Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

Quilómetros que contam histórias

08.07.15 | Vera Dias Pinheiro
Durante dois anos, fizemos cerca de 8.140 quilómetros entre Bruxelas-Lisboa e vice-versa para passar as férias de verão (como bom emigrante). E, de todos os quilómetros que já fizemos, guardo na memória todos os sítios pelos quais passamos, as aventuras que tivemos, o cansaço e a ansiedade de chegar, quando nos aproximávamos do nosso destino final. E, chegados a esta altura do ano, é inevitável não nos deixarmos invadir por uma enorme nostalgia, por uma saudade, sendo até possível voltar a sentir o friozinho na barriga da véspera de fazer mais de 2.000 quilómetros.
O pequeno Vicente tornou-se num grande viajante logo a partir do três meses de idade e, a meio dos seus dois anos de vida, já deve ter passado por mais países que muitos de nós. No entanto, se tudo é fácil quando eles ainda são bebés (refilam pouco, não têm ainda vontades próprias, comem e dormem e pouco mais), tenho pena que tenha sido tudo demasiado cedo para ele e que, talvez, pouco ou nada tenha ficado na sua memória.
Revivo cada viagem quando revejo as fotografias, relembro todos aqueles que eram os meus receios quando o fizemos, a primeira vez, com o Vicente, a preocupação com as horas das refeições, com o facto de passar muito tempo no ovo, com o calor, com o frio, com as horas para dormir, com os imprevistos e com o trânsito, que nos trocavam as voltas a tudo o que tínhamos programado. Confesso-vos que a nossa primeira viagem foi um bocadinho angustiante, porém, à medida em que íamos parando, nas várias estações de serviço, onde nos cruzávamos com muitas outras famílias que partiam para as suas férias também de carro, fui aprendendo, com cada uma delas, a ser cada vez mais descontraída e a adaptar-me às situações sem stressar. 
No entanto, com a recomendação da pediatra para que não deixássemos o Vicente (na altura com seis meses) mais do que duas horas no ovo, programamos tudo e chegamos à conclusão que isso só seria possível se fizéssemos a viagem em três dias e assim foi. Apenas vos posso dizer que o entusiasmo do primeiro dia daquela viagem, foi inversamente proporcional ao do último, aquela viagem parecia interminável.
E, apesar do percurso mais eficaz e mais rápido não variar muito, com a minha insistência, lá íamos tentado fazer umas pequenas paragens em sítios diferentes, sempre com uns 5 a 10 minutos para um pequeno tour para tirar umas fotografias e conhecer um pouco da cidade. Porém, de todas as vezes que fizemos aquela viagem, havia pelo menos uma paragem que era obrigatória: Salamanca! E sempre para almoçar e sempre com um calor acima do normal. Sim, porque falar destas viagens é também falar numa experiência meteorologicamente rica, em que íamos passando por várias estações do ano, nomeadamente com a chuva intensa com que saímos (ou entrávamos) de Bruxelas e o calor com que nos deparávamos em Lisboa, à partida ou à chegada.
Mesmo faltando aqui muitos outros sítios, estas fotografias já permitem mostrar um pouco daquilo que visitamos e por onde andamos. E, como ultimamente, tenho andado com saudades de tudo, fui ao baú recuperar algumas delas. Talvez este seja um bom momento para pegar em todas as fotografias que andam dispersas pelo computador e organizá-las. 

Viagens de carro + cidades para visitar em frança + Noirt + viajar com crianças de carro + dicas para viajar com crianças + férias
Niort, França
Viagens de carro + cidades para visitar em frança + Noirt + viajar com crianças de carro + dicas para viajar com crianças + férias
Niort, França

Viagens de carro + cidades para visitar em Espanha + San Sebastian + viajar com crianças de carro + dicas para viajar com crianças + férias
San Sebastian, Espanha
Viagens de carro + cidades para visitar em Espanha + San Sebastian + viajar com crianças de carro + dicas para viajar com crianças + férias
San Sebastian, Espanha
Viagens de carro + cidades para visitar em Espanha + Merida + viajar com crianças de carro + dicas para viajar com crianças + férias
Merida, Espanha
Viagens de carro + cidades para visitar em Espanha + Barcelona + viajar com crianças de carro + dicas para viajar com crianças + férias
Barcelona, Espanha 
Viagens de carro + cidades para visitar em França + Lyon + viajar com crianças de carro + dicas para viajar com crianças + férias
Lyon, Franca
Viagens de carro + cidades para visitar em França + Lyon + viajar com crianças de carro + dicas para viajar com crianças + férias
Lyon, Franca
Viagens de carro + cidades para visitar em Espanha + Salamanca + viajar com crianças de carro + dicas para viajar com crianças + férias
Salamanca, Espanha
Viagens de carro + cidades para visitar em Espanha + San Sebastian + viajar com crianças de carro + dicas para viajar com crianças + férias
San Sebastian, Espanha
O meu guia prático para as viagens de carro (longas e com crianças):

