Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

Guia de compras na secção dos frescos | Mafabulous Cook

12.02.18 | Vera Dias Pinheiro

E é aqui que temos que fazer uma grande pausa, respirar fundo e pensar muito bem. Os frescos são uma tentação. Estão frescos (claro que sim), são bonitos, estão bem expostos e ficamos com a sensação que podemos levar um boa porção de cada um, pois são saudáveis e vão fazer as nossas delícias toda a semana e toda a vida.


Por isso insisto: calma. Tirando a fruta, que voa na minha casa, todos os outros frescos rendem. Uma couve, por exemplo, dá para várias refeições e até pode ser preciso congelá-la.


Passo a explicar e novamente vamos por categorias para ficar mais fácil.


Fruta: Dar preferência à fruta de época pelas razões óbvias: está na sua melhor maturação e também mais barata. No entanto, se vos apetecer comer cerejas em fevereiro, e as tiverem à disposição, comprem-nas que vai saber-vos bem. Existem frutas com maior durabilidade como as maçãs, peras, laranjas e bananas que, no tempo mais fresco, conservam-se bem à temperatura ambiente. Os morangos, os frutos vermelhos e a papaia, entre outros, são mais sensíveis e devem ser consumidos nos dias seguintes à sua compra.


Façam contas na hora das compras: quantas peças costumam comer por dia? Pretendem fazer sumos ou batidos durante a semana? Se a fruta começar a ficar estragada cortem-na e congelem.


Vegetais: Devemos consumi-los em todas as refeições e de diversas formas. Na sopa, cozidos, ao vapor, salteados, não importa… desde que estejam no prato! Contudo, para as sopas não precisam de grandes quantidades. Por exemplo, um ramo de bróculos, três curgetes, uma cenoura, uma cebola e uma batata-doce (opção) fazem uma sopa que dá para duas refeições (almoço e jantar) para quatro pessoas. Claro que se só comerem sopa não dará para tantas refeições. Mais uma vez, façam as vossas contas. Eu costumo ter acelgas (um molho), feijão-verde (meio quilo), quatro nabos, seis cenouras, seis pimpinelas (chuchu). Na semana seguinte alterno com pimentos, couve-flor, beterraba, abóbora amarela,…


Folhas: Estas com certeza encontram-se dentro da categoria das mais sensíveis. Não vale a pensa comprar muita alface de uma só vez e quem diz alface diz rúcula, canónigos, agrião, espinafres. Até porque podemos alternar com os vegetais e aí é pensar nos acompanhamentos que vamos ter. As saladas podem ser variadas usando mistura de folhas, tomate, cebola, cenoura. Pensem no que gostam.


Cebola e alho: Tenho sempre porque uso muito. Ter em atenção quando se compra. Devem estar firmes ao toque. Outro indicador são aquelas moscas da fruta, pequeninas e chatas. Se andarem lá perto, não comprem.


Leite, iogurtes, natas, queijos: Aconselho também a fazer as contas dos consumos familiares para evitar que passem do prazo.


Carne, peixe e mariscos: Comprar pouco, mas com qualidade. Deixo ao vosso critério as proteínas animais que mais gostam, mas tenham atenção aos seguintes aspetos que, para mim, primam pela qualidade: carne de pasto livre e peixe de mar, tal como os mariscos; produtos regionais e nacionais são melhores, pois deram menos passeios dentro de arcas frigoríficas.


E agora já estão prontos para começar a programar a vossa ementa semanal. No próximo artigo vamos tratar de pôr a comida na mesa.


Releiam: Como organizar a sua semana: De 30 a 120 minutos e Organização da despensa para terem uma semana mais tranquila.


lista de compras frescos

Encontram a Mafalda aqui: Facebook – Instagram – Blogue


Boa noite!


Como acabar com a Humidade em casa | Mo(m)nday Hacks

12.02.18 | Vera Dias Pinheiro

 

Não há volta a dar, a humidade em casa é algo muito difícil de controlar, mesmo quando compramos a nossa casa de sonho ou mesmo quando tentamos eliminar todas as potenciais causas. A humidade acaba por ser o problema com o qual temos que lidar, mais cedo ou mais tarde, nem que não seja como resultado do próprio estado do tempo. E esta altura do ano - com frio e chuva - é bastante propícia a esta "fenómeno".

