Receber o ano novo em nossa casa está muito relacionado com o momento em que arrumamos as decorações de natal. De certa forma, a casa ganha uma harmonia diferente e acabo sempre por aproveitar o impulso e organizar o resto da casa.

E embora não queira tornar-me repetitiva, reforço que a nossa casa acaba por ser uma extensão de nós mesmos. É o reflexo dos nossos estados de alma e, ao mesmo tempo, o nosso refúgio. Daí que, não raras vezes, arrumar a casa torna-se uma prioridade. E agora que tenho dois filhos, arrumar é o meu dia-a-dia, reciclar e renovar também, porque tenho que, a todo o custo, contrariar a quantidade de coisas que se acumulam e que acabam por ir ficando espalhadas pela casa, devido à falta de espaço.

Portanto, o meu lema para 2018 acaba por ser a continuação de algo que iniciei no verão passado: optimizar a minha casa, permitir-lhe um ar mais leve, confortável e, nesta altura do ano, também muito quentinho.

manta burreguito para cama

Este exercício de destralhar, sem que daí a semanas se volte a ter acumulado outras (muitas) coisas, não é fácil. Não é fácil porque nós, seres humanos, somos demasiado emocionais e apegados a coisas materiais mesmo que não tenham qualquer utilidade no nosso dia-a-dia. E, para além disso, não é fácil porque quando se tem filhos, os brinquedos (e tantas outras coisas) multiplicam-se sem termos consciência disso no momento, porque o lado emocional assume proporções ainda maiores, afinal, é o só “mais trabalho da escola”, é só “a primeira roupinha”, é só mais “um par de sapatos que podem vir a servir à irmã” e daí em diante.

Porém, quando começamos a conseguir viver com menos e a dizer adeus à grande parte das coisas que estão a mais, o sentimento de felicidade e de bem-estar é tão grande que rapidamente já nos faz confusão o contrário. Neste momento, mais do que uma decoração, procuro que a minha casa reflita um lado funcional que vá ao encontro da minha grande necessidade: arrumação. Quero menos coisas espalhadas pelo chão, quero mais espaço para esconder o que anda por aí e isso passa por todas as divisões da casa.

E, neste processo, há “princípios” que já conseguir definir e que para mim são fundamentais:

  • Menos objectos de decoração (e mais seleccionados) e mais “objectos” de arrumação ou que cumpram essa dupla função: decorar e arrumar, como os cestos que uso para guardar mantas e revistas.
  • Prateleiras para tirar as coisas do chão;
  • Cestos e mais cestos e tentar segmentar os brinquedos, por exemplo (e aí vamos perceber que muita coisa está a mais);
  • Roupa de cama, almofadas e mantas para os dias frios de Inverno. E estou muito apaixonada pela manta burreguito que trouxe também do Jumbo. Esta manta com pelo que é um autêntico forno, no bom sentido.

manta burreguito para cama

  •  E há algo que também é fundamental cá em casa: os resguardos impermeáveis. Não sei se como é com os vossos filhos, mas chegados ao inverno, há tendência para haver descuidos nocturnos um pouco mais frequentes de xixi na cama. Parece que até é normal dentro do género, mas é muito chato e muito cansativo.
  • Caixas e caixinhas;
  • Molduras;
  • E ter uma casa perfumada, claro, com estes tipo de difusores, por exemplo:

difusor de cheiro para casa

Uma casa desarrumada retira-me a capacidade de concentração e até a paciência para fazer as coisas. Sentir que não tenho lugar para tudo, com as coisas a serem deixadas aqui e ali, é meio caminho para o caos.

No entanto, a parte boa é que a transformação não tem sido feita ao acaso. Percebi que primeiro é preciso arrumar e depois então procurar aquilo que precisamos. E é nessa procura que tenho aprendido a perder mais tempo e a estar mais atento às grandes superfícies, onde facilmente encontro tudo aquilo que eu preciso a preços mais simpáticos. E a verdade é que só há bem pouco tempo é que comecei a parar mais tempo nos corredores de decoração e de arrumação dos hipermercados. E de tantas vezes que vou de propósito ao Jumbo em Alfragide às compras, não se justificava que nunca tivesse prestado atenção a este tipo de oferta. Gastando um pouco mais nas compras do mês, acabei porque trazer coisas funcionais que voltam a ser precisas daqui a um ano, quando chegar o próximo inverno.

Mudar é óptimo, portanto, se o podermos fazer com a regularidade que necessitamos tanto melhor, certo?

A Laura, pelo menos, diz que sim!

saco de dormir para criança nemo

 

Boa noite!!

Comentários

comentários