1. Segurança:
Confirmar que a cadeira (ou o ovo) que transporta a criança está instalada correctamente, rever todos os pontos de segurança da mesma;
Preparar um kit de primeiros socorros;
Fazer uma pequena revisão ao veículo às coisas mais importantes (óleo, pressão dos pneus...);
Ter um carregador portátil ou adaptável ao veículo para não ficarem sem bateria em algum momento da viagem;
E, no caso de haver dois adultos, revezarem-se ao volante;
Dormir muito bem na noite anterior.

2. Planear com antecedência:
Alguns dias antes, começar a fazer listas do que precisam levar (fazer listas por pessoa, por assuntos, etc...) e comecem logo a separar algumas das coisas, deixando só mesmo o essencial, que não pode ir para as malas, para a véspera.
É também importante, estudar o percurso que vão fazer, escolher os locais onde vão dormir e reservar os hotéis (de preferência com pequeno-almoço para ficarem logo despachados).

3. Ter uma mala "especial" sempre à mão, para evitar andar sempre a remexer no porta malas sempre que precisam de alguma coisa.
Itens essenciais: mudas de roupa para cada um; uma toalha; kit de higiene; protector solar; fraldas/toalhitas; trocador portátil; sacos de plástico; comida (pequenos lanches, fruta e as refeições da criança, se for caso disso) e água.

4. Tentar programar a viagem para a hora em que os vossos filhos estão a dormir.
Em função daquilo que são os horários dos vossos filhos, organizem o vosso tempo de viagem. E, se eles estiverem a dormir, não pensem em parar o carro, porque provavelmente eles irão acordar.

5. Fazer paragens estratégicas.
Procurem não viajar mais do que 3 horas seguidas. Deixamo-nos de ilusões e pensar que uma criança pode aguentar-se sossegada e quieta para além desse tempo.
Sugestão: vejam no mapa sítios que possam ser interessantes, mesmo que impliquem um pequeno desvio da vossa rota, façam umas pequenas paragens e aproveitem para passear e gastar alguma energia.

6. Divisão de tarefas.
Muito simples: enquanto um conduz, o outro entretém a criança no banco detrás (e rapidamente vão perceber que os vossos maridos nunca vão querer largar o volante).

7. Inventar brincadeiras para passar o tempo.
Aqui, vai depender muito da idade dos vossos filhos, contudo as opções passam pelas músicas, as histórias, os DVD's portáteis, os tablets (vejam aqui onde encontrar boas sugestões de apps para crianças) e bonecos com sons e cores. Escolham brinquedos e objectos inofensivos que não permitam que a criança possa vir a magoar-se com eles.
Mas A.T.E.N.Ç.ÃO: economizem as vossas melhores estratégias para quando a criança começa a ficar inquieta e aborrecida, porque isso vai exigir de vocês medidas e esforços acrescidos!
UA-69820263-1

Os gelados de casa são melhores e mais divertidos!

06.07.15 | Vera Dias Pinheiro
O Verão já começou e agora, aos poucos e poucos, começam as férias grandes dos miúdos. Não existe melhor altura do ano do que esta, afinal, é pelas férias grandes (dos miúdos e graúdos) que esperamos o ano inteiro. Esperamos igualmente conseguir ter mais tempo para os nossos, para fazer aquilo que não conseguimos fazer com a correria do dia-à-dia, especialmente quando temos filhos e eles precisam, acima de tudo, da nossa atenção e paciência (e esta até parece que cresce quando estamos de férias, não concordam?).
Este vai ser o primeiro que ano que, cá por casa, vamos sentir a sensação de esperar pelas férias grandes da escola e, apesar da creche do Vicente não fechar, vamos ter a nossa pausa para namorarmos muito os três. Para o Vicente também vai ser bom sentir essa diferença e voltar a ter todo o tempo dele com os pais. Apesar dele adorar a sua educadora e os seus amigos e notar-se que ele gosta verdadeiramente de ir para a creche todos os dias. 
No entanto, e até chegarmos lá, vamos tentando aproveitar os finais de tarde, à seguir à escola, pois o bom destas férias é serem no Verão, onde os dias são mais longos e as brincadeiras podem-se estender até um pouco mais tarde na rua. E mesmo que eu não quisesse, mal sento a criança no carro, ouço imediatamente, numa voz muito determinada: "para casa não, mãe!"
Porém, há alturas em que temos mesmo que vir para casa e, quando assim é, só o consigo convencer (evitando as birras e o mau feitio, ambos próprios da sua idade) com a promessa de fazermos uma coisa diferente. Obviamente, escolho sempre algo que sei que vai gostar e que, por isso, não me vai dizer que não, como por exemplo, ir comigo para a cozinha, sabendo que, no final, vai acabar a comer um gelado. Quer dizer a rapar o "tacho" do gelado, porque para termos gelado a sério, tem que ir ao congelador primeiro.

