Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

E as actividades extracurriculares?

19.10.16 | Vera Dias Pinheiro

O Vicente passou para a pré-escola! Mudou fisicamente de espaço e das pessoas de referência, manteve os amigos de antes e conheceu novos. Está feliz, vê-se que está feliz. Nota-se uma evolução enorme no seu crescimento: tem mais vocabulário; está mais independente; sabe mais coisas; tem outras conversas... está um verdadeiro pequeno rapazinho.

No geral estou satisfeita com a escola onde ele está, no entanto, falta-lhe aquilo que infelizmente falta a muitas outras: um espaço ao ar livre para usarem e abusarem! Porém, existe um pavilhão desportivo que lhe pertence e que é para onde vão sempre que é possível. Lembro-me da alegria do Vicente quando me contou a primeira vez que tinha ido ao recreio e da tristeza com que me diz que não foi. Só agora noto que ele chega ao final do dia cansado, o que lhe dá ou para a carência ou para as birras. Mas, a verdade, é que, estando cansado, pede-nos para ir dormir e adormece muito mais rapidamente que antes. O que para mim é Ó-P-T-I-M-O!!!

Mas, agora, estou/estamos a passar também por aquela fase em que temos que decidir quais e quantas actividades extra-curriculares queremos para o Vicente. Pois, se, por um lado, estas podem ser um excelente complemento à sua formação, educação, desenvolvimento e relação com o outro, por outro, não queremos vê-lo sobrecarregado, nem tão pouco a fazer as coisas por imposição ou obrigação.

Sem esquecer a natação, que chegamos à fase de adoração, depois de eu já ter temido o pior! Eu e o meu marido, depois de vermos quais a possibilidade que a escola oferece, decidimos fazer um mês à experiência com as actividades que achamos que melhor se adaptam ao Vicente, aos seus gostos e sua personalidade e, de alguma forma, tentar perceber se ele realmente está a gostar. E, assim, optamos pelo judo, pela música e pelo inglês - o Judo e o Inglês achamos importantes e a música é "a cena dele". E, de repente, todos os dias da semana ele fica mais uma hora na escola, sendo que, para já ainda dorme a sesta, mas, em breve, já sei que vão começar a fazer a transição para deixar de o fazer. 

E o que é certo é que dei por mim a debater-me se estas três actividades serão de mais ou não, afinal, ele tem apenas três (quase quatro) anos e sei que para ele também é importante chegar a casa e ter tempo para os seus brinquedos antes das rotinas do banho, jantar e dormir. Sei perfeitamente que aquele bocadinho junto das suas coisas é fundamental ao seu equilíbrio. Para ser sincera, achei que seria uma coisa mais soft, ou, simplesmente não antevi o impacto na "carga horária" por assim dizer. E, por isso, talvez façamos um balanço no final do mês.

E por aí, como é que fazem a gestão das actividades extra-curriculares dos vossos filhos? Têm? Não têm? Quantas?

Boa noite!