Uns dias antes da passagem de ano, fomos os quatro, aproveitando as férias do Natal, até Alfama. Para além de ser um bairro onde se respira Lisboa e o seu espírito “bairrista” que não existe em mais sítio algum deste planeta, há também a Fábrica do Pastel de Feijão.

pastel de feijão chef antónio amorim

E antes que fiquem já com a imagem do tradicional pastel de feijão na cabeça, apresso-me a dizer para tirarem daí a ideia. Não tem nada a ver com o aspecto. E não tem nada a ver no sabor. Este Pastel de Feijão que, para já, só encontram mesmo em Alfama, é uma criação do Chef António Amorim e para a qual foram precisos quatro anos de trabalho até se chegar ao resultado final.

A ideia de recriar o pastel de feijão surgiu meio por brincadeira num jantar entre amigos, mas que rapidamente se tornou um compromisso sério. No entanto, se a inspiração partiu do pastel de feijão, tal como o conhecemos, a verdade é que ao longo dos quatro anos que levou a contruir esta receita, o resultado final nada tem a ver com o ponto de partida. E uma viagem deliciosa em torno do paladar e das texturas.

E a verdade é que naquele dia meio cinzento e chuvoso já no finalzinho do mês de dezembro, eu não estava nada à espera de descobrir um sítio tão diferente. Não estava nada à espera que este pastel de feijão fosse tão bom e muito menos que nos fosse servido pelo próprio Chef António Amorim.

E digo-vos mais, como consumidora e a viver neste mundo em que as sociedades se orientam para um estilo de vida em modo fast e massificado, faz-me ter necessidade de procurar cada vez mais experiências que valham a pena, experiências que nos transmitam a sensação de serem únicas. Valorizo quando o serviço tem um cuidado e uma atenção naturalmente especial. E, de facto, ter visto o próprio Chef ali, a dar a cara e a zelar pelo seu serviço e, sobretudo, para que a experiência com o seu pastel de feijão seja tal e qual como deve ser, deixou-me lisonjeada.

A humildade com que falou connosco e a simpatia que teve para com o Vicente e a Laura, são pequenos “detalhes” que me farão lá voltar sem dúvida alguma. E juntar a isso, o inegável sabor delicioso do pastel de feijão.

E tanto assim foi que quisemos logo encomendar um grande para o nosso jantar de passagem de ano. E foi no próprio domingo dia 31 de dezembro que voltei a estar com o Chef António Amorim, pois foi ele mesmo a deslocar-se até nossa casa para o entregar. E estão a ver aquele cuidado que se tem com um filho e as recomendações que deixamos para que tudo corra às mil maravilhas? Assim foi.

pastel de feijão chef antónio amorim

E vale a pena, porque se este pastel de feijão em formato de bolo equivale a 12 porções, foram 12 pastéis de feijão que se comeram naquela noite – e só para tentar aligeirar o assunto, éramos cinco adultos. Mas contra factos, não há argumentos, é demasiado bom para se resistir! Perdoem-nos a gula, mas experimentem e depois digam-me se tenho ou não tenho razão.

Bom dia!

Comentários

comentários