E, por isso, aqui fica a nossa sugestão, quem sabe, a experimentarem esta tarde com os vossos filhos ou, então, preparar-lhes a surpresa com um gelado para o lanche.


Gelado de Iogurte e Frutos Vermelhos
12 pessoas*Preparação: 20 min*Congelação(+/-):6h*Dificuldade:2




Ingredientes:
300 gr. de framboesas
4 cs de mel liquido
300 gr. de mirtilos
40 cl. de iogurte natural

Preparação:
1. Lavem as framboesas e triturem-nas com a ajuda de um robot de cozinha, com uma colher de mel. Deitem esse preparado numa tigela e repitam a operação com os mirtilos, reservem, de seguida, num outro recipiente.

2. Misturem o iogurte com o restante mel.

3. Nas formas para gelado, deitem, por camadas: primeiro o iogurte, depois as framboesas e, por fim, os mirtilos, de forma a criar um efeito tricolor.

4. Reservem no congelador até estarem solidificados!

Bom apetite!!!


Receita inspirada no livro "Recettes de cuisine", Carnet de Cuisine, Larousse.
UA-69820263-1

Desfralde: Step #2 [colocar em prática]

03.07.15 | Vera Dias Pinheiro


Voltando ao tema desfralde e, depois de ter iniciado (a sério) este processo, há cerca de um mês, penso (eu disse somente penso) que o pior já passou. Digo o pior, porque ainda não me mentalizei para passar à fase seguinte: tirar a fralda à noite.
Depois de uma fase conturbada, onde dava por mim a lavar cuecas onde quer que fosse (porque o grande problema sempre foi o cocó e não tanto o xixi), durante a qual eu desesperava muitas vezes, o Vicente, neste momento, já pede para ir à casa de banho 95% das vezes. Obviamente que se estiver distraído (e eu também) lá acontece um descuido ou outro.
E o que é que mudou neste últimos dias? O que é que eu fiz de diferente? Na verdade, nada. Apenas houve um dia em que o Vicente começou a chamar-me porque queria fazer cocó. Escusado será dizer que, foi a alegria geral por aqui. E só quem tem filhos, percebe a importância que um momento destes representa nas vidas de todos. No entanto, e cá entre nós, com os dias de calor, optei por pô-lo a andar sem cuecas, assim de certeza que ia acabar por se sentir desconfortável, acabando por pedir para ir à casa-de-banho.
Na minha opinião, o grande segredo para que tudo isto corra bem, é, sem dúvida, esperar pelo momento certo e aceitar que cada criança tem o seu. Nós não devemos cair na tentação de rotular as coisas ou de comparar o nosso filho com os outros, porque se há crianças que estão preparadas para tirar as fraldas logo por volta do primeiro ano de idade, com outra isso pode acontecer apenas depois dos 3 anos. Por isso, vamos relaxar, esperar os sinais (podem relembrar quais são eles aqui) e depois avançar, sem pressas nem pressões! Começar a fazê-lo antes do tempo, não só torna o processo mais longo, como também pode tornar-se mais desgastante e stressante para todos.
Mas, para além disso, devemos ter a consciência que este processo é, por norma, mais fácil e mais rápido nas meninas e que no primeiro filho demora muito mais, quando comparado com uma criança que já tenham irmãos.

