Não levava muitas expectactivas para Estocolmo. Alguns dias antes da viagem fui guardando as dicas que alguns amigos partilharam e, mais tarde, juntei as vossas. Mas o grande objectivo (inicial, pelo menos) era tão somente o de desfrutar de uma cidade diferente, aproveitando a leveza e a descontração por não ter levado filhos.

Porém, após a primeira tarde que fui-me apaixonando cada vez mais. Talvez por culpa daquela moldura branca que dava um toque especial à cidade – sim, mesmo com todo aquele frio. Depois. apercebi-me também que, afinal, é uma cidade fazível a pé, tal como eu gosto, e que tudo era relativamente perto do nosso hotel. E, posto isto, se a primeira tarde foi apenas para reconhecimento do local, os restantes dias foram de turismo a sério que me fizeram regressar com a alma cheia e feliz por mais uns tempos.

E tal como o prometido, deixo aqui as minhas dicas que, no fundo, não são mais do que uma compilação de todas os inputs que fui recebendo de parte de vós e de amigos que já tinham visitado Estocolmo.

1.Museus e Monumentos

Vou começar por aqui e, sem dúvida, que os dois primeiros são de visita obrigatória se algum dia estiverem em Estocolmo.

VASA Museu: foi uma autêntica surpresa para mim, pois achava que não ia gostar assim tanto. Mas é surpreendente conhecer a história da reconstrução deste barco, especialmente numa época em que não existiam os conhecimentos, os apetrechos e os meios técnico-científicos de hoje. Impressionante é também ver a reconstrução que foi feita das histórias e da própria fisionomia de algumas das pessoas que estavam no Vasa no momento em que se afundou a partir dos restos humanos encontrados. E agora sim, graças à evolução da ciência, mais concretamente da osteologia.

vasa meuseet, estocolmo

Museu de Fotografia – Fotografiska: para além da parte do museu, tem igualmente, no último piso com uma vista em incrível sobre o mar báltico, um bar com música ao vivo, uma cafetaria e um restaurante. E eu não podia ter saído de lá mais inspirada. Foram três pisos com três exposições diferentes, mas todas tinham o mesmo denominador: o facto de serem o espelho do trabalho e da história de três mulheres que são uma referência no mundo da fotografia e na própria indústria. Três mulheres de personalidade e história diferentes, cheias de women power e provenientes de culturas completamente diferentes. Se tiverem curiosidade, sugiro pesquisarem estes três nomes: Chen Man, Zanele Muholi e Ellen Van Unwerth.

Palácio Real: acho que vale sempre a pena, especialmente quando se trata de um país que tem uma família real bem presente nos nossos dias. Para além disso, fica situado numa zona mais antiga da cidade que vale muito a pena conhecer.

2.Zonas/Ilhas da cidade a visitar:

Gamlan Stan: é, portanto, até aqui que o ponto anterior nos leva. É uma zona com uma arquitetura já um pouco diferente, onde, para além do Palácio Real, encontram várias lojas de designers suecos, misturadas com as lojas de souvenirs. Vale a pena percorrer as ruelas desta zona mais histórica e antiga. De referir, que Gamlan Stan fica já numa das ilhas da cidade, mas a qual se chega perfeitamente a pé.

gamlan stan, estocolmo

Sodermalm: esta é uma igualmente uma das ilhas da cidade e, desta vez, apanhamos o ferry para lá chegar. Encontram muito comércio (tem muitas lojas de rua e um centro comercial) num estilo mais diferente e alternativo. É uma zona mais urbana e com traços mais modernos, percebendo-se que é também mais residencial. É aqui que encontram o Fotografiska, por exemplo.

Um dos passeios mais bonito é feito junto do canal ao longo da Strandvagen, disseram-nos ser das zonas mais agradáveis de Estocolmo. E por aí que vamos em direcção à ilha onde se situam os museus VASA e dos ABBA.

Pela cidade vão encontrando vários centros comercias. E pela beleza do edifício em si, diria que têm que visitar o NK – Nordiska Kompaniet – mas preparam-se, pois, as marcas são mais caras. E, então, para fazer compras mesmo, acho que vão gostar do Centro Comercial Ahléns. Porém, se forem como eu e apreciarem mais as compras nas lojas de rua aconselho a Birger Jarlsgatan.

3.Parques e Jardins:

Kungstradgarden: Junto ao mar báltico e com vista para Gamlan Stan e o Palácio Real. Foi também aqui que encontrei a pista de gelo.

Parque Berziliipark: junto ao teatro Dramático Real e também perto do canal de onde saem os barcos de passeio.

4.Para comer:

Espresso House: para pequeno-almoço, lanche e refeições ligeiras. Há vários espalhados pela cidade e eu fiquei muito fã. A oferta é diversa, saudável e qualidade e o preço super em conta. Eu adorei o cappuccino com leite de aveia e as saladas de quinoa e bulgur. Mas também provei os deliciosos cinnamon rolls.

Ulla Winbladh: uma autêntica casa de charme e arriscaria dizer, um restaurante tipicamente sueco. Ambiente tranquilo e bem decorado, ideal para provar as famosas almondegas com molho castanho.

Koh Phangan: de comida asiática muito boa e com atendimento, mas vocês têm que ir pela experiência. Desde a decoração, que se assemelha a uma selva, até ao riacho e aos sons. Têm que ir!

koh phangan estocolmo

Restaurante Paul´s: Fica situado num hotel, tem um bar no piso inferior, bom ambiente, comida boa, mas um menu mais limitado e foi o mais caro de todos.

Restaurante Wagamma: eu não conhecia, mas parece que é uma cadeia de restaurante asiáticos bastante conhecida. Eu gostei muito!

restaurante wagamma estocolmo

De referir é a facilidade com que fazemos alimentação saudável e equilibrada, pois existe oferta! Existem opções sem glúten e para quem tenta fugir da lactose, ficquei contente por perceber que as opções que existem não se resumem ao leite sem lactose ou à bebida vegetal de soja.

5.Alojamento:

Nos ficamos instalados no C Hotel Stockholm, a localização foi perfeita, pois estávamos perto de todos os locais que referi acima, como também estávamos mesmo ao lado da estação Arlanda Express, onde param os comboios que veem diretamente do aeroporto. O pequeno-almoço entrou para os meus preferidos precisamente pela variedade e opções saudáveis que tinham.

Estocolmo pareceu-me ser uma cidade muito family e baby friendly e que ser ser igualmente muito agradável nos meses de primavera ou verão, Posto isto, digo-vos que ficou aqui na lista daquela a visitar em família (brevemente).

Gostei mesmo muito destes quatro dias em Estocolmo!

Não se esqueçam que os suecos não gostam de andar com dinheiro e, por isso, na grande maioria dos locais só aceitam pagamentos com cartão.

Comentários

comentários