Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

Aquilo que aprendi sobre ser mãe de rapaz - Parte I

23.07.15 | Vera Dias Pinheiro

Adoro ser mãe de rapaz! Ou melhor, adoro ser a mãe do meu rapaz! Adoro a forma como o Vicente me trata e a relação que tem comigo: ele é afectuoso, carinhoso, protector, mas um bocadinho possessivo também, é certo!
É verdade que não tendo uma filha, não posso comparar e que, quando dizem que "os meninos são mais apegados à mãe e as meninas ao pai", isso pode não ser necessariamente assim, pois o que conta mesmo é a educação que têm e a sua própria personalidade. Mas, para já, adoro ser mãe de rapaz!
O meu filho adora o colo da mãe, gosta a fingir que é um bebé e aninha-se no meu colo como quando era mesmo um bebé. Ele gosta de me dar festinhas e beijinhos e quando o pai não está, a caminha da mãe é a sua cama.
Também não aceita (sem, pelo menos, oferecer uma grande resistência) que não seja a mãe a cuidar dele na hora de comer, de dormir, quando se aleija... ou seja, em praticamente todas as situações. Às vezes, torna-se um pouco sufocante não conseguir ter liberdade, não conseguir passar o testemunho quando queremos descansar ou quando precisamos de fazer outra coisa - sim, ser mãe é também ter sentimentos destes - mas, se pudesse escolher que fosse de outra maneira, eu nunca iria escolher que fosse diferente.
E se, ser mãe do Vicente já me permitiu aprender alguma coisa sobre o mundo dos rapazes, aqui ficam algumas delas:
1) O drama é já uma coisa que nasce com eles.
Quando o Vicente dá pequenas quedas ou quando tropeça, larga num berreiro (que se vê claramente que nada tem a ver com a dor que possa sentir) e vem a correr em direcção a mim a dizer que tem dói-dói e que precisa de um beijinho "curativo". E, de repente, esse dói-dói espalha-se pelo corpo todo e, frequentemente, acabamos numa beijoquice pegada.
Vá, eu confesso, que também alimento isto, mas quem é que consegue resistir aos beijinhos de uma criança, quem?!
2) São ciumentos, principalmente em relação à mãe. 
Aqui em casa, não existem dúvidas, o Vicente diz: "A mãe é MINHA, PAIIII!!!" e é ele que diz se o pai pode ou não dar um beijinho à mãe e quando.
3) O futebol está-lhes no sangue. 
Em qualquer sítio e em qualquer lugar, jogar à bola faz parte das brincadeiras preferidas do Vicente. Até agora, só me é pedido que dê uns chutos na bola, porém mais tarde, já me imagino a ter que aprender a linguagem técnica e o nome de todos os jogadores desta modalidade.
mãe e filho + amor de mãe + ser mãe de menino + jogar à bola + parque do alvito +monsanto + ter filhos + aprender a ser mãe
4) Os meninos precisam de contacto físico. 
E só de imaginar que, daqui a algum tempo, ele não vai querer que o agarre, nem que lhe dê beijos quando o deixo na creche e quando o vou buscar, eu vou aproveitando muitooooooo esta fase, em que a necessidade de mimo está muito presente.
5) Os meninos estão ligados à ficha 24 horas por dia.
É impressionante a energia que têm desde que acordam (e aqui, acorda-se muito cedo) até que chega a hora de deitar (que agora já vai começando a haver uma certa resistência para adiar sempre um bocadinho). Também me impressiona a confusão e o barulho, as guerras de almofadas, os pulos em cima de mim e do pai e, até mesmo, uma certa "brutidade" com que faz as coisas.
6) Eles vão ser sempre os companheiros, os protectores e os admiradores das suas mães!
 
