes, umas das vantagens desta nossa vida é o facto de termos tempo para fazermos o nosso desapego de forma natural, sem choros e sem medos, das etapas que vêm a seguir.

Deste modo, quando surgiu o convite para fazer parte deste projecto de Embaixadoras da To Be Kid, em conjunto com outras mãe - cada uma com o seu perfil - eu não pude deixar de me sentir lisonjeada e agradecida e não foi preciso pensar duas vezes para decidir aceitar. Associar a nossa imagem a uma marca/entidade é uma grande responsabilidade e eu nunca o iria fazer se não acreditasse no projecto e nas pessoas que estão por trás dele, nos valores e na missão. Sendo que, penso que também é importante incentivar um pouco mais as pessoas a utilizarem este tipo de serviços, pois uma criança quando está em casa, com a mãe ou com os avós, pode e deve ter este tipo de estímulos, aliás é muito importante que tenha. Se o meu papel, enquanto embaixadora, puder ter um contributo também nesse sentido, ficaria muito contente.


Mas a To Be Kid é mais do que isto, enquanto espaço multifacetado que é: ali também se fazem festas de aniversário personalizadas e cheias de pinta e são organizados ateliers de férias para os períodos de pausa escolar.

Para mim, o sentido de responsabilidade aumenta ao fazer parte, em conjunto com as restantes três embaixadoras, de um espaço que se pretende que seja de partilha, de valores e de afecto. Queremos estar mais perto dos pais, dos avós e das crianças, para em conjunto debatermos assuntos importantes, partilhar curiosidades e até de ajudar, se for o caso. 

Para nos encontrarem, basta irem ao site da To Be Kid e seleccionar onde diz "Embaixadoras". Estamos à vossa espera! 








1 comentário

Comentar post