Este é o terceiro dia em Estocolmo, a maior cidade e capital da Suécia, e é uma completa estreia para mim. A viagem de avião dura cerca de 3h55 minutos e sim, entra naquele timing em que uma pessoa já se aborrece um pouco, especialmente se não conseguir adormecer, como é o meu caso. E, nesta coisa das viagens, eu sou um bocadinho como no toca aos filmes, ou seja, antes de repetir um destino, tento que o próximo seja sempre uma novidade. Mas claramente que tenho/temos um padrão, pelo menos ultimamente, que é o de andarmos sempre em destinos frios! – e por falar nisso, acho que foi Roma a última cidade em que estivemos numa outra altura do ano que não o inverno.

Consequentemente, a primeira impressão tem mesmo a ver com o tempo. Estocolmo é a cidade mais fria em que estive até hoje. No entanto, considero ter vindo bem preparado para o e enfrentar. Como sabemos, é essencial vestirmo-nos por camadas (tipo cebola), ter um casaco bem quente, luvas e botas de pelo, gorro e cachecol. Esquecam lá as modas e as tendências, pois o que eu quero é andar razoavelmente confortável na rua, o suficiente para aproveitar os dias ao máximo.

Depois, é seguramente uma cidade muito organizada, não há trânsito, as pessoas são na sua generalidade simpáticas e prestáveis quando pedimos algum tipo de ajuda ou informação. É muito fácil comer bem e de forma saudável, pois há oferta e uma oferta de qualidade. Estou muito contente com isso! Esta viagem está a correr muito bem também nesse aspecto.

As pessoas são bonitas e elegantes, a cidade é bonita – claro que a estou a ver com uma moldura à volta, a neve. Os sítios estão cheios de gente ao cair da tarde, e é isto que eu aprecio nestes povos do norte da Europa. E isto tudo misturado torna Estocolmo uma cidade apelativa e onde nos sentimos bem.

Tinham-nos dito que é uma cidade super cara, mas, na verdade, não estou a sentir um grande impacto. A título de exemplo, o preço médio de um jantar para duas pessoas tem sido 50 euros. Em termos de lojas, a única que fazia mesmo questão de visitar era a & Other Stories, que é sueca, que já conhecia de Bruxelas e que adoro, mas tudo o resto que tenho visto, anda igualmente dentro dos preços considerados normais. Contudo, não se esqueçam que aqui estamos fora da zona euro.

Temo-nos deslocado a pé – sim, mesmo com o frio – e o máximo que fizemos, foi hoje precisamente hoje, cerca de meia hora a andar. Mas calma, que uma pessoa vai em modo passeio e nem dá pelo tempo passar. As fotografias que vamos tirando é um pouco à sorte, porque não há condições para estar sem luvas durante muito tempo.

Entretanto, eu devo ser mesmo daquelas pessoas que se dá bem em climas frios, porque consigo desfrutar e passear, adaptando sem grandes complicações ou desconforto. Se estamos, é para a aproveita ao máximo. Esse é o meu lema.

As dicas vão ficar para um segundo post, pois ainda temos muito por descobrir!

P.s: E acho que foi uma decisão acertada vir sem o Vicente e a Laura, pois acho que, desta vez, não teriam tirado o partido esperado da viagem.

Comentários

comentários