Às vezes, ainda penso de maneira inocente. Trabalho muito, muito, despacho tudo o que tenho para fazer a todos os níveis, organizo ainda mais e tudo de forma a conseguir ter dias sem ter praticamente nada para fazer. Ou seja, dias em que uma pessoa só precise de fazer o essencial do dia-a-dia – que já por si só não é assim tão pouco quanto isso. Mas isto não é mais do que uma maneira inocente de olhar para a vida adulta e para a vida em família. Há sempre alguma coisa para fazer, há sempre uma urgência – quando é apenas uma, é excelente – e nunca, mas nunca podemos dizer que temos tudo controlado.

Portanto, por onde querem que eu comece? Eu dou uma ajuda, pois é mais fácil 😊

1.Lembram-se da fase de cruzeiro da maternidade? Pois bem, nos próximos tempos, essa fase irá ser interrompida para se dar início ao desfralde da Laura. E isso obriga-me a ir às compras. São precisas as tão desejadas cuecas e, a verdade é que ela sempre que pode, agarra umas do irmão e veste. Pontanto, espero que o desenrascanço seja geral! Depois, é preciso comprar um redutor e é preciso eu encher-me de coragem, algo que, infelizmente, não se encontra à venda.

Com o Vicente tivemos um avanço, depois um recuo e à segunda tentativa foi de vez. Fiz tudo sozinha, ou seja, sem colaboração da escola, pois ele ainda não estava na escola. Embora não saiba se isso é de facto uma ajuda ou não – qual é a vossa opinião? E, para rapaz, confesso que acho ter sido relativamente fácil. Tem sido, por exemplo, mais difícil controlar agora os descuidos noturnos. Contudo, deixo esse assunto para uma outra ocasião, mas se tiverem dicas, por favor, deixem nos comentários.

2. Os dois precisam de calçado: ténis, sandálias, sapatos mais frescos e mais adaptados a esta altura do ano. E agora, eu, mãe, me confesso, os dois têm andado com o mínimo indispensável, porque os dois têm o pé a crescer à velocidade da luz. Não exagero ao dizer que, em semanas, queixam-se do calçado apertado. Por isso, mea culpa, pois tenho comprado aos poucos…. muito pouco, vá!

3. Preciso fazer uma ronda pelos armários e tirar as roupas muito quentes e ir buscar as mais frescas. É preciso fazer a triagem do que serve, do que não serve, do que vai para o lixo e do que vamos dar. E parece que foi ontem que andei a fazer toda essa arrumação, porém no sentido inverso: do calor para o frio. Enfim, estou a procrastinar… A boa notícia é que já fiz umas primeiras compras para os dois na C&A. E, como tal, não ficaram desprevenidos quando os primeiros dias de calor a sério, mesmo que ainda poucos, deram o ar da sua graça.

4. Consultas de rotinas: preciso marcar o rastreio da visão para o Vicente.

5. Os brancos (os cabelos)!!! Como é que é possível que pintar o cabelo para esconder os brancos já seja obrigatório na minha vida? Não sei…, mas que já se notam bem, já!

6. Pequenas bricolagens caseiras cuja iniciativa, para serem feitas, tem que partir precisamente da minha iniciativa. Quem mais passa por isso em casa?

7. E, por fim, tenho que resolver burocracias, nomeadamente as que envolvem a Segurança Social.

Assim por alto e para que não me esqueça, é isto o mais urgente. Entretanto, e para recuperar o folgo, vamos fazer uma paragem técnica este fim-de-semana para repor os níveis de vitamina D… MERECEMOS! Os últimos tempos têm sido pesados com doenças, maleitas, imprevistos e tudo relacionado com a saúde. Retomamos a vida normal, mas sem efectivamente recuperar a energia. Merecemos!!!

Comentários

comentários