Dia 1 de janeiro de 2018, todo um mundo de novas oportunidade e desafios pela frente. É hora de nos libertarmos da intensidade do mês de dezembro é um mês intenso que, na minha opinião, é o culminar daquilo que foi o nosso ano e encarar com leveza e de espírito aberto tudo o que há-de vir. Para mim, não há resolução melhor do que esta: “colocar as mãos à obra” em tudo na nossa vida. Não vale cruzar os braços, não vale desistir antes de tentarmos, no mínimo, 45 987 vezes e muito menos aceitar um não como resposta.

No entanto, para além das resoluções que, para mim, não são mais do que orientações para eu me manter focada nos meus objectivos e por isso, não há cá sentimentos de frustração caso alguma delas não seja alcançada. Quando assim é, a lição a tirar daí é simplesmente que temos que continuar com as “mãos à obra” no ano seguinte.

E às resoluções juntam-se as minhas “superstições”. No fundo, hábitos que eu mantenho em todas as passagens de ano e que até já fui convertendo o marido, os filhos e os amigos. Por exemplo, passar a meia noite em cima da cadeira e comer as doze passas – não é do agrado de todos, mas… Este ano, enchemos ainda um conjunto de balões com papelinhos cheios de palavras de motivação que deixamos voar em liberdade pela janela. Também procuro ter uma peça de roupa para estrear no dia 1 de janeiro, dia em que procuro que seja passado da forma como eu espero que o resto do ano venha a ser vivido. Com harmonia, em família, ir para junto do mar, se possível, ter menos smartphones, tablets e tudo mais que nos consome tempo precioso diariamente.

E ontem foi precisamente isso que aconteceu. Depois de muitos dias bastante atarefados e de tanta partilha nas redes sociais, senti uma enorme necessidade de estar só com os meus, de conversar mais, de brincar mais, de não me distrair ou estar de olhos fixos a fazer alguma no telemóvel ou no computador.

Afinal, o que eram estas 24 horas entre as tantas horas que 2018 nos vai trazer pela frente? Nada! Mas, ao mesmo tempo significaram muito para nós. E, em 2018, eu quero mesmo ter a capacidade para gerir o uso do telemóvel, especialmente quando quero estar com os meus filhos. Mas para isso tenho que melhorar a minha organização.

E assim, meios desligados do mundo, brindamos a chegada do novo ano da melhor forma possível. No primeiro dia de janeiro demos passeio no Guincho, aproveitamos o tempo maravilhoso deste inverno tão ameno, os miúdos estiveram na rua, nós estivemos em família, a casa ficou mais leve, porque nas arrumações do pós-festa aproveitamos para retirar já algumas das decorações de natal e eu ainda cuidei de mim já quando todos dormiam. E, a partir de hoje, entramos novamente na rotina de mais um ano.

Bom Dia!

__________________________________________

Vicente e Laura vestidos com roupa da marca C&A e Kiabi – sim, estou mesmo muito fã destas duas marcas e muito satisfeita com a qualidade da roupa.

Comentários

comentários