 

Eu lidei pela primeira vez com problema desta natureza na nossa casa em Bruxelas, como imaginam ou sabem, é uma cidade em que chove a maioria dos dias, o que no nosso caso em particular, se tornava mais propício a problemas de humidade e bolor, pois o piso dos quartos era abaixo do nível do chão. Foi de tal forma complicado que caso permanecêssemos mais tempo por lá, teríamos obrigatoriamente que mudar de casa. Na nossa casa actual, é o nosso quarto, uma vez que é provido de uma casa de banho, que, nesta altura do ano, sinto haver mais humidade. Algo, aliás, que já ficou comprovadíssimo como terão oportunidade de ver um pouco mais à frente.

 

Para além dos danos materiais, pois as paredes e tectos ficam danificados devido a toda a humidade e bolores instalados, existem os danos para a saúde e esses sim preocupam-me, em particular no que se refere à saúde das crianças. Um ar viciado e com excesso de humidade pode provocar problemas respiratórios ou agravar os já existentes. Refiro-me, nomeadamente, à rinite crónica, asma, sinusite ou infecções pulmonares como a bronquite.

 

Neste sentido, e depois do interesse manifestado pela maioria numa sondagem (no Instastories) que fiz com o desumidificador que estou a usar neste momento, resolvi aproveitar a rúbrica do Mo(m)nday Hacks para vos falar do Rubson Aero 360º, um desumidificador com um sistema de absorção da humidade completamente novo. Que devo dizer, é o primeiro desumidificador que eu tenho em casa. Portanto, toda a vossa sabedoria e experiência sobre o tema é igualmente bem-vinda

 


resolver a humidade com o desumidificador rubson aero 360º

 

Algumas características do Rubson Aero 360º:

 

  • O vem com recargas aromatizadas nas fragâncias lavanda (tranquilidade), fruta (revigora o humor) e baunilha (conforto).

 

  • Todas as recargas correspondem a pastilhas com 450 gramas e estima-se uma duração até três meses.

 

  • É pratico e fácil de usar, muito devido ao facto de ser leve e fácil de transportar para qualquer divisão da casa.

 

  • É eficiente e ecológico, pois não precisa de energia elétrica.

 

  • E a grande novidade é o sistema 360º: tecnologia que permite optimizar a circulação do ar através de um túnel de ar 360º.

 

  • Graças a este sistema, o ar circula dentro de um túnel de desumidificador e da pastilha de forma melhorada e aumentada, através de movimentos 360º que facilitam a absorção e neutralizam os maus odores.

 

  • A primeira gota obtém-se em menos de 12 horas.

 

Quando a marca me enviou o Rubson Aero 360º para que pudesse testar, admito que não estava com qualquer tipo de expectativa. Li as instruções, faz-me alguma confusão o facto de não ter um botão para “se ligar”, mas segui todos os passos e deixo-o ficar na sala. A divisão de casa, na qual, haverá menos humidade. E a verdade é que quando me lembrei de ir ver se alguma coisa tinha acontecido, o reservatório da água já tinha lá qualquer coisa. E foi nesse momento que eu rapidamente o levei para o meu quarto. É que afinal, isto funciona mesmo!

 

É é lá que que continua, entre o nosso quatro e a casa-de-banho, e está a cumprir muito bem a sua função. Noto uma evolução da quantidade da água muito mais evidente (e rápida) e, por isso, deixo-vos como dica para esta semana.

 

Este modelo já se encontra facilmente à venda em qualquer grande superfície. Eu, como fiquei curiosidade, estive no site do Jumbo Online, onde faço compras, e encontrei tanto o desumidificador como as recargas. Poderão aceder à informação do preço através deste link, se for do vosso interesse.

 

Se tiverem ainda tempo, podem ver qual foi o último Mo(m)nday Hack que partilhei aqui no blog e que foi também sobre um aliado associado às lides de casa! :)

 

Boa segunda-feira!