Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

Diário de um peixe: A chegada dos novos amigos!

12.07.18 | Vera Dias Pinheiro

ACS_0896-1024x683.jpg

Faz hoje uma semana que adoptamos novos amigos cá em casa. Depois de muito pensar e com vontade em querer ter um animal de estimação, mas sem muitas opções, a ideia de ter um peixe não estava fora dos nossos planos. Contudo, não me sentia com grande confiança, dado que eu, tal como muitos de vós, também tive peixinhos em criança e infelizmente nunca sobreviveram durante muito tempo. E confesso que, para ser assim, estava um tanto ou quanto resistente. Não queria lidar com a morte dos pequeninos e com o Vicente e a Laura ao mesmo tempo e também não queria ter um animal de estimação que estivesse de passagem nas nossas vidas.

Um peixe, tal como qualquer outro animal que se queira para estimação, implica uma série de cuidados. Requer sempre tempo, atenção e dedicação. Podem, na prática, dar mais ou menos trabalho, contudo, a ideia é fazer deles nossos companheiros por muito tempo. E foi assim que cheguei até à Tropical Marine Center – aliás, foram eles que me convenceram da ideia de ter em casa um aquário não tão tradicional quanto o que eu estava habituada, mas sim um aquário de água salgada, com um ambiente marinho criado de acordo com as condições certas e que respeitasse as necessidades de um meio marinho adequado, aliado à oportunidade de ter em casa os famosos Peixes-Palhaço – “Nemos” para os amigos –, fazendo as delícias de todos nós, na verdade.

A complexidade inicial – por ser tudo novo para mim - deixou-me um tanto ou quanto nervosa e a espera pelos peixinhos deixou os meninos ansiosos. Todavia, foi um tempo precioso para estudar, perguntar muitas coisas e tirar todas as dúvidas sobre este tema.

Sabiam, por exemplo, que o pior que se pode fazer é ter um peixe nos tradicionais aquários bola?  E que uma das principais causas de morte é o excesso de alimentação?

Nesta primeira semana, enquanto eu ando concentrada em ter em mente todas as tarefas a serem feitas, o Vicente e a Laura andam mais entretidos em falar com os peixes. Nos primeiros dois dias, haviam autênticas peregrinações ao aquário, puxavam uma cadeira e ficavam a observar durante vários minutos, falavam com os peixinhos e tudo. O Vicente, mais crescido, assumiu prontamente a responsabilidade da alimentação. E eu, na primeira noite, tive pesadelos, com coisas tão parvas como ter a sala inundada com a água do aquário. Imaginem só…

ACS_0894-1024x683.jpg

ACS_0893-1024x683.jpg

 

A Tropical Marine Centre disse-me que tenho peixes para três anos e que, com o tempo, iremos aperceber-nos da sua interação connosco. Já percebemos que os “Nemos” são os mais atrevidos e os mais participativos, e temos um casal. Depois, temos ainda um camarão (Lysmata Amboenensis), um peixe branco e vermelho com cauda amarela (Nemateleotris Magnífica), um roxo e amarelo (Gramma Loreto) e alguns caracóis.

ACS_0897-1024x683.jpg

 

Já comecei a pensar como serão as próximas férias e de que forma irei gerir as nossas ausências. Vou ter que “treinar” alguém para vir cá alimentá-los e certificar-se de que estão bem. Tenho a impressão que vai ser mais difícil para mim do que quando passei os primeiros dias longe dos meus filhos. Mas, fora isso, é uma nova companhia que nós temos, que de certa forma nos transmite coisas boas e muita paz.

Hoje já fiz a primeira limpeza do aquário e a mudança da água – mas depois falo-vos em detalhe sobre estas coisas – e quase que se tornam relaxantes aqueles instantes. E eu, que tenho tanta dificuldade em ter momentos em que não penso em nada, acho que encontrei a minha forma de terapia.

Já sei que querem saber detalhes acerca do investimento. O maior é o inicial logicamente, com a compra do aquário e tudo o que isso implica, mas mensalmente não se torna dispendioso. As próprias luzes são de baixo consumo e não precisam de estar 24 horas por dia ligadas.

De resto, ainda me surpreendo, por vezes, quando entro na sala e vejo um aquário destes. Ao mesmo tempo tão bonito e tão irreal, se é que me entendem. Agora é aguardar o desenrolar dos próximos episódios deste “Diário de um Peixe” e não se esqueçam de ir deixando todas as vossas dúvidas e perguntas, que eu partilho convosco tudo o que já aprendi nestes dias.

Para mim, é tudo uma grande novidade também, tanto os peixes, como a aquariofilia, por isso, conto com a vossa ajuda para poder desmitificar o mito em torno dos peixinhos de estimação.Vemo-nos no próximo episódio!

ACS_0895-1024x683.jpg