Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

As Coisas Que Eu Gostava De Ter Feito

08.02.17 | Vera Dias Pinheiro
- Gostava de ter feito um Inter-rail - mas depois fiz Erasmus e deu para colmatar esse desejo;
- Gostava de já ter tido a oportunidade de conhecer Nova Iorque e Miami - quem nunca?!
- Gostava de ter sido mais firme e em vez de ter tirado uma Pós-Graduação em Gestão de Bancos e Seguradoras, devia ter apostado no Marketing;
- Devia ter dormido mais, porque realmente ter filhos madrugadoras é uma sentença para passar a acordar todos os dias da nossa vida demasiado cedo, independentemente das horas a que nos deitamos e do dia da semana a que estamos;
- Gostava de não ter deixado de escrever no meu diário, seria uma forma bonita de ter a minha vida "num livro" e, mais tarde, recordar - mas, depois, surgiu este blogue;
- Gostava de ter tirado mais fotografias e, sobretudo, que uma parte da minha vida não tivesse desaparecido quando coloquei o meu computador para a arranjar e decidiram formatar o disco sem a minha autorização;
- Gostava de ter tido mais experiências profissionais;
- Gostava de tido uma lua-de-mel - que é como quem diz, ter feito uma mega viagem a dois quando ainda não tinha filhos;
- Gostava de ter aproveitado mais a minha casa de "solteira" - e isto fica só entre nós.

praia + aniversário + louis vitton + último dia do ano
Fotografia tirada em 31.12.2016
São os 34 anos a aproximarem-se a toda a velocidade, mas a verdade é que eu ainda não me sinto com essa idade, embora quando olhe ao espelho mais fixamente consiga encontrar "outros" traços que ainda me são estranhos. Às vezes, ainda tenho que parar para poder "cair em mim" e dar-me conta que já cresci bastante e que as coisas agora já não são de brincadeira; casei, tenho dois filhos e tantos "problemas" de pessoas adultas - digo assim porque, crescemos e damo-nos conta que as coisas se transforma rapidamente num problema, em que tudo evolve esforço, burocracias, eu sei lá mais o quê...

Mas reflectido no espelho, ainda é possível ver a miúda que estava prestes a entrar para a Universidade e a concretizar um sonho; aquela miúda que entre todas as incertezas, tinha uma grande certeza. O único curso que eu me via a fazer era o de Comunicação Social, pois, no meu entender, seria uma forma de ser "obrigada" a estar sempre em constante procura de informação, em actualização e em comunicação com o outro. No entanto, na prática, não foi o curso mais aliciante e mais desafiante que tinha imaginado e na altura de procurar emprego, acabei por ir privilegiando alguma segurança, deixando de parte o meu sonho.

No entanto, ao longo dos anos, o sonho continuou sempre bem vivo dentro da minha cabeça. Nunca deixei de fazer os meus moodboards mentais; foi mantendo a chama viva, embora sem pensar em arriscar, pois a estabilidade profissional e financeira tinha-se tornado a minha melhor amiga - uma falsa amiga, pois nunca me trouxe a felicidade e o enriquecimento interior que eu preciso no meu dia-a-dia.

Mas a vida é boa e a vida recompensa! Eu comecei este post com alguns itens que me vieram à cabeça quando pensei nas "coisa que gostava de ter feito". Contudo, se fizer um curta retrospectiva pelo que foi a minha vida nos últimos tempos, não vou deixar de terminar com as coisas que eu só imaginei serem possíveis em sonho, nomeadamente:

- Voltar a viver no estrangeiro;
- Não ter medo de me despedir;
- Reencontrar-me com a minha paixão pela comunicação e poder fazer disso a minha principal ocupação;
- Encontrar estabilidade (a vários níveis) para poder ser uma mãe com flexibilidade de horários e ser bastante presente no dia-a-dia dos meus filhos;
- Ir à televisão e, sobretudo, ser convidada para falar de mim e das minhas (nossas) escolhas;
- E o mais fantástico de tudo: ter vocês desse lado, que partilham, se identificam, comentam, mandam mensagens, se entregam, tal como eu me entrego.

Só mais recentemente é que a mudança do meu ano se tornou um momento de maior reflexão; também deixei de fazer as grandes festas ou jantaradas, e passou a ser um dia, um momento, muito intimista, nem sempre passado da forma como eu desejaria, mas, como já disse também, acredito que seja sempre uma altura de crescimento e de evolução.... talvez o mês de Fevereiro personalize as minhas dores de crescimento. E o melhor é.... aceitar e confiar!



Boa tarde ❤