Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

A festa do Piu-Piu | Aniversário da Laura

04.04.17 | Vera Dias Pinheiro
As mães também fazem o seu caminho e precisam aprender com a sua própria experiência e em relação às festas de aniversário, eu acho que já estou a ficar "curada", porque eu sofria bastante! Como pessoa que sou que tende a ter sempre imprevistos em cima da hora e querer fazer sempre tudo - como eu sou - a probabilidade do estado de nervos ser grande é enorme e é isso que tem acontecido sucessivamente! 

Quando soube que a festa da Laura iria coincidir com um fim-de-semana particularmente preenchido, repeti para mim mesma: "Tu não vais stressar! Tu vais simplificar!" e assim foi. Tirando o facto de ter sido em casa e que isso implica a limpeza e a arrumação no final, foi a festa para a qual tive menos trabalho. Convidei um grupo pequeno de amigos com filhos de idades próximas e que estão habituados a brincar em conjunto; tratei de encomendar logo os salgados e o bolo de aniversário e a decoração foi o resultado de uma junção entre duas pessoas que se complementaram na perfeição, mesmo sem se conhecerem e que deixaram a nossa mesa da sala a brilhar!



Tinha a intenção de fazer as restantes iguarias, mas era impossível sem estar novamente em stress, por isso, imaginem só: compramos tudo feito! Naquela mesa, de caseiro só mesmo as gelatinas, as espetadas de fruta e as sandes que foram feitas por nós, tudo o resto foi só colocar no prato.








Para entreter os miúdos sem ficar com a casa destruída, não podia deixar de aproveitar o dia maravilhoso de sol e o facto de termos um parque ao lado de casa, porque aquilo que as crianças mais querem (e precisam) é de ter momentos para simplesmente fazerem aquilo que lhes apetece e  para andarem à vontade. Não precisam que alguém lhes diga como têm que brincar ou aquilo que têm que fazer. 



Assim, o ponto de encontro foi logo no jardim e depois de toda a energia gasta, fomos até casa para lanchar e cantar os parabéns.

O BOLO


Mas todas as mães precisam de fazer o seu caminho e aprender com a sua própria experiência e eu tive que aprender a usufruir mais do aniversário dos meus filhos - e a trabalhar menos. É preciso encontrar um equilíbrio muito importante e que reside essencialmente em focar-nos que a festa é para as crianças se divertirem! Óbvio que continuo a gostar de ter um bolo bonito, uma mesa com a decoração a rigor, mas é preciso aprender a simplificar e a delegar. E, acima de tudo, sempre sem nos esquecermos qual a nossa disponibilidade financeira para tudo isto. 

Quanto à Laurinha, quase como todos os bebés, acho eu, neste dia, dormiu particularmente mal a sua sesta e passou a tarde meio irritada, meio eufórica. O Vicente, por sua vez, não ficou convencido em haver uma festa apenas para a Laura e logo com um bolo e tudo e, por isso, apagou a vela muito rapidamente antes que a irmã se lembrasse de o fazer. Já eu, dou por encerrada a época das festividades até Dezembro. Acabou, c'est fini, the end! Reservo-me ao direito de tirar uns valente meses sem ter que pensar em nada destas coisas!

Resta-me agradeço, do fundo do coração, às pessoas maravilhosas que me salvam a vida nos momentos em que eu mais preciso e que contribuem para que, no final, o resultado supere aquilo que eu própria tinha idealizado. 


Decoração:
Flores e decoração da mesa | Papoila Vermelha 
Elementos gráficos (grinalda, toppers e marcadores) | Detalhes by Cat

À mesa: 
Bolo de Aniversário | Bolo de Cor
Mini-Salgados | A cozinha da Rita


Boa tarde!