Contudo, bem sei, que nos sentimos mais confortáveis em "partir para o desconhecido", quando lemos sobre o assunto e quando conhecemos as eventuais técnicas que podemos adoptar para nos ajudar a, pelo menos, sentirmo-nos mais seguros e transmitir essa mesma segurança ao nosso filho. Por isso, partilho com vocês algumas das dicas que eu própria li e que vos podem ser igualmente úteis. Ora vejam:


1. Deixá-lo aprender pela imitação.
Se ainda não o faz, deixem-no ir com vocês sempre que vão à casa-de-banho (com o pai e com a mãe). É uma boa forma da criança aprender as diferenças e de como deve ser usada a sanita.
Esta é peanuts por aqui, pois são raras as vezes que consigo ir à casa de banho sozinha, desde que o Vicente nasceu e quando vou, sou obrigada a deixar a porta aberta.

2. Ter o equipamento certo.
Há quem opte pelo penico e há quem prefira o redutor. Aqui o que importa é perceber o que os deixa mais confortáveis e seguros. O penico pode ser o mais recomendado de início, porque ele consegue ter os pés assentes no chão, o que lhe permite fazer força. Os redutores são mais práticos e higiénicos, porque não tem que se lavar a seguir e com um banquinho também se revolve a questão da distância dos pés ao chão.
O Vicente sempre preferiu ir directamente à sanita, talvez porque na escola tenha começado a ir com os mais crescidos à casa de banho e usar as sanitas pequeninas.
Bacio/Redutor 3 etapas (Toy r us)
PVP: 29,99

3. Deixá-los acostumarem-se com o penico/redutor.
Devemos mostrar-lhe que o penico e/ou o redutor é dele e explicar-lhe para que servem. Deixá-lo sentar-se lá, até mesmo com roupa, nas primeiras vezes, apenas para se acostumar.
Podem também levar um boneco, que ele gostem, que faça xixi com ele.
Se ele oferecer resitência ou não quiser, nunca forçar. Isso é dos nossos maiores erros.

4. Comprar as cuecas especiais.
Deixem-no escolher as que mais gosta. Por aqui, os bonecos e os carros resultaram que foi uma maravilha.

5. Criar uma estratégia.
Por exemplo, pensar se querem tirar a fralda de uma vez só ou, se pelo contrário, o vão fazer de forma gradual.
Devem pensar nas consequências e vantagens de cada uma delas e qual será mais fácil de implementar na vossa rotina. Tirar de uma só vez agiliza o processo, no entanto, devemos estar preparadas para a probabilidade de ocorrer um maior número de incidentes. Já fazê-lo gradualmente pode ser mais demorado, mas encaixar-se melhor nas rotinas e compromissos (viagens de carro, passeios, escola...).

6. Andar com o menos roupa possível.
E nisso o bom tempo ajuda muito. Para nós, é um descanso, porque não se lava tanta roupa e ele não se sente tão desconfortável por ter a roupa molhada.

7. Facilitar as coisas.
Deixá-lo usar roupa prática, que seja fácil de subir e descer e cuecas mais largas. Deixar a porta da casa-de-banho aberta, com o banco junto a sanita ou o penico acessível.

8. Controlar a nossa frustração.
Este processo por acabar por demorar mais tempo do que aquele que nos pensamos e/ou gostaríamos que demorasse e, mesmo as crianças que aprendem rápido, podem ter pequenos deslizes. Isso tudo é natural e nós devemos saber relativizar e não deixar que ele se sintam mal.

9. Divirtam-se!
Sim, devemos tornar as coisas divertidas, leves e naturais. Usem a vossa criatividade, associando, por exemplo, uma história aquele momento, deixando-o puxar o autoclismo (o Vicente adora dizer adeus ao xixi e ao cocó e a seguir puxar o autoclismo), podem ainda fazer um quadro com autocolantes, como uma espécie de prémio ou distraí-lo com livros. Vale tudo :)

10. Saber quando é o momento certo para tirar a fralda à noite.
Começar a pensar nisso quando as coisas de dia já estiverem a correr mesmo, mas mesmo bem. E, de seguida, começar a observar como está a fralda assim que acorda, se começar a estar seca, então é uma boa altura para avançar. 

11. Fazer uma grande festa quando as fraldas forem definitivamente embora!!!! YAY!!!! YAY!!!!


UA-69820263-1

Rose de Vigne, a 5ª fragância da Caudalie

01.07.15 | Vera Dias Pinheiro


A rosa é símbolo da feminilidade e é a rainha de todas as flores.... a uva representa a alegria de viver e é sinónimo de bebida divina.


A 5ª fragância da Caudalie chama-se Rose de Vigne e parte do sonho de Mathilde Tomas, a fundadora da marca, de reunir, numa só obra, a rosa e a uva, já que na região de Graves, na Gironda francesa, estes dois elementos vivem numa simbiose perfeita.



