O tempo não falta, nós é que ou não o sabemos aproveitar ou, então. temos dificuldade em definir as nossas prioridades. Às vezes, parece uma tarefa tão complicada o simples facto de pensarmos naquilo que é mais importante para nós e da maneira como queremos aproveitar os nossos dias/tempo.

Será que quero andar a correr de um lado para o outro?

Será que quero dispensá-lo com pessoas que não lhe dão valor?

Será que dou o meu tempo de forma gratuita em troca de coisas/momentos de nada valem ou que não trazem qualquer retorno para nós?

Eu não! Eu não quero nada disso. O meu tempo é meu, é dos meus filhos, é da minha família, é dos meus amigos (que são como família) e é do meu trabalho. Os fins-de-semana sabem a pouco e passam a correr. O tempo que podemos dispensar ao lazer e às coisas que gostamos é, infelizmente, muito inferior ao tempo que dispensamos com outro tipo de tarefas, por vezes nada divertidas! Portanto, a elação a tirar daqui parece-me óbvia: eu tenho que saber fazer as minhas escolhas e aprender a defender aquilo que é mais importante para mim e para os que estão à minha volta.

Dizia-vos, eu, que, aos fins de semana, deixei de impor o que quer que fosse a minha família, como forma de dar primazia ao tempo de qualidade. Desculpem-me, mas as minhas pessoas precisam mais de mim do que a minha presença é valorizada num evento. Os meus amigos precisam mais de mim do que a minha presença é reconhecida num evento social onde tudo é tão superficial. Desculpem, mas o próprio tempo está a ficar tão bom que não irei dispensar uma oportunidade que seja de nos pôr à estrada, passear, ir à praia, comer um bom peixe ou comer um gelado.

E, assim, hoje fomos até Setúbal. Passamos a Ponte 25 de Abril e deixamos automaticamente para trás o stress da semana e a confusão da própria cidade que se prolonga ao sábado e ao domingo.

Comemos bom peixe e choco frito do bom num dos restaurantes típicos da cidade. E, de seguida, fomos conhecer o Moinho da Maré Mourisca, situado na Reserva Natural do Estuário do Sado. Esta zona alberga uma enorme biodiversidade, nomeadamente de aves, devido à existência de densos montados de sobreiro, extensos caniçais, salinas, sapais, galerias ripícolas e áreas agrícolas, num mosaico paisagístico muito especial.

moinho maré mourisca, setúbal

moinho maré mourisca, setúbal

No Moinho da Maré Mourisca além das actividades na zona envolvente do Moinho, como o observatório de aves ou os trilhos, encontram, no seu interior, um espaço de lazer (onde decorrem temporariamente workshops de várias áreas e exposições de fotografia, pintura, artesanato e de colecionismo), a Cafetaria do Moinho e a Loja.

E, mais do que tudo isto, foi para nós o recuperar do tempo com os amigos, reforçando a amizade e lembrando-nos porque é que é tão importante (e tão bom) sabermos definir as prioridades do nosso tempo.

Se ainda não conhecem, aceitem a sugestão. Saiam da rotina, almocem (bem) em Setúbal e dão um passeio, a seguir, ao Moinho da Maré Mourisca. Respiram outro ar – puro – esquecem os problemas e o trabalho, porque tudo isso irá estar a vossa espera sem tirar nem por. Verdade? 😊

moinho maré mourisca, setúbal

 

 


Modelo das sandálias que a Laura está a usar e que eu recomendo: ver aqui.

Comentários

comentários