Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

Fins-de-semana assim também são bons. Que venha a segunda-feira!

18.11.18 | Vera Dias Pinheiro

organizar a semana

 

Os fins-de-semana têm uma parte que corresponde à necessidade de tempo para organizar a semana seguinte. Descansa-me saber que, pelo menos, na segunda-feira, tenho o dia organizado e que posso dedicar-me logo às minhas coisas. Isto porque tem sido, cada vez mais difícil, encontrar tempo para mim durante os fins-de-semana. A forma como os filhos me absorvem e as necessidades constantes da casa e programas que tentamos fazer, não dá para que eles se esqueçam de mim por uns instantes e o tempo que sobra – o pouco tempo - tenho aproveitado para conseguir descansar. Diria mesmo: desligar!

Quanto mais trabalho no online, maior é necessidade que eu sinto de ter momentos de offline.

Contudo, se eu não fosse uma pessoa "caseira" até podia dizer que fins-de-semana assim são um frete. Mas não é verdade, tirando a parte do cansaço que sinto no domingo à noite, a verdade é que compensa quando, à segunda-feira, regresso a casa já com os filhos na escola e com o primeiro dia de exercício feito. Ter à minha espera alguma organização, ter as máquinas de roupa feitas e a roupa passada, comida pré-preparada para os primeiros dias, frutas e os essenciais dá-me uma sensação de alívio. É a minha recompensa, diria.

Quando regresso, tomo o meu banho, o meu pequeno-almoço e tenho o dia pela frente para me focar no meu trabalho, organizar a minha semana e isso diz como sobre como ela irá correr. 

Neste momento, estou sem ajudas em casa. Depois de algumas tentativas em que dava por mim a ter que refazer o trabalho que pagava parta ficar feito. Nesta fase estou a ver como consigo dar conta do recado. Procuro ser mais desenrascada e, acima de tudo, manter a ordem. Porém, a roupa é o que gosto mesmo, mas já percebi que o melhor é não procrastinar e ser certinha a cada máquina de roupa. Enfim… No que toca às refeições, o forno é o meu melhor amigo e a Bimby trata da sopa.

No meio de tudo isto, tento – e acho que como em tudo na minha vida – tento que as coisas de que gosto menos não me definam. Ou seja, este papel de dona de casa não me defina, mas precisa de ser feito, certo? Por isso, tento balançar com alguns mimos que tenho em relação a mim. Ao fim-de-semana não descuro de fazer as minhas máscaras, rosto e cabelo, daquelas que precisam de mais tempo. Faço esfoliação, hidratação. Tudo aquilo a que tenho direito e mesmo que seja para substituir um “pijama por outro”, mesmo que não saia de casa e que a seguir esteja a passar ao ferro -daí a fotografia que escolhi para capa deste post. O foco tem que estar na parte boa, no positivo e nas coisas boas que daí vamos colher. Acho que é esta perspectiva que me tem ajudado desde o início da minha vida e foi assim que fui trilhando os meus caminhos.

Por outro lado, sei que o próximo fim-de-semana vai ser o oposto. Vamos ter programas em ambos os dias, tal como foi o anterior. Portanto, a vida faz-se de equilíbrios, mais do que tentar encontrar a situação perfeita ou ideal.

Para além disso, não sei se vocês sabem, contudo, Mercúrio está novamente retrógrado, de ontem até ao dia 6 de dezembro. Estes períodos são conhecidos por ser um pouco complicados, coisas que não avançam, falhas, avarias, faltas de comunicação, atrasos… Não é um período em que se sintam que estamos propriamente a progredir ou andar para a frente. Assim sendo, o melhor mesmo é termos paciência e não iniciar nada em grande ou de novo. Não que estas coisas dos planetas sejam determinantes na nossa vida, porém eu acredito que, de alguma forma, influenciam.

 

P.s. Afinal, não avançamos com as decorações de natal. O Vicente pediu-me para fazer a árvora, mas depois "cai" em mim e percebi que ainda vamos a meio de novembro. Eu sou do tempo em que só se fazia a árvore no dia 8 de dezembro, mas talvez façamos antes de irmos de férias.

 

Boa noite.