mãe e filho + amor de mãe + ser mãe de menino + jogar à bola + andar de bicleta + belém bike + belém + ponte 25 de abril + ter filhos + aprender a ser mãe
mãe e filho + amor de mãe + ser mãe de menino + jogar à bola + quinta pedagógica armando vilar + cascais + quinta pedagógica + ter filhos + aprender a ser mãe
Adoro ser mãe de rapaz! Do meu rapaz! :)
UA-69820263-1

Beauty Tips #2 | Tea Tree Oil - The Body Shop

22.07.15 | Vera Dias Pinheiro
A nossa pele não mantém as mesmas características sempre, ao longo do tempo e também de acordo com o nosso estilo de vida, ela vai-se alterando. É importante, de quando em quando, reavaliarmos quais são as suas necessidades, quais são os nutrientes que tem em falta e que devemos repor, nomeadamente com a ajuda dos produtos de cosmética que utilizamos (para além de ter uma boa alimentação, de beber muitos líquidos, etc).

Já vos contei como senti a minha pele envelhecida após ter sido mãe. O facto de ter passado a dormir menos e de, mesmo quando se dorme, a qualidade do sono ter deixado de ser a mesma (pois passei a estar em constante estado de alerta), tudo isso acentuou, não só as olheiras e toda a zona dos olhos, como também notei o aparecimento de algumas rugas. Rapidamente percebi que alguma coisa tinha que mudar e, como as perspectivas de voltar a dormir longas noites e sem ser acordada, ainda vêm longe, a alternativa foi procurar outros produtos que compensassem a falta de hidratação e que devolvessem um ar mais saudável à minha cara. Não acertei logo à primeira, o que para a nossa carteira não é um bom sinal, no entanto, também percebi que existem alternativas às marcas mais caras do mercado e que o truque está no nosso bom senso. Também é bom fazermos um pouco do trabalho de casa antes de irmos para as perfumarias ou farmácias, onde nem sempre somos aconselhados da melhor maneira e, por vezes, acabamos a fazer "más" compras.

Foi em Bruxelas que descobri a The Body Shop, ter uma loja perto de casa, sem dúvida, que ajudou, tal como o facto de ter mais tempo e disponibilidade para. Esta marca foi fundada em 1976, em Inglaterra. E, assente na máxima "Beleza com Coração", a The Body Shop sublinha os seus cinco valores:
- contra testes de animais;
- apoia o comércio comunitário;
- promove a auto-estima;
- defende os direitos humanos;
- protege o nossos planeta.

Foi precisamente com a The Body Shop que descobri o poder óleos essenciais para os cuidados com o rosto, com o Overnight serum-in-oil (ver aqui), que cumpria tudo aquilo que "prometia". Não podia ter ficado mais feliz com esta descoberta de, tal modo, que continua a ser o meu SOS para as noites mal dormidas ou para quando ando muito cansada.

Ora, um outro best seller da marca é igualmente um óleo essencial - o Tea Tree Oil. Este óleo possui propriedades naturais antibacterianas e purificantes que promovem uma pele limpa em profundidade. E, agora, por ocasião da celebração dos seus 20 anos, vai ter, no próximo dia 28 de Julho, um lançamento especial. 
Numa edição limitada vamos ter, para além, de uma embalagem exclusiva alusiva ao seu aniversário, uma embalagem com dobro do tamanho (o Tea Tree Oil existe no formato de 10ml e, durante este período, vão poder encontrar também no formato de 20ml).


Preços destes "super tamanhos" de edição limitada:
Tea Tree Oil 20ml 12€

   




Talvez seja bom mencionar que esta edição especial é uma boa forma de "comprar mais por menos", na medida em que, por exemplo, para o caso do Tea Tree Oil de 10ml o preço de de 8,50 euros e o de 20ml, tem o preço de 12 euros. No fundo, acabamos por ter "um desconto imediato" na embalagem maior.



PARABÉNS THE BODY SHOP!!!


UA-69820263-1

E agora uma sugestão diferente.

