Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

Como projecto na semana a energia que quero para os meus dias?

08.10.18 | Vera Dias Pinheiro

como organizar a semana

 

Passo grande parte do meu tempo aqui, a incentivar-vos de que devem começar a semana da forma como desejam que ela corra. Ou seja, que imprimam ao primeiro dia da semana, a segunda-feira, a energia que querem que seja predominante no balanço da semana.

 

No meu caso, tento não falhar uma segunda-feira no ginásio. Porque é algo que é importante para mim e que faz a diferença nos meus dias. Aliás, há muito de deixou de ser sinónimo de algo meramente físico. Por isso, é essa a rotina que eu preciso ao longo da semana. Preciso de sentir os efeitos de treinar no corpo e no estado de espírito - quem treina sabe do que estou a falar. Esse hábito ajuda-me a ter equilíbrio, ajuda-me a driblar o stress, a contornar as tristezas e a ser saudável de forma geral.

 

E, nesta fase de regresso às aulas, tem sido o corte essencial entre o stress da adaptação à escola. Esqueço imediatamente da forma como comecei o meu dia e preparada para tudo. Por isso, tem sido fundamental fazê-lo logo a seguir a deixá-los na escola.

 

 

Contudo, a necessidade de me sentir bem comigo mesma, de ter serenidade e plenitude na forma como encaro os meus dias e as diversas situações, faz com que, algumas vezes – ainda assim poucas, mas “cirúrgicas” – eu altere essa rotina, embora com o meu objectivo final.

 

Por exemplo, hoje senti necessidade de começar o meu dia em silêncio – e, por começar o dia, entenda-se, após despachar os filhos e deixa-los na escola. Hoje não fui a correr para o ginásio, mesmo sabendo que me iria sentir bem a seguir, e voltei para casa. Tomei o pequeno-almoço, como mereço, num silêncio que valorizo tanto com calma para ter tudo, à minha volta, organizado.

 

Não sei se vos acontece, mas quando eu não estou com os meus filhos, passei a ser uma pessoa que privilegia os momentos de silêncio, que tira partido do não falar, especialmente quando já sei que vem aí alguma conversa que pode gerar discussão. Aprecio muito mais a serenidade, o não ter que negociar, o não ter que perder a paciência, o não ter que levantar a voz e o não ter que repetir a mesma coisa uma milena de vezes. Já me bastam quando estou “ao serviço”.

 

Às vezes não sei se serei eu que virei maluquinha, mas “ouvir” o silêncio é um luxo nos dias de hoje. É apaziguador, sem darmos conta estamos a reflectir e a ponderar quais as conversas que valem a pena, se há motivo suficiente para nos aborrecermos e, no limite, acredito que estamos a ganhar qualidade de vida e anos de vida… 😊

 

Hoje voltei para casa, não fiz exercício físico, mas comecei a semana precisamente da forma como eu desejo que os restantes dias corram: em tranquilidade! Sobretudo, porque o pai vai de viagem e vamos ser apenas os três sem ajudas. E quando lá chegar, já amanhã, quero (e preciso) da energia para não faltar ao ginásio, porque isso vai ajudar-me a chegar ao fim do dia feliz comigo e, consequentemente, com os meus filhos.

 

Quero encher-me de amor e de serenidade para os adormecer, sem coisas negativas a assombrar-me a cabeça com aquele momento do dia. Preciso que eles estejam serenos para não acusarem a ausência do pai. Não há pior, para mim, do que saberem que o pai não está e chamarem por ele, chorarem por ele, só porque eu não estou a fazer o que eles querem. É desesperante aquele… “eu quero o pai” … “mas o pai…”

 

Temos sopa, temos comida feita e quando acabar, desenrascamo-nos. Se comeram o jantar, perfeito para eles e se não comeram, meus ricos filhos, vão ter que esperar pela hora do pequeno almoço do dia seguinte. Não vale a pena pedirem leite antes de dormir.

 

Agora têm dias em que se lembram de não jantar – estão cheios - e achar que a seguir é bar aberto à disposição e que o pequeno-almoço pode ser servido de madrugada…

 

Vou colocar o despertador mais alto, para não andar a correr de manhã e vou ser rigorosa em deixar tudo pronto de véspera. Se possível, com a roupa já negociada para evitar os dramas matinais.

 

Cheira-me a outono... e isso deixa-me igualmente feliz. E se tudo o que estive para aqui a dizer falhar, fica tudo bem na mesma, só custa um bocadinho mais.

 

Boa semana!