Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

Querido Novembro, adeus e até um dia!

30.11.17 | Vera Dias Pinheiro

Hoje é o último dia do mês de Novembro e houve um ciclo na minha vida que se fechou. Sendo assim, acho que posso afirmar que consegui retirar a lição certa de tudo o que aconteceu nos últimos tempos e, se há um ano, eu estava a abraçar uma nova vida ao despedir-me, pelo meio de tudo o que de bom isso me trouxe, caminhei por vales e montanhas. Nem sempre consegui estar serena e confiante. Por vezes, tentei encontrar atalhos para não passar por uma ou outra situação. Mas não valia a pena, estava escrito que tinha que passar por tudo isto e quando finalmente "cheguei lá", numa semana tudo aconteceu e tudo se resolveu.


Querido Novembro és o meu mês do tudo e do nada, o mês das tormentas, mas também das conquistas. És o mês que me deita por terra, que me faz sentir insegura, frágil, que me faz pensar em desistir de tudo. No entanto, se te analisar com algum distanciamento e imparcialidade, és o mês que me faz sempre renascer e tornar uma mulher mais forte e mais segura de si. És o mês que me faz acreditar que o desfecho de tudo depende praticamente apenas de mim e da minha capacidade para lidar com os obstáculos. Para isso, basta-me ser capaz de cumprir a árdua tarefa de "aprender" as lições no momento certo.


No meio de tudo, foram os meus filhos os mais sacrificados. Foi com eles que perdi mais vezes a paciência e, muitas vezes, me quis alhear das obrigações. Sei que, nas ultimas semanas, não consegui dar tudo em tudo, mas agora o tempo é para eles. Agora vamos de férias e mesmo que os miúdos sejam sempre miúdos em qualquer parte do mundo onde estejam, mudar de ambiente de alguma forma dá-me um boost de energia. Sei que, em férias, vou obrigatoriamente estar mais relaxada e mais descontraída com as rotinas e com eles. O objetivo é estarmos juntos, em família e aproveitar ao máximo.


Querido Novembro contei os segundos de cada dia para chegar até aqui. Não ajudaste e fizeste os dias parecerem mais longos e mais difíceis, mas eu mantive-me o mais firme possível e esperei - só eu sei como esperei, só eu sei como foi difícil conter a ansiedade e os nervos. Mas, finalmente, fechou-se um ciclo e há um ano que está prestes a terminar. Daqui para a frente, não sei bem o que me espera, não sei que mais provações estarão por chegar.


Contudo e se não for pedir muito, deixem-me só tirar umas férias desta vida de adulto, dos problemas, das burocracias, das complicações e tudo o resto. Se não for pedir muito, deixem-me só gozar os dias de forma leve e descontraída, sem ter que fingir que está tudo bem. Deixem-me só assim, nesta simplicidade da vida uns tempos, se não for pedir muito.


Adeus Novembro, voltamo-nos a cruzar no próximo ano! Até lá, fica bem!


  

Photo Credits: Lovetography


Calendário do Advento: Ideias DIY com crianças

30.11.17 | Vera Dias Pinheiro

 

Esperamos um ano inteiro por esta altura do ano. O mês de Dezembro começa já amanhã e há quem já tenha toda a casa decorada, mas nós ainda não. Esperamos pelo primeiro fim-de-semana do mês para dar início às festividades. Começamos pela decoração e fazer a árvore de Natal e, aos poucos, à medida que nos vamos aproximando do dia 24, vou pensando em coisas giras para fazer com os miúdos. Coisas giras e alusivas a esta quadra, porque a magia do Natal é isso mesmo: é mágica! Os dias são para ser vividos ao máximo, as crianças devem sentir essa adrenalina e não é pelos presentes, mas sim por tudo o resto. Neste sentido, uma das nossas tradições, digamos assim, é o Calendário do Advento. Para os miúdos é uma excitação pensar qual será a surpresa para aquele dia e a mim, ajuda-me a organizar um pouco os dias e pensar previamente no que fazer. Por isso, lembrei-me de ir à procura de inspiração para fazer um Calendário do Advento para fazer com o Vicente e com a Laura.

 

Se há coisa que tenho aprendido com a maternidade e com os filhos e que, à medida que vão ficando mais crescidos, facilita muito e ajuda muito a que eles percebem o que se passa, explicando o que vai acontecer e como vai ser, assim como, as envolver sempre que possível nas actividades.

