Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

Ele não acorda! E o co-sleeping com a Laura

12.06.16 | Vera Dias Pinheiro

Estou completamente rendida ao co-sleeping com este segundo filho, é a única forma de eu conseguir descansar mais durante a noite e a forma que a Laura também gosta mais de dormir: quando mais aninhada na sua mãe, melhor! Com o primeiro filho, resisti muito - tinha os receios normais de uma mãe de primeira viagem, de que acontecesse alguma coisa - e bem que me custou: com a cesariana, estar sozinha com o Vicente, ter que acordar, tirá-lo do berço, dar de mamar, voltar a pô-lo no berço e, muitas vezes, ter que insistir para que adormecesse novamente.
Mas este co-sleeping obrigou a algumas alterações nas pessoas que dormem na minha cama e do senhor meu marido, pois o Vicente, a ver o pequeno domínio da irmã na nossa cama, insiste pede-nos, algumas muitas vezes, para dormir comigo e com a irmã e eu... eu sou incapaz de lhe dizer que não. Inicialmente ficava uma bocadinho stressada, porque a Laurinha tem noites de chorar este mundo e o outro, e preocupava-me que ele não adormecesse ou que acordasse com o choro da irmã. Mas não, assim que ele adormece, pronto, acabou! Já nada o acorda até ao outro dia de manhã.
Estas mini-férias não estão a ser excepção, ainda para mais com a mudança de ambiente e de cama, ele ainda nos pede mais para dormir connosco. De forma que, temos dormido os três - o Vicente, a Laurinha e eu - sendo que o Vicente fica barricado entre almofadas, pois mexe-se tanto que fico com receio que magoe a irmã, e o pai... no quarto do lado.
A grande vantagem disto tudo é que assim que acorda - cedo, muito cedo - levanta-se e vai directo chamar o pai para tomar o pequeno-almoço e deixa-nos a nós na cama. :) A outra grande vantagem é que, sem ter sido intencional, já estamos a prepará-lo para quando ficaram os dois a dormir no mesmo quarto, coisa que ainda não sei bem quando acontecerá, mas talvez lá para Setembro!
Algumas questões em relação ao co-sleeping:
1. Não, não tenho medo de esmagar o bebé, não me perguntem porquê, talvez porque também não durmo mesmo ferrada e estou sempre em vigília;
- A Laura dorme na ponta da cama, com o berço Next2me da Chicco na continuação da cama e, assim, deixo de estar preocupada "ai e se ela cai!";
- Estou tão cansada que não ouço nada, nenhum barulho que ela possa fazer, mas instintivamente acordo um pouco antes dela começar a chorar com fome e há noites que o meu marido se vira para mim e diz: "Esta noite foi muito boa, não foi? Ela não acordou!" e eu respondo: "sim, sim... foi super tranquila";
- É um descanso para quem dá de mamar, aconchego-a à maminha e ficamos as duas confortáveis, eu vou descansado e ela comendo;
- Não tenho receio que mais tarde me custe deixar de dormir com ela, porque para mim isto é mesmo um meio para a minha sobrevivência nocturna;
- Tenho a sorte de que nem sempre a Laura precisa de arrotar, mas quando é preciso, coloco-a no meu peito e ficamos assim;
- A parte menos boa é que no nosso quarto não há luzes acesas nem conversas a partir das oito da noite, mas isso é igualmente válido se ela dormisse no berço, pois estaria no nosso quarto à mesma. E, para além disso, temos o pai que passa algumas noites no sofá, pois quando chega à cama percebe que já não há espaço para ele ou, então, que o Vicente já se escapou para lá.
Outros post relacionados com o assunto do co-sleeping:

2 comentários

Comentar post