Heim Café situa-se na zona de Santos, em Lisboa, e já não assim tã novidade quanto a altura em lá fomos pela primeira vez. Aliá, percebe-se pelas fotografias que as temperaturas eram outras! Confesso que havia muita vontade em lá ir, porém saber que existem sempre filas de espera andava a adiar essa experiência, porque, afinal, ninguém gosta de espera com fome. Não é verdade?

brunch Heim Café

Heim, que significa casa em alemão, é gerido por um casal de ucranianos e tem realmente o efeito acolhedor de uma casa. Seja pela comida, que é maravilhosa, seja pelo próprio espaço em si. Embora não muito grande, é bonito e está bem decorado. É daqueles espaços que consegue ter uma alma própria, percebem? E acho que isso, aliado ao elevado nível de qualidade da comida explicam o porquê do tempo de espera para brunch. E depois de ter experimentado, o meu conselho é:

Esperem porque não se vão arrepender, pelo menos uma única vez.

A empatia pode não ser imediata, no entanto, se olharmos à volta, facilmente se percebe que gerir uma casa cheia, com pedidos a toda a hora e ainda ter mais uma fila de pessoas que não se sabe bem quando se pode dizer que vão poder sentar-se, não deve ser fácil. Ainda assim, quando o contacto é maior e mais directo, esqueçam, pois são pessoas bem genuínas e afáveis.

Foi no Heim Café que eu comi a melhor tosta de abacate da minha vida e isto tem algum mérito. Eu não sou apreciadora, mas tento comer, pois tenho a esperança de um dia vir realmente a gostar, mas nunca tinha comido e ter ficado com vontade de repetir. No final, ainda tentei saber como era feita aquela pasta, mas esquecam, é um segredo bem guardado! 🙂

Ao domingo há um menu especial de brunch com duas opções, o Verde e o Amarelo, e o preço não vai além dos 9 euros, fora os extra, claro. Para além do brunch é possivel passar pelo Heim Café para tomar o pequeno-almoço, para lanchar ou simplesmente para beber um copo.

Fiquei reealmente fã e, sem dúvida, que entrou directamente para o meu Top de locais para brunch.

 

–>> Onde estivemos antes: On Sundays we brunch #6 | The Mill

Bom domingo.

 

Comentários

comentários