Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

Um amor que se multiplica

07.07.16 | Vera Dias Pinheiro
amar dois filhos + maternidade + pós-parto + ser mãe de dois + irmãos + menino e menina + desabafo de mãe
Fotografia Lovetography

Com tudo aquilo que se ouve, esperavaviver esta segunda maternidade de uma forma muito menos tranquila e sem temposuficiente para desfrutar de cada pedacinho dela e de nós. Mas ser mãe da Lauraé como ser mãe pela primeira vez, tanto dela como do Vicente. Ser mãe da Laurafez-me perceber como tanta coisa nos foi roubada, a mim e ao Vicente, e como aforma que nos trataram, aos dois, no parto e nos momentos a seguir, levaram aque tivéssemos andado completamente perdidos, durante demasiado tempo.
Passados os primeiros meses, a minhacomunicação com a Laura vai sendo cada vez mais natural e automática, os nossosolhares encontram-se muitas vezes e conversam entre si - eu consigo ler-lhe opensamento e quase que aposto que ela também consegue ler os meus. Asinseguranças da primeira gravidez vão-se dissipando e eu vou tomando,finalmente, consciência de que a Laura não é o Vicente e que as coisas podemcorrer bem, muito bem, sem motivos para continuar a alimentar as  minhasdúvidas ou incertezas. E acreditem ou não, depois da consulta dos três meses,em que eu entrei cheia de receio da balança e que saí com a melhor notícia quepodia ter recebido, que me sinto com mais leite - essa é a minha sensação, mastalvez até esteja tudo igual e seja apenas a minha confiança que tenhamudado... o nosso subconsciente é tramado
Dar de mamar é cada vez mais natural emais... normal, seja em casa ou fora, é assim que eu alimento a minha filha. Noentanto, é quando estamos em casa as duas, pele com pele, sem fraldas à nossavolta e de peripécias para que tudo seja o mais discreto possível, que tudoganha sentido e, hoje, percebo que é uma sensação que nunca tive com o Vicente.
Ser mãe da Laura veio ajudar-me a suavizartudo o que estava para trás e fez-me olhar para o Vicente de uma outra forma eaté com mais amor. Não penso, agora que tive uma experiência totalmentediferente, que seja menos mãe do Vicente, podia acontecer, mas não! Sinto atéque ele ganhou uma mãe diferente, mais completa e realizada – e de pazes feitascom a maternidade! Nunca tive receio de não ter amor suficiente para doisfilhos, porém o que eu não sabia é o quão arrebatador pode ser amar doisfilhos. 


Tirar parecenças

07.07.16 | Vera Dias Pinheiro
bebé + tirar parecenças + lovetography + maternidade + mês a mês + pós-parto
Fotografia Lovetography
O bebé é parecido com o pai ou com a mãe?

Esta é a pergunta que mais se ouve logo após o nascimento de um bebé, uma pergunta que as pessoas insistem em fazer como se fosse absolutamente imprescindível "classificar" um determinado bebé com o seu pai ou com a sua mãe ou, às vezes, até com uma avó ou com uma tia! Eu percebo a pergunta, mas, confesso, que não entendo a necessidade. Não entendo, sobretudo, quando é para dizer à mãe, que passou cerca de nove meses grávida, que o filho que ela acabou de ter, é a cara chapada do pai - mesmo que o achem. Um bebé que, muitas vezes, mal abre os olhos, está todo encarnadinho e todo encaracolado. 
A necessidade de tirar as parecenças é quase cultural e parece ser também urgente, no entanto, eu quando olho para os meus filhos, não vejo a cara da mãe ou do pai, vejo o Vicente e vejo a Laura, cada um com a sua personalidade. Já lhes tirei fotografias em que, mais tarde, os achei mais parecidos comigo numa ou outra expressão, mas apenas isso-  numa ou outra expressão - porque quando eu olho para eles, eu vejo a personalidade de cada um. 

No entanto, ao que parece, eu tenho um filho que é a cara do pai e uma filha que é a cara do irmão... resta-me esperar que, pelo menos os genes, sejam os da mãe! :)

E, por aí, há filhos só da mãe e filhos só do pai? :)


Dica da Semana #2: Bruma Intíma

07.07.16 | Vera Dias Pinheiro
A Uriage é uma daquelas marcas que, quando ouvimos o nome, pensamos imediatamente em bebés, no banho e nos cheiro (ainda mais) maravilhoso com que eles ficam a seguir ao banho. No entanto, a verdade é que a gama para bebés é apenas uma pequena parte de tudo aquilo que a Uriage tem para nos oferecer e eu própria tenho vindo a descobrir toda uma oferta bastante completa para nós. E se, por um lado, já tinha experimentado alguns dos seus produtos para cuidados de rosto e de hidratação, por outro, tinha-me passado completamente ao lado os seus produtos para higiene íntima. 

uriage + higiene íntima + cuidados íntimos + gyn-phy + produtos para a higiene íntima + cuidados pós-parto + cuidados após o parto natural

E este produto que vocês vêm na fotografia não é apenas "mais um" que se vem juntar aos dois já existentes - o GYN-PHY Fisiológico ph 5.5 e o GYN-8 ph8 - é uma autêntica revolução no que respeita aos cuidados com a nossa higiene íntima. Chama-se GYN-PHY e é uma bruma de limpeza, que não precisa de enxaguamento. É um novo conceito, eco-friendly e muito prático para usar em qualquer situação. O seu formato permite que ande connosco para qualquer lado, assim numa espécie de higiene portátil, super fresca, acabando de imediato com qualquer situação de desconforto.

Eu posso dizer-vos que estou fã e que uso praticamente todos os dias, pois, após o parto da Laura, fiquei muito mais atenta aos cuidados específicos que devemos ter com esta parte do nosso corpo e, desde então, que tenho tido uma atitude muito mais consciente e responsável.

Fica a dica desta semana! :)


Recomendo | 15ª Campanha de Recolha de Sangue

07.07.16 | Vera Dias Pinheiro
Desde o dia 4 de Julho que está a decorrer a 15ª Campanha Anual de Recolha de Sangue do IPST e da Mundicenter. E é até ao dia 15 deste mês, entre as 13h e as 20h, que se podem dirigir a qualquer um destes shoppings (Amoreiras Shopping Center, no Arena Shopping, no Strada Outlet, no Oeiras Parque, no Spacio Shopping e no Braga Parque). Já agora, sabiam que com uma dádiva podem salvar até três vidas? Eu não sabia!

Nesta 15ª edição, marcada pela música, a fadista Carminho e o Tiago Bettencourt dão a voz e o rosto, como embaixadores desta campanha, que, ao logo destes 14 anos, já registou 27.080 pessoas como dadoras de sangue; foram obtidas mais de 18.000 unidades de sangue e ajudadas mais de 55.500 pessoas. E o objectivo para 2016 continua a ser o mesmo, o de conseguir fazer mais e melhor.

campanha de recolha de sangue + 15ª recolha de sangue da mundicenter + instituto português do sangue e transplantação + dador de sangue + sangue + carminho + tiago bettencourt + 15 anos de recolha de sangue


Se já são dadores de sangue, não percam esta oportunidade; se ainda não o são, esta é uma boa altura para, pelo menos, se informarem e perceberem se estarão ou não aptos a dar sangue. 

Bom dia!