Ralf Schwieger, o perfumista da marca, atendeu ao pedido e partiu, para a criação da Rose de Vigne, pela mesma base que a das já existentes Eaux Fraîches (a base de toranja, tangerina, bergamota, lima, limão e ruibarbo).
No coração está a magestosa rosa de Maio, a famosa rosa de Grasse, introduzida sob a forma de essência e a uva, cujo espírito é impossível de obter olfativamente, surge através da groselha, pois possui igualmente os cachos, os taninos e os açúcares individuais.
A magnolia, o almíscar e as madeiras ambaradas fundem-se naturalmente naquela composição.





A colecção Eaux Fraîches, por Mathilde Thomas, da Caudalie:

Fleur de Vigne (2002)
Tradução por Anne Flipo destas flores de perfume suave que se colhem na região de Bordéus por altura do São João e que dão início à contagem decrescente para as vindimas, cento e dez dias mais tarde. Rosa branca e espinheiro, uma pitada de pimenta  rosa, a seiva verde e aquosa do melão.

Thé des Vignes (2011)
Escrita por Jacques Cavallier, evoca a hora hesitante entre o dia e o crepúsculo, quando o sol se põe e se erguem os aromas de mel e de  jasmim.Almíscares em overdose, sensualidade de um elixir da noite, de uvas maduras, de sombras quentes e carnais.

Zeste de Vigne (2011)
Composta por Francis Kurkdjian, também conta os aromas do laranjal do Château Smith Haut Lafitte. Limão e laranja, tangerina e laranja amarga. Um sabor de húmus composto por patchuli e musgo de árvore. Perfume misto, vibrante e cheio de polpa.

Figue de Vigne (2014)
É a transcrição de uma magnífica figueira enraizada numa pequena ilha privada da propriedade Smith Haut Lafitte, sobre a Garona. A autora, Françoise Caron, construiu a sua fórmula a partir das notas leitosas das folhas da árvore e da riqueza dos frutos em pleno verão. Poder da natureza, da madeira de cedro e das especiarias.


Aproveitem a campanha de Verão da Caudalie, que decorre entre 1 de Junho e 31 de Agosto de 2015, com oferta de um destes sacos (super giros):
Como funciona? Na compra de 2 produtos da marca, vocês escolhem o saco que melhor combina com o vosso Verão! Aproveitem!

*Oferta disponível em todas as farmácias que participam nesta operação Verão e em http://www.caudalie.com/.



Este texto foi escrito em parceria.</p>
UA-69820263-1

O Verão combina com um sumo cheio de vitaminas!

01.07.15 | Vera Dias Pinheiro
Em dias de calor como os que se têm feito sentir, para além de querermos todos correr para a praia, devemos igualmente (re)lembrar a importância de aumentar o consumo de água/líquidos que ingerimos. Porquê? Porque o calor faz aumentar a temperatura do nosso corpo, como resposta do nosso organismo para manter a temperatura adequada. Consequentemente, transpiramos mais, o que nos leva a perder água e sais minerais, através do suor, essenciais ao funcionamento do nosso organismo.
E se pensam que só devemos beber água quando sentimos sede, desenganem-se, porque quando chegamos a esse ponto é porque já estamos em desidratação e o nosso organismo está emitir um sinal de que precisa de água urgentemente. Se não atendermos a esse pedido, o nosso corpo vai aprender a funcionar com menos água e diminui o metabolismo (energia que precisamos para viver).

Mas nem só a água hidrata o nosso organismo, existem outras fontes, tais como:

- Os sumos de fruta, ricos em vitaminas e minerais (mas atenção porque contêm o açúcar das frutas);
- Os chás, mas, nesta altura do ano, só mesmo se forem os chás frios. E por falar nisso, já alguém experimentou os novos chás frios da Tetley?
Fonte: GOOGLE images

- E as frutas e os legumes que hidratam, ao mesmo tempo, que nutrem o nosso organismo.

E se aliarmos a hidratação àquilo que são as nossas necessidades nesta altura do ano, o que é que acontece???!!! Temos um sumo de cenoura e gengibre!!!!

Todos nós ouvimos em criança que as cenouras fazem os olhos bonitos e, assim como assim, lá íamos roendo umas cenouras. Porém, este vegetal tem muitos outros benefícios, sendo recomendado o seu consumo a crianças e adultos, pois fortalece o sistema imunológico, prevenindo contra doenças. Para além disso, é um poderoso aliado ao nosso organismo nesta altura do ano.
Por um lado, a cenoura é rica em betacaroteno, substância que activa a melanina, o pigmento presente na pele que permite obter um bronzeado mais acentuado e duradouro. E, por outro, as vitaminas A, B e C presentes neste alimento têm um efeito antioxidante, o que contribui para retardar o envelhecimento das células e, especialmente da pele, mantendo-a longe das rugas e das linhas de expressão por mais tempo.
E como acontece na maioria dos vegetais e legumes, os seus benefício optimizam-se quando consumida crua.

Já o gengibre:
- É rico em ferro e cálcio, o que faz dele um poderoso antioxidante e anti-inflamatório;
- Estimula a mente o corpo sem causar sonolência;
- É termógénico: faz aumentar a temperatura do corpo e, com isso, obriga o nosso oerganismo a gastar mais energia. Isto é, acelera o nosso metabolismo e a queima de gordura.

Ficaram convencidos? Agora vamos à receita:

Sumo de Cenoura & Gengibre
Serve 2 pessoas*Tempo de preparação:10 minutos*Dificuldade:1


Ingredientes:
2 Toranjas/Laranjas
1 pedaço de gengibre com cerca de 2,5 cm
250 gr de cenouras
Água (a quantidade vai depender de como gostam do sumo, se mais liquido ou mais espesso)

Para servir:
12 cl de gelo triturado
Folhas de menta fresca

Preparação:
1. Coloquem dois copos (onde irão servir o sumo) no congelador para que fiquem gelados;
2. Descasquem as toranjas/laranjas e cortem em quartos. De seguida, façam o mesmo com o gengibre, partindo-o em pedaços;
3. Juntem todos os ingredientes num copo liquidificador ou num robot de cozinha e centrifugem;
4. No final, retirem os copos do congelador, coloquem o gelo, deitem o sumo e, por fim, as folhas de menta fresca.


Bom apetite!


Receita inspirada no livro "Recettes Détox", Carnet de Cuisine, Larousse

UA-69820263-1

Passatempo Craft Me e As viagens dos Vs

01.07.15 | Vera Dias Pinheiro
A Craft Me é uma marca de artigos de decoração muito especiais. Pela mão (e imaginação) da Patrícia, a sua fundadora, criam-se quadros lindos, que conferem aquele toque especial a qualquer canto da nossa casa.
A Patrícia é mãe de dois rapazes lindos (como ela própria diz), formada em Comunicação. A ideia de criar esta marca surge no momento em que andava à procura de ideias para um presente original para duas amigas que tinham acabado de ser mães. Como não encontrou o que procurava, resolveu, ela própria, pôr mãos à obra.
Os seus quadros procuram marcar momentos especiais na vida das pessoas, nomeadamente, o nascimento de um bebé; assinalar uma data especial, como um aniversário, um casamento ou baptizado; decorar um espaço da casa (o quarto dos miúdos, das brincadeiras, a garagem, a cozinha, etc...) ou, ainda, eternizar uma frase ou um lema de vida.
É importante referir que todos os quadros são personalizáveis, ou seja, nós podemos escolher: o nome ou a frase que queremos; o padrão que mais gostamos e as cores (e os tons) nossos preferidos. De seguida, cabe a Craft Me cozinhar todos esses elementos e criar o vosso quadro, praticamente único.



A Craft Me aceitou o desafio de se juntar As viagens dos Vs e tem para oferecer um dos seus quadros a um leitor do blog. As opções são as seguintes:

Boys Room // Girls Room




Little Prince // Little Pincess





O vencedor deste passatempo vai poder escolher um quadro, entre as quatro opções disponíveis. O mesmo será depois contactado pela Craft Me para solicitar a morada para o seu posterior envio.

E para participar, aquilo que têm que fazer é:
- Fazer like na página de Facebook d' As viagens dos Vs;
- Fazer like na página de Facebook da Craft Me;
- Ser seguidor(a) do blog As viagens do Vs;
- Partilhar publicamente o post (no facebook) do passatempo e marcar 3 pessoas.

O passatempo vai decorrer até ao dia 10 de Julho, até ás 20h00, e o resultado será conhecido no dia 12 de Julho, apurado através do random.org.


Participem! Partilhem e boa sorte!!!








Craft Me, *ideias factory*
Quadros Personalizados
Para pedidos e informação escrevam para: craftme.ideasfactory@gmail.com. A Patrícia está à vossa espera. 


UA-69820263-1

Pág. 4/4