Foi Sempre A Abrir | Do nosso fim-de-semana #28

03.04.17 | Vera Dias Pinheiro
Foi um fim-de-semana daqueles: exigente e bem intenso, quer pelas coisas que tinha na agenda, quer pela importância de cada uma delas - e um bocadinho, porque talvez eu seja daqueles pessoas leva cada projecto demasiado a sério e, por isso, coloca um pouco de pressão em tudo o que faz.  

O fim-de-semana começava com uma acção na 6ª Edição do Style no Centro Comercial Alegro de Alfragide. Num dia totalmente dedicado à moda e ao estilo, foi-me proposto falar sobre moda infantil, desafio aceitei com muita alegria e que, para o qual, tive a companhia da Maria Ana Ferro, autora do blogue A mãe já vai e da Patrícia Saramago, psicóloga e autora do blog Com Bicharocos Carpinteiros. Apesar do nervoso, pois era a primeira vez a fazer algo do género, eu adorei a experiência. Falou-se de tudo um pouco, mas, sobretudo, numa sociedade cada vez mais virada para a imagem (e, consequentemente, para o consumo) e do instantâneo, houve uma grande preocupação em debater o papel dos pais e o uso do bom senso na hora de vestirmos os nossos filhos; na cedência às modas; na forma de gerir as birras e nas dicas para uma gestão equilibrada do seu guarda-roupa.

style

Aproveito para deixar aqui o meu agradecimento ao Alegro pelo convite, às minhas convidadas por terem aceite de imediato este desafio e as todas as pessoas que passaram por lá, algumas apenas para me dar um beijinho e apoio. 

Ah! E no meio de tudo aquilo, ainda hoje tempo para ser a capa da revista Vogue

capa de revista

Mas as emoções fortes deste fim-de-semana estavam longe de ter um fim. Terminada a tertúlia, foi mudar o chip para o modo mãe e de brithday planner da festa da Laura, que teve lugar no dia seguinte. Irei fazer um post apenas sobre a festa, mas devo dizer que aprender a delegar, a reconhecer quando não conseguimos tratar de tudo e a aceitar as ajudas que se oferecem, foi a minha grande conquista - sofria demasiado com as festas de aniversário. 

Porém, no domingo tinha ainda a Corrida Sempre Mulher - aceitei o convite da Corine de Farme, patrocinador oficial, antes de saber que coincidia com a festa da Laura e, no fim de aceite, tinha que ir. Foram 5 km em corrida pela primeira vez em muito tempo e superei quaisquer expectativas que pudesse ter. Foi bom e ficou a vontade de repetir, para já a mesma distância com o objectivo de melhorar o tempo. 

corrida sempre mulher
Levei uma amiga, só para o caso de, na hora, me dar a vontade de desistir.


Terminada a prova e festejado o sucesso, foi correr para casa - desta vez força de expressão apenas - para terminar os preparativos da festa, pois daí a umas horas estariam a chegar os convidados. 

decoração de festa
Alguns detalhes da decoração
zippy
Saborear o facto de ter uma filha a fazer anos na Primavera

Conclusão: terminei o fim-de-semana completamente de rastos, mas, ao mesmo tempo, com a sensação de dever cumprido, o que nos dá sempre algum prazer. No entanto, foi mais uma prova de que, depois de ser mãe, torna-se muito difícil levar uma tarefa até ao fim sem interrupções. É difícil não perder a concentração com tantos e tão variados motivos pelos quais somos interrompidos. Sinto-me sempre no limite a resolver tudo, muitas vezes, em cima do joelho e não da forma que queria; giro as urgências. E se juntarmos a tudo isto, o facto de trabalharmos em casa, os desafios elevam-se, assim como, a exigência. Juro que ontem ao fim do dia, a minha única vontade era a de me jogar no sofá e não pensar em mais nada... 

Ora, esta semana vai ser mais uma semana louca e assim os dias vão passando, mas quem corre por gosto, definitivamente que chega ao fim do dia com uma satisfação que não tem preço! 


E com isto, estou de volta!
Um beijinho e uma óptima semana para vocês.

Pág. 8/8