Exactamente! Fui enganada logo na casa da partida e passo a explicar onde quero chegar, porque o assunto é como é ser mãe de menina na verdade! Engravidei de uma menina e aparentemente sofremos de uma lavagem cerebral de imediato como se o universo das meninas se reduzisse a toda uma delicadeza, a todo um conceito de harmonia, organização e de perfeição.

E quase como se, em nossas casas, passasse a haver uma clara separação do género, uma nítida separação entre o que representam os meninos e o que representam as meninas. Concepção, segundo a qual, as meninas são mais bem-comportadas que os rapazes, sendo estes igualmente mais estouvados do que as meninas. Ora bem, eu também tenho algo a dizer sobre este assunto e lamento se vou desiludir algumas futuras mamãs. Mas a verdade precisa ser reposta para que outras mães não caiam no engano tal como aconteceu comigo.

Tenho dois filhos com uma diferença de idades de três anos. Primeiro tive o rapaz e, de seguida, a miúda. Tive um parto da minha filha que foi maravilhoso – se tivesse a garantia que com o terceiro iria ser assim, acreditem que mais facilmente cedida à possibilidade – e amamentei sem problemas até ela querer. Contudo, senhores e senhoras, ela não me deu uma única noite decente de sono logo desde que nasceu e até ter quase dois anos. Senhores e senhoras, para adormecer é um festival, cujo único efeito positivo que tem é o de fazer com que eu adormeça mais cedo e assim cumpra à risca as indicações de me deitar antes da meia noite.

Porém, isto não é o mais “chocante” nesta minha estreia no universo feminino. Aquilo que me deixa realmente perplexa é a forma como ela é desarrumada, a forma destrutiva com que trata as coisas, a teimosia com que tenta levar sempre a dela avante – e, regra geral, sempre para ser do contra. É perentória em não querer arrumar as coisas, em deixar os sapatos e o casaco, mal chega da rua, em qualquer lado, espalhados pelo chão, não gosta de se pentear ou secar o cabelo e nem pensar em colocar qualquer adereço que seja no cabelo. É a primeira a desafiar o irmão para os comportamentos rebeldes, aquela que se esconde e fica sossegada a fazer traquinices, a primeira a acordar e a última a adormecer, aquela que espalha a comida toda pelo chão e a que suja roupa… senhores do céu… só porque teima em comer sozinha e em não usar babete. E, por fim – pois não me irei alongar na descrição que é para, quando ela souber ler, não se aborrecer comigo ao se deparar com este texto – é perita em fazer obras de arte -ah ah ah obras de arte… – nas paredes de casa e a colar autocolantes por t-o-d-o o lado!

Minha rica filha, és um doce de menina e sabes dar-me a volta de forma exímia. Ainda assim, ficas sabendo que o teu lado safado não se fica nada a atrás e é… ao mesmo tempo, aquilo que te dá um charme e uma personalidade que não deixa ninguém indiferente.

Contudo, quem é que disse que as meninas são mais calmas e mais organizadas que os rapazes. QUEM?! 🙂

 

Comentários

comentários