Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

(Aos pais) A primeira vez na creche!

02.09.16 | Vera Dias Pinheiro

Engravidamos, vamos criando laços com aquele bebé que ainda não conhecemos, passamos pelo parto, temos o nosso filho nos braços e, a partir daí, é aquele enamoramento que se sabe, dia após dia, sempre em crescendo e cada vez mais envolvidos.

A entrada na creche - muitas vezes, ainda no berçário - vem cortar radicalmente com isso, os pais começam a sentir-se ansiosos com o desconhecido, com o facto de terem um estranho a cuidar do seu bebé - e pior que isso, será que essa pessoa vai lhe dar aquele conforto que precisa para dormir? Será que no meio dos outros, não será apenas mais um? Muitas vezes, o drama prende-se com estas questões e não tanto com o regresso ao trabalho - muitas vezes, esse regresso significa uma lufada de ar fresco e um recuperar do espaço (da mãe) que entretanto, foi completamente absorvido pelo do bebé.

Quem nos acompanha desde o início, sabe que o Vicente ficou em casa comigo até aos dois anos e dois meses e na altura em que decidimos que ele tinha mesmo que ir para a creche, foi porque eu tinha chegado ao meu limite, sentia que a partir daquele momento já não iria desempenhar o meu papel de mãe a tempo inteiro, mega dedicada a ele, da mesma forma. Precisava de ter o meu espaço e voltar a aprender a ser também a Vera e não apenas a mãe - acreditem que desaprendemos a ser nós próprias, quando nos dedicamos a 200% a uma criança.

No primeiro dia de creche, eu estava completamente decidida e segura, não tinha receio nem estava ansiosa, só não estava preparada para vê-lo a chorar baba e ranho durante a primeira semana. Ninguém fica em paz ao ver o seu filho desesperado a achar que está a ser abandonado e  a tendência será não o deixar assim; ficar o mais tempo possível; acompanhá-lo à sala; esperar; olhar pela janela.... Mas não! decidi que tínhamos que fazer as coisas o mais natural possível: despedir, dizer que o amo e que o vou buscar a seguir ao lanche. E, no fim, com um sorriso na cara, digo-lhe para brincar muito com os seus amigos. Ainda que do outro lado, esteja o Vicente lavado em lágrimas! Também não ligo para a creche, sei que se for preciso entram em contacto comigo e assim, deixo de me sentir tão ansiosa, as horas vão passando, o telefone não toca e quando dou por mim, já são horas de o ir buscar. 

Na segunda creche, já era possível explicar-lhe melhor tudo o que estava a acontecer, no primeiro dia aguentou e não chorou e, quando o fui buscar, disse-me que estava feliz. Na próxima segunda-feira, começa mais um ano lectivo, uma nova escola, uma nova educadora, mas os mesmos amigos e hoje já me disse que tinha saudades deles. Acho que vai correr bem, eu sei que vai estar bem e que vão cuidar bem dele... afinal, a ida para a creche é uma coisa natural e para as crianças será como os pais assim o determinarem.

Conselhos para os pais que deixam os filhos pela primeira vez na creche: (in DN, Pais tranquilos e despedidas curtas facilitam entrada na creche, 01/09/2016)

1. A ansiedade dos pais é o maior entrave;
2. Pais tranquilos e despedidas rápidas tornam o processo menos doloroso;
3. São sobretudo os pais que têm que se adaptar à entrada na creche;
4. A ida para a creche é um processo natural! 

Ficam estas dicas para quem, tal como nós, tem filhos a começar o ano lectivo na próxima segunda-feira. Dicas para reflectirem e se mentalizarem durante o fim-de-semana. :)

P.s: Se for preciso, repitam estes 4 pontos para vocês mesmo as vezes que forem precisas quando quando chegar o momento, estarem o mais confiantes possível.  

Boa noite! 


6 comentários

Comentar post