21.07.15 | Vera Dias Pinheiro
Hoje deixo-vos uma sugestão diferente. É frequente pensarmos nas instituições numa perspectiva cinzenta e distante, em toda a sua seriedade, mas geralmente longe de ambientes festivos e de celebração.

Pois bem, a Assembleia da República tomou uma iniciativa para contrariar essa visão! Amanhã, dia 22 de julho, pelas 21.30, terá lugar um Concerto de Ópera no Parlamento, destinado assinalar o encerramento da XII Legislatura.
Este concerto ocorrerá nas Escadarias da Assembleia da República, gratuito e acessível a todos.


O corpo de músicos, sob direção do maestro João Paulo Santos, é constituído por 66 elementos do Coro do Teatro Nacional de S. Carlos, 70 membros da Orquestra Sinfónica Portuguesa e os solistas Carla Caramujo (soprano), Cátia Moreso e Carolina Figueiredo (meios-sopranos), Diogo Oliveira e João Merino (barítonos) e Marco Alves dos Santos (tenor).

O programa inclui coros e aberturas de ópera de Verdi (La forza del destino; Rigoletto; Aida), Bizet (Carmen), Rossini (La Cenerentola), Donizetti (L’elisir d’amore), Wagner (Tannhäuser), Borodine (Principe Igor) e Alfredo Keil (Serrana).

Fiquem a conhecer todo o programa aqui.

Para quem estiver por Lisboa e quiser fazer parte deste momento especial, é uma sugestão que vos surpreenderá pela positiva.

Afinal de contas, mesmo em tempos desafiantes como os que temos vivido nos últimos anos, é importante nunca nos esquecermos do que nos dizia Nietszche: Without music, life would be a mistake.





UA-69820263-1

Campanha de solidariedade Corine de Farme | Refúgio Aboim Ascensão

21.07.15 | Vera Dias Pinheiro
A faceta solidária da Corine de Farme apresenta novamente uma iniciativa louvável de apoio ao Refúgio Aboim Ascenção.

A campanha, que tem como tema "Ajude a Sorrir quem mais precisa", a decorrer entre Julho e Dezembro, é válida para os produtos da gama Koala à venda apenas em farmácias.



Na compra de um segundo produto desta gama por apenas mais 2 euros, estão a contribuir com 1 euro para o Refúgio Aboim Ascenção. 

Esta instituição acolhe crianças entre o 0 e os 6 anos de idade, oferecendo-lhes um ambiente estruturado, feliz e saudável, capaz de lhes transmitir a confiança, a auto-estima e a capacidade de enfrentar o seu futuro. Sob a perspectiva da "Emergência à criança", este refúgio procura integrar as suas crianças na sua família natural ou noutra, dando a cada criança o "direito a ter um colo".


Para mais informações sobre o Refúgio Aboim Ascensão, consultem aqui: http://www.refugio.pt/.


Sobre a gama KOALA da Corine de Farme:


Os produtos da gama Koala são formulados a partir de ingredientes de origem natural, com Cold Cream Vegetal, que acalma, nutre e cuida.
Sem parabenos, sem corantes e sem álcool, esta linha foi pensada para a pele muito seca e sensível dos bebés desde o primeiro dia.
Sujeitos a um rigoroso controlo farmacêutico, os produtos Koala são hipoalergénicos e testados dermatologicamente, garantindo toda a qualidade e segurança.
Esta linha poderá ser encontrada exclusivamente em farmácias.

Os produtos KOALA:




As crianças são o que de mais importante existe e, infelizmente, nem sempre têm as condições materiais e de afecto que merecem. Assim, apoiar causas desta natureza, torna-se ainda mais importante. 
A Corine de Farme conta, pois, com o apoio de todos nós para concretizar e divulgar esta campanha.



UA-69820263-1

Sugestões para organizar brinquedos, quem tem?

