Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

Ainda não conseguimos acertar as horas!

26.09.16 | Vera Dias Pinheiro
Fofo: Anjinho Gordo

Às vezes, acho que quem lê um blogue procura nele algum tipo de "solução" para determinadas coisas, mas se, por vezes, temos muitas dicas para partilhar e coisas novas para contar, frequentemente, temos os desabafos normais de quem também anda à procura de uma "solução". É o que me acontece nestas rotinas com dois filhos, eu que me considerava a "mãe-excel" - expressão que ouvi numa amiga e que me fez todo o sentido. Eu era o tipo de mãe que tinha tudo sob controlo, com as rotinas todas bem alinhadas, por exemplo as horas das sestas eram fixas, a de deitar acontecia sempre à mesma hora e com o mesmo ritual, havia controlo sob os estímulos, se deixasse o Vicente com alguém - que não conhecesse como  chegou a acontecer ainda algumas vezes em Bruxelas - bastava passar-lhe o "tal ficheiro de excel" e tudo acontecia by the book, sem sobressaltos ou imprevistos.

A Laura está praticamente a fazer seis meses e contrariamente ao irmão, ainda andamos a tentar acertar rotinas e a perceber como podemos conjugar os dois de uma forma fácil e benéfica para cada um. Ora o que tem acontecido, tem sido a Laura a andar um bocadinho atrás das rotinas do irmão e, talvez por isso, temos ainda algumas guerras na hora de dormir. A única sesta garantida é a da manhã - estamos as duas em casa, sossegadas e ela chega a dormir cerca de duas horas e meia. A partir daí já é tudo um bocadinho ao sabor de cada dia. 

À tarde, começa a ter sono novamente, mais precisamente quando chega a hora de ir buscar o irmão, o que me coloca sempre num dilema: se a adormeço, já só consigo ir buscar o Vicente quase ao final da tarde; mas, se não o faço, ela já não dorme, pois começa a euforia entre os dois e entramos na fase das birras e do choro. E, depois, o que tem acontecido é que só dorme novamente à noite, quando a colocamos na cama - por volta das 20h - e, nessa altura, era capaz de ficar mais de um hora a chorar, ou seja, a fazer a sua síntese do dia, a sua descompressão.

Mas hoje experimentei fazer as coisas de uma outra forma. Fomos buscar o irmão à sua hora normal - 16h30 - viemos para casa, os dois estiveram a entretidos na cozinha comigo, enquanto fiz a sopa e deixei o jantar no forno. De seguida, dei banho aos dois e a Laura já começava a ficar irritada e cansada. Deixei o Vicente na sala a brincar, com a porta aberta e fui para o quarto deles com a Laura. Dei de mamar e coloquei-a a dormir - eram 19h - e nem dois minutos levou a deixar-se ficar. Jantamos os três, brincamos e conversamos e na hora do Vicente ir para a cama, a Laura despertou levemente, aproveitei para a mudar para a minha cama, dei de mamar e voltou a dormir, tranquila.

Ainda não encontrei a regra, mas sei que falta uma sesta à Laura à tarde e preciso encontrar a melhor forma de o fazer para evitar aqueles picos de cansaço e de estímulos. Será que é assim? Não sei. Hoje correu bem, amanhã vamos ver. Gostava que sim, deixava-me mais serena a mim (e a ela), se tivesse uma "excel" também para ela. Eu acredito mesmo que as rotinas deixam os bebés e as crianças mais calma e fá-las sentirem-se mais seguras.

E, pelo meio destas incertezas, pergunto-me como será com as famílias com três e mais filhos... como serão a rotinas? Será que a partir do segundo filho tudo ficar mais fácil? 

Outra coisa que ainda não aconteceu por aqui, foi colocar a Laura a dormir na cama dela... mas isso será assunto para um outro post!

Boa noite.


4 comentários

Comentar post