COMBATER AS CÓLICAS!

Estou em crer que não existe um milagre que acabe efectivamentecom as cólicas; para além disso, cada criança é única e o que funciona com umanão significa que funcione da mesma forma com a outra. E tanto assim é que,sempre que questionamos um grupo de mães sobre o que fazer com as cólicas, asrespostas nunca são unânimes.

Por isso, eu acho que o grande “milagre” é mesmo deixar passar otempo, esperar que o organismo do bebé amadureça e que se adapte aquilo quedeve fazer: digerir o leite, controlar a forma como mama para não deixar entrarar, os intestinos funcionarem de forma adequada, etc. Enfim… aquilo que elesprecisam é que nós tenhamos toda a paciência do mundo; que tentemos aliviar oseu desconforto da melhor maneira – dar muito colo; fazê-los sentirem-seseguros; e, às vezes, deixá-los ficar junto a nós, até, finalmente, acalmarem ochoro e adormecerem.

Tudo isto para vos dizer que, durante a fase complicada daLaurinha, eu não corri atrás de gotas milagrosas,arranjei um “cocktail” que, no final de algum tempo, com persistênciaem fazer as coisas e com muita paciência, resultou em algumas melhoras –contudo, passados os dois meses, a verdade é que tudo o que diz respeito acólicas tende a melhorar. 

Sendo assim, ao longo destas semanas, aquilo que temos feito poraqui tem sido:

  1. UsarInfacalm e Biogaia(estes são probióticos) – por sorte, vinha numa das caixas da Mimobox. Obrigada!!!

  2. Usarum óleo para as muitas massagens preventivas, semprefeitas quando mudava a fralda. Eu usei este daUriage:
  3. Comprei umaalmofada de sementes, que aquecia ligeiramente ecolocava entre mim e a Laura, a cada mamada, para fazer uma pequena pressão nasua barriga. Coincidência ou não, quando ela estava pior, a verdade é que eunotava imensos resultados com esta almofada. Por um lado, acalmava-a e, poroutro, no dia a seguir, não era preciso ser feita qualquer estimulação, pois osintestinos funcionavam por eles próprios.

Não sei se este tipo de almofadas são todas iguais, mas eufiquei completamente fã destas da Erva-Ursa, que, para além de não serem nada caras, a Inês é extremamente simpática e super diligente, eu expliquei a minha”urgência” e em dois dias tinha a almofada na caixa do correio.

Só mais um pequeno pormenor! Lembram-se de partilhar a minhasaga com as rotinas da Laura e com a hora do banho? Pois bem, voltei a mudar obanho para o fim da tarde, pois onde havia choro e excitação, agora há umaLaurinha super zen e calma, que adora estar “debaixo de água” -ficamos ali uns minutos e ela sorri com uma expressão muito serena!

No que respeita à maternidade, não há mesmo outra maneira defazer as coisas, a não ser pela tentativa-erro, até finalmente acertarmos!Ufa… Será que ficamos por aqui?