21.07.15 | Vera Dias Pinheiro
Mudámos de casa por vários motivos, mas um deles (talvez o mais forte) foi, sem dúvida, para conseguir ter mais algum espaço. Por muito economizados que sejamos, por muito que sejamos racionais a comprar as coisas (diga-se sobretudo brinquedos), porque sabemos que muitas delas vão acabar por durar um par de meses e que outras tantas, ao serem escolhidas por nós, nunca vão ter a utilidade e o uso que imaginávamos, a verdade é que com um filho não há forma de economizar! 

Na casa nova temos muito mais espaço, conseguimos acabar com o cenário de batalha campal que a sala da anterior casa tinha. Conseguimos também manter uma certa ordem e arrumação sem andarmos constantemente de rabo para o ar a apanhar as coisas e esconder sempre que temos visitas. A casa nova tem apenas mais uma divisão que a anterior, no entanto, a sua disposição e o maior espaço, em todas as divisões, permitem criar uma certa harmonia. E também, por termos acabado por concentrar a confusão nessa divisão "extra".
Precisamos de um escritório e precisávamos de espaço para arrumar os muitos livros do senhor meu marido e o Vicente precisava de espaço para os brinquedo e para desarrumar sem estar sempre a ouvir-me a pedir-lhe para arrumar as coisas. Afinal, as crianças precisam de liberdade para brincar ou não?! 

Agora, o que ainda não conseguimos foi encontrar uma forma de organização para tudo isto e principalmente para os brinquedos do Vicente. Continuamos com um monte de coisas a um canto, sem sítio para ser arrumado, se é que é possível. Mas para, pelo menos, terem um lugar naquele escritório vs quarto de brincar. Já pensei em cestos, mas não é o ideal porque vão ocupar muito espaço no chão, espaço que o Vicente precisa para brincar; depois pensei em comprar um grande baú, com a desvantagem de não conseguir separar os brinquedos e sempre que quisesse alguma coisa em particular teria que remexer no baú inteiro, o que não é solução; resta-me, então, pensar nos sistemas de arrumação do IKEA, simples e versáteis, com cestos, caixas ou sem nada, devem ser o suficiente para caber lá tudo. 

Como é que organizam os brinquedos em vossa casa? Vão fazendo "reciclagem" dos brinquedos que vão deixando de ser usados para conseguir ter mais espaço? Têm um espaço mais dedicado às brincadeiras? Contem-me tudo! 

Em bom rigor, aquilo que eu gostava mesmo era conseguir recriar uma coisa dentro deste género:







 Outras ideias giras para arrumação:







E, enquanto vagueio pelo Pinterest, esse mundo infinito de ideias que nos põe a sonhar, vou-me consciencializando de que tenho que deixar de procrastinar esta missão. É a única divisão da nossa casa que continua sem identidade própria, sendo uma das mais necessárias e importantes, não só para o Vicente, mas também para mim que, trabalhando em casa, preciso ter o meu canto organizado.


*Todas as fotos foram retiradas do Pinterest.



UA-69820263-1

O meu filho não quer comer e agora?!

20.07.15 | Vera Dias Pinheiro
alimentação das crianças + comer vegetais + dicas para mães + aprender a gostar de vegetais

Até aos dois anos as crianças não costumam oferecer resistência aos alimentos (regra geral, é claro). Comem de tudo, nas sopas ou nas papas, no entanto, quando no prato começam a aparecer os legumes e os vegetais tal como eles são, juntamente com a carne ou peixe e com o arroz, batatas ou massa, pode começar a surgir alguma resistência da parte das crianças em aceitar esses alimentos fora daquilo a que estão habituados. Por outro lado, à medida que vão crescendo vai sendo igualmente inevitável o seu contacto com pequenos alimentos industrializados, que têm um sabor muito mais acentuado (e apetecível) que os legumes e mais doce que a fruta. 
Todos estes factores misturados podem tornar a hora da refeição um pouco mais stressante do que era habitual até aqui. Contudo, por vezes, o desafio está em nós aprendermos a lidar com a situação mudando um pouco a nossa postura e aquilo que os próprios filhos já esperam dos seus pais.