 

E como amanhã, dia 1 de dezembro, é feriado, porque não iniciar o Advento precisamente com a construção do vosso próprio calendário? Eu dou uma ajuda partilhando com vocês algumas ideias que encontrei no Pinterest. Vamos a isso?

 

  • Calendário do Advento usando rolos de papel higiénico vazios.

 

Não vos digo para irem agora desfazer 24 rolos de papel higiénico, como é óbvio. Mas caso tivessem oportunidade, aqui ficam três ideias bem simples e engraçadas. Já viram como é que uma coisa tão básica se torna tão versátil e com tanto potencial?

 


 

 

  • Calendário do Advento em formato de árvore de Natal:

 

Esta ideia é muito engraçada, pois podem colocar num local acessível das crianças e serem elas próprias a preencher. No fundo, só têm que fazer a árvore de natal, que será a base e podem fazer no tipo de material que quiserem. Depois, arranjam os adornos que desejarem, e o objectivo é ir colando um a um, todos os dias. Nas imagens abaixo vêm, por evemplo, que num foi usando ponpons e no outro fotografias.


Se preferirem, podem fazer o mesmo, mas usando a figura do Pai Natal como "base" e ir preenchendo as suas barbas brancas.

 


calendário do advento        

 

  • Calendário do Advento feito com aquilo que me parece ser uma forma de fazer queques. Será?

 

Neste caso só têm que cobrir a superfície, sendo que, lá dentro, estão as supresas para cada dia do Advento.

 


calendário do advento

 

  • Calendário do Advento em "pote de actividades":

 

É talvez a ideia mais simples de todas. Num frasco de vidro, que tenham em casa, colocam 24 cartões, cada um com uma mensagem, uma actividade, um desejo, o que quiserem.

 


calendário do advento

 

Uma alternativa ao frasco de vidro, é, por exemplo, dispor os cartões desta forma:

 


calendário do advento

 

  • Calendário do Advento em que arranjam uma base, colam 24 sacos de papel pequenos e, lá dentro, as surpesas. 

 

Esta pode ser a opção mais cara de todas e em que vamos estar a ser menos amigos do ambiente. Por isso, outra sugestão é aproveitar para fazer reciclagem de algo que possa cumprir a mesma função dos sacos.



 

 

E, como viram, em nenhum deles, se falou em chocolates. Acho que esta é uma oportunidade para darmos um pouco mais aos nossos filhos e inclusivamente, fazer-lhes passar uma mensagem, assim como alguns valores que consideramos importantes.

 

Qual foi o Calendário do Advento que vocês mais gostaram? :)

 

No ano passado foi assim: O dia 1 do Advento chegou

 

Boa tarde.

Quase, quase a fazer as malas. Mas antes....

29.11.17 | Vera Dias Pinheiro

Está a aproximar-se a hora de começar a preparar as malas para as nossas férias de Natal. Numa semana intensa e com muitas coisas para deixar concluídas, numa semana em que fechei um ciclo, em que encerrei capítulos da minha vida, estas férias chegam no timing perfeito. O ideal seria mesmo conseguir relaxar, mas não vão ser esse tipo de férias. Para além disso, por mais que eu tente, na minha cabeça acciona-se um chip que me leva a aproveitar cada minuto, cada dia desses momentos.


Mas obviamente que enquanto estou a dar o litro, por um lado, para terminar todos os trabalhos que tenho agendados e para adiantar alguns conteúdos para aqueles dias. Por outro, a minha cabeça já não pára de pensar em coisas como: “Onde raio meti o saco do carrinho, muito quente, e que é mesmo preciso levar?” ou “Onde estará a capa da chuva, pois só encontro a do ovo?” ao mesmo tempo que já começo a pensar nas roupas dos miúdos, na minha, se é preciso comprar mais alguma coisas, etc… Ah! E também quero fazer a árvore de Natal antes de irmos e não quero que seja uma coisa feita a despachar.


Enfim, na minha cabeça geram-se mil pensamentos, há mil coisas para tratar, outras tantas no dia-a-dia para fazer e já sei que o stress das malas vai acontecer mais uma vez. Das duas uma: ou consigo estar muito bem disposta (e isso implica está descansada) ou então, já sei que vou-me irritar porque inevitavelmente vou sentir:


Que ninguém me vai ajudar, que deixam tudo à minha responsabilidade, que acham que eu sou infalível e que não me esqueço de nada. Vou sentir que, por vezes, que alguém assumisse as rédeas por mim.

Nada para o qual eu não esteja preparada, sem bem não é por isso que estas coisas deixam de acontecem.


O relaxe só vai chegar quando entrarmos no aeroporto e sentirmos aquela adrenalina de quem vai viajar. Perfeito, só mesmo com tempo suficiente para ver as lojas - que nunca - e para tomar um café. Depois é (só) mais um bocadinho de stress até nos sentarmos no avião e uma incógnita sobre como correrá a viagem. Carrinhos para deixar à porta do avião, mochilas e casacos e duas crianças, uma de colo, um corredor apertado, muitas pessoas, todas com muita pressa de entrar e sentar, um calor insuportável até o avião levantar voo. Depois, é só esperar até chegarmos, passar pelo mesmo na saída, mas já mais tranquilos. E, por fim, respirar profundamente e embarcar em mais uma aventura.


Por tudo isto, o que me custa mais é sempre a parte de fazer as malas e a partida. Porque é quando a exigência é maior, é quando é preciso pensar e organizar mais; outras vezes, é só mesmo uma questão de inspiração. Mas, lá está, para haver é preciso que o nosso estado de espírito esteja menos acelerado.


E, nas últimas semanas, eu tenho andado tudo menos zen! Senti mesmo que tinha que abdicar de algumas coisas por ter consciência que não podia fazer tudo. Muitos dos eventos, por exemplo, para os quais fui convidada, tive que declinar, outros nem consegui ir. Contudo, a vida é mesmo assim: aprender a fazer escolhas e, no fundo, escolher aquilo que nos dá prazer, em primeiro lugar, a nós. Ao longo deste último ano uma das coisas que mais tenho aprendido é a valorizar o meu tempo. Numa altura da minha vida em que supostamente teria tempo para tudo, apercebi-me que é precisamente o oposto.


E isto é bom, muito bom, pois temos sempre muita dificuldade em nos valorizar a nós próprios, especialmente quando trabalhamos por conta própria e o item "mão de obra" fica, muitas vezes, esquecido. Quando é precisamente no valor do nosso tempo e do nosso empenho que está a nossa grande mais valia e de onde vem também aquele que é o nosso factor diferenciador.


Hoje é quarta-feira, foi mais um dia cheio, amanhã será igual, mas depois é altura de abraçar os meus filhos, de agradecer por tudo o que tenho e pela forma como a própria vida se encarregou de me ajudar a resolver os meus problemas. Não há volta a dar, há momentos em que temos que aprender aceitar - por muito que nos custe - e confiar que nada acontece por acaso, pois, no final, o desfecho, seja ele qual for, vai ser sempre o melhor para nós. Certo? :)

E, entretanto, alguns dos meus essenciais para levar na mala para estas férias, que eu recebi e que já estão de parte para não me esquecer.


  • Um cachecol tipo manta versátil e de uma cor que dê com tudo e umas luvas.

Ambos são da marca Cortefiel.


  • Hidratação para as mãos e lábios, que ajude a proteger do frio. Experimentei estes dois produtos da marca Uriage e gostei. Portanto, também já estão na lista para ir.

E para quem viaja com filhos não se esquecam de ler o meu Guia Básico para viajar com crianças :)


Boa tarde.


Review Fraldas Darly || Bebitus

28.11.17 | Vera Dias Pinheiro

Não sou rigorosa com as marcas das fraldas que os meus filhos usam. No entanto, sou bastante minuciosa com algumas características que eu valorizo nas mesmas. Na minha opinião, a par com os produtos de higiene, a qualidade das fraldas deve ser algo que nos preocupa e para o qual devemos estar atentos. Afinal, é tão somente o "adereço" que os bebés usam diariamente, 24h por dia durante, pelos menos, os dois primeiros anos de vida.


Sendo a sua principal função a de absorver (convenientemente) xixis e cócos,  deverá também – e não menos importante – proteger a pele do bebé. Por isso, uma das primeiras coisas que eu reparo é no tipo de material e tentar perceber se o bebé se vai sentir confortável com aquela fralda. Por exemplo, se consegue andar, correr, brincar, se não aperta na cintura, etc... E, depois, obviamente é testar e perceber se cumpre o seu propósito: se não há fugas indesejadas; se não concentra tudo, deixando a fralda com um peso enorme e a cair do bebé; e, claro, se aguentam uma noite inteira.


E como em praticamente tudo, não podemos formar uma opinião sem antes testarmos. Até porque cada bebé é um bebé e o que funciona bem com um pode não funcionar com outro. Muitos têm a pele mais sensível do que outros e, como tal, as fraldas que para mim podem ser top, podem não resultar com algumas de vós.


No entanto, desde a passada quinta-feira que, no site da Bebitus, vocês encontram à venda uma nova marca de fraldas. Refiro-me à marca alemã, Darly. Uns dias antes, a marca, que é uma das parceiras deste blog, perguntou-me se estaria interessada em receber previamente um pacote dessas fraldas para testar. O objectivo era um só, testar e dar uma opinião sincera, até para os ajudar a terem um feedback real. E assim fiz. Testei e partilhei junto deles a minha opinião. Ainda assim, esperei mais uns dias até partilhar aqui, junto de vocês, a minha opinião.


fraldas darly

E, para além de toda a informação que encontram no site da Bebitus (https://www.bebitus.pt/fraldas-darly-premium.html), nomeadamente que são dermatologicamente testadas e amigas do ambiente, aquilo que me saltou imediatamente à vista foi:


  • Têm a cintura elástica que se adapta ao bebé de forma anatómica;
  • São muito macias ao toque e maleáveis;
  • Têm uma textura suave e fina;
  • Durante a noite aguentam 12 horas, é uma questão de verem com os vossos bebés, mas por aqui tem corrido bem.
  • Não tenho notado qualquer reacção alérgica;
  • Xixis e cócos distribuidos pela fralda o que dá logo outro conforto ao bebé.

Face ao preço, considero que possa ser uma boa opção, especialmente quando comparadas com outras marcas “equivalentes”.


fraldas darly

Sobre a fraldas Darly


É uma marca alemã criada por mães e pais com uma longa experiência no mundo dos bebés, que os converte em peritos tanto no sector como em casa.


Nós sabemos o que é mais importante porque é igualmente valioso para nós. A Darly representa os nossos conhecimentos e ambições em criar uma marca que nasceu para nutrir e proteger o seu Darly.

Da marca ao produto, a Darly nutre e protege o seu bebé ao usar materiais e tecnologias premium que oferecem todo o cuidado que o bebé merece. O design moderno é o factor diferenciador da marca que usa a sua experiência na indústria para oferecer um produto de excelência a preços acessíveis.


Sobre o site Bebitus:


É um site que reúne uma criteriosa selecção de artigos de várias áreas - algumas delas bastante familiares -  ligados ao bebé,  grávidas e puericultura. São de uma grande eficiência e rapidez nas entregas e têm sempre muitas campanhas promocionais.


Desde a nossa primeira encomenda que me sinto bastante confiante e segura ao fazer compras neste site.


  

Boa noite.


Vencedores: Passatempo Aerosoles

27.11.17 | Vera Dias Pinheiro

Mais um passatempo que chega ao fim, desta feita em parceria com a marca de calçado Aerosoles. E, antes de anunciar o vencedor, resta-me agradecer a todos aqueles que participaram e se o vosso nome não aparecer aqui abaixo, não percam a esperança. Os passatempos de Natal estão para continuar :)


E, agora, sem mais demoras, quero dar os meus parabéns à RITA CARMO. A Rita é a nossa "Cinderela", que irá receber em casa este par de ténis Have Nice Day | Mix Luxury, tamanho 36. 


O envio do prémio é da responsabilidade da agência de comunicação, pelo que me cabe a mim passar todos os dados que deixou preenchidos no seu formulário.


 

Muitos Parabéns!!!


 

Bom dia!


Então e esse fim-de-semana, descansaram muito?!

27.11.17 | Vera Dias Pinheiro

 

Já devem ter reparado que ao fim-de-semana muito pouco tenho consigo fazer para o blog ou para o Facebook do blog. Às vezes, lá surge alguma coisa de inspiração e em pouco tempo, tenho um conteúdo; ou, então, vejo alguma coisa me me suscita o interesse e partilho; outras vezes, consigo ter tempo e “ambiