Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

Os (re)cantos da Laura cá em casa

05.04.16 | Vera Dias Pinheiro

[Este foi aquele post que ficou guardado nos rascunhos, porque a Laura deu o seu sinal e já não houve tempo para fazer mais nada]

Os irmãos vão dormir no mesmo quatro, já estava decidido. Também não vamos fazer grandes mudanças na decoração até porque não é preciso - para além de novas cortinas, assim que tivermos a cama de grades, vamos fazer o canto da Laura naquele espaço, tal como tem o irmão. Para já, temos o berço, que vai estar no nosso quatro.
E ainda que não tenha chegado e mesmo que sem grandes remodelações, já dá para ver e sentir que vêm aí mais uma presença no feminino! E, para além das roupinhas, temos...

uriage + cuidados do bebé + produtos  para bebé + nesting + chegada do bebé + irmãos + decoração + quarto do bebé

uriage + cuidados do bebé + produtos  para bebé + nesting + chegada do bebé + irmãos + decoração + quarto do bebé

uriage + cuidados do bebé + produtos  para bebé + nesting + chegada do bebé + irmãos + decoração + quarto do bebé

uriage + cuidados do bebé + produtos  para bebé + nesting + chegada do bebé + irmãos + decoração + quarto do bebé


uriage + cuidados do bebé + produtos  para bebé + nesting + chegada do bebé + irmãos + decoração + quarto do bebé

Entretanto, já estamos assim:


P.s: Primeira coisa que o Vicente pergunta, quando chega a casa, é: "onde está a mana?!", com uma naturalidade como se ela tivesse feito sempre parte da sua vida. <3


A.M.O.R [O MAIS PURO AMOR]

05.04.16 | Vera Dias Pinheiro

gravidez + maternidade + sessão de fotográfica de grávida + segundo filho + amor de mãe
Fotografia Lovetography

(Acho que) a segunda gravidez se vive com ainda (mais) serenidade, com (mais) segurança e, por vezes, até com alguma despreocupação, motivada pelo nosso outro filho, que nos absorve por completo, enquanto o segundo ainda se esconde na nossa barriga. 
Foi um bocadinho assim, a gravidez da Laura. De certa forma, fomos comunicando e fomos concedendo, uma à outra, o tempo de que precisávamos até ao dia em que eu e ela nos deitamos no escuro do quarto e tivemos uma longa conversa. Expliquei-lhe como a gravidez dela era especial, como significava a oportunidade de me reconciliar com a experiência do parto, mas que para isso tínhamos que estar mais unidas do que nunca, porque eu precisava dela, e ela de mim, com todas as minhas forças. Disse-lhe ainda que, se se sentisse pronta, eu estaria pronta, que podíamos dar o passo seguinte. 
Por esta altura, já comentava que algo de diferente estava a acontecer comigo, com ela... Daí a poucos dias, ouvia o meu obstetra dizer-me, em mais uma consulta de rotina e depois de um CTG não muito expressivo, que estava na hora... Sustive a respiração, mas ainda fui a tempo de evitar o stress e deixar apenas a oxitocina actuar. A partir daí, foi uma viagem única, inesquecível até ter a Laura nos meus braços, no meu peito, segurei, fechei os olhos e limitei-me a deixar as lágrimas caírem dos olhos. 
O AMOR é a mais pura expressão para tudo isto, amor no seu estado mais puro e, ao mesmo tempo, mais em bruto, mas que se apodera de nós de forma avassaladora. Meus filhos... dois filhos... um coração a transbordar de amor... gratidão por tudo! Obrigada!

Bom Dia.