A partir desta idade, o nosso exemplo passa a ser também determinante no comportamento deles. Por isso, penso que uma forma de contornar tudo isto, poderá ser fazermos um esforço por controlar aquilo que entra em casa, por exemplo, se houver sempre pães integrais e produtos hortícolas frescos, as crianças acabam por ter menos oportunidades de pedir outras coisas e, aprendem, facilmente a perceber o que devem comer. Outro aspecto importante é a hora das refeições, quando a criança se senta à mesa e observa a forma como os seus pais se alimentam, se comermos bem isso vai encoraja-los a consumir igualmente esses alimentos saudáveis.

No entanto, quando nada disto for suficiente, as boas notícias são: se, por volta dos 2 anos, a criança passa a estranhar alguns alimentos, essa é também a altura em que começa a exercitar a sua fantasia e imaginação. Consequentemente, o que nós devemos fazer é aproveitar isso e fazer da hora da refeição um momento divertido e cheio de imaginação: inventar uma história, criar um jogo, etc.

Sugestão: uma receita pode transformar-se numa poção mágica e o papel das crianças vai ser adivinhar o conteúdo de cada colherada. 
Ou então, deixar a criança brincar com os alimentos, por exemplo, deixá-la ver que a cenoura é cor-de-laranja, sentir a textura da sua casca e observar a sua preparação antes de ir para o prato.
No fundo, é deixar as crianças divertiram-se e aguçarem a sua curiosidade, pois isso pode levá-las a comer melhor.

Depois existem outras coisas que podemos fazer e que podem ajudar os nossos filhos a comerem melhor e comer de tudo, tais como:
1. Incluir, nasrefeições, alimentos que a criança pode agarrar com as mãos: cenoura baby,tomate-cereja, espiga de milho, hortaliças cortadas em palito, etc; 
2. Coloquem osalimentos, que compõem a refeição, separadamente no prato. Eles devem ter cores etexturas diferentes; 
3.  Deixem a criança servir-se sozinha e provar cada uma dasdiferentes porções;
4. Não cozinhem demais os legumes. Quando estão crocantes, alémde serem mais interessantes visualmente, porque mantêm a forma e as cores ficammais vivas, eles são também muito mais saborosos;
5. Faça desenhos em cima do puré. Nada de complicado: pode ser um círculo ou uma espiral com ervilhasfrescas ou congeladas; 
6. Quebrem a rotina variando o modo de preparação de cadaalimento: um dia sirvam cru, outro em forma de bolinhos, ou refogado, cortado emrodelas, ralado etc;
7. Nenhumalimento é insubstituível. A criança não gosta de cenoura? Ofereçam abóbora,mamão ou outros vegetais amarelos e alaranjados e as fontes de vitamina A estãogarantidas;
8. Não sirvam ao jantar o mesmo que deram ao almoço. Se quiserem reaproveitaros restos, reinventem as combinações.
9. "Raspar" o prato não é uma coisa obrigatória nem necessariamente desejável. Não obriguem o vosso filho aisso.
10. O ambiente da refeição deve sertranquilo, sem TV, música e muito menos berros. Deixem as conversas sérias e os sermões para depois. Todas as refeições (lanches inclusive) devem ser feitas àmesa;
11. Levem as crianças para a cozinha. Quando são elasmesmas a preparam os alimentos, certamente vão querer provar o que fizeram. É umaexperiência lúdica e prazerosa, como deve ser a relação com a comida.
12. Envolvam os vossos filhos na compra dos alimentos e, se puderem, visitem os mercados com eles. As frutas e os legumes são comprados sempre que possível no mercado e o Vicente já pede uma moeda para ir comprar uma fruta que ele próprio escolhe e quer. Acaba por ser muito divertido; 
13. Se o vosso filho diz que não gostade um alimento que não conhece, proponham que ele prove um pedaço (tem de serpequeno) e, se não gostar, não precisa comer. Deixem passar algum tempo e voltem a oferecer, pelomenos por mais cinco vezes, em ocasiões e formas de preparação diferentes;
14. Aproveitem para preparar as comidas que as crianças mais gostam de forma mais saudável.

Mas, por vezes, a única coisa que temos que fazer é dar-lhes tempo, pois o paladar das crianças muda com o tempo e um alimento que hoje rejeitam, pode passar, mais tarde a ser um dos seus preferidos.



UA-69820263-1

As dicas da Maria Make up Artist [O segredo para uns lábios bonitos]

17.07.15 | Vera Dias Pinheiro
 Os nossos lábios são o que mais realça a beleza feminina, mas são muito frágeis. Eles estão sujeitos a muitas agressões externas (como o sol, o frio, o vento, etc...), que os deixam ressequidos, com gretas e com um aspecto e sensação desagradáveis.
Com os lábios ressequidos, podem surgir pequenas descamações o que deixa a sua pele muito sensível e com lesões, que se não forem tratadas podem dar origem a fendas mais profundas, dolorosas e de difícil cicatrização.

Por isso, é importante considerar os lábios como uma parte do nosso corpo que exige cuidados e que deve ter igualmente ter uma rotina de tratamento, tal como qualquer outra.
Deste modo, neste artigo vão poder ficar a saber um pouco mais sobre pequenas coisas que podem incluir na vossa rotina de higiene diária e que vos vai ajudar a ficar com os lábios mais suaves e protegidos e, consequentemente, mais bonitas.

Em primeiro lugar, devemos pensar em proteger os nossos lábios e, para isso, devemos fazer uma esfoliação suave que elimina as células mortas e as peles soltas. A seguir, devemos cuidar para ter (e manter) os lábios hidratados e cuidados é necessário reforçar a barreira cutânea. Como? Através da aplicação de um creme ou stick labial hidratante todos os dias. Mesmo antes de colocar o batom ou um gloss, devemos aplicar um pouco de hidratante, até porque, hoje em dia, existem muitos batons de longa duração que secam muito os lábios.

As dicas da Maria:

- À noite, após a escovagem dos dentes, aplicar um pouco de hidratante nos lábios. Vão ver que no dia a seguir estão muito mais suaves;
- Fazer uma esfoliação semanal, para a qual podem usar ou produto próprio ou fazer um esfoliante caseiro (por exemplo, juntando apenas mel com açúcar);
- Nunca arrancar ou puxar as peles soltas;
- Nesta altura do ano, é importante que o hidratante tenha factor de protecção contra os raios solares.

Existem imensas marcas de batons no mercado e eu, como sou um pouco fanática por batôns hidratantes, acabo por experimentar tudo o que sejam novidades. E posso dizer-vos que as gamas Blistex e Carmex  são fantásticas para tratar os lábios gretados e ressequidos.

As minhas preferências:

Para esfoliação:
Esfoliante delicado para os lábios da Kiko Cosmetics
PVP: 5,90

Para hidratação:

Bálsamo de reparação para a noite, para uns lábios macios
e nutridos pela manhã (PVP:5,90).

Neutrógena Bálsamo (PVP: 6,43) ou Stick labial (5,75)
Cuidado de lábios Caudalie (hidratante e anti-oxidante)
PVP: 5,60
Hidratantes labiais Yves Rocher 
PVP: 2,49 (cada)

Para o Verão:

Protecção Piz Buin contra os efeitos nocivos da exposiçãoà radiação
 UVA/UVB, ao mesmo tempo que proporciona uma hidratação intensa.
Sun Protect da Labello: hidratação duradoura e protecção Uv imediata.


Texto por Maria Osório.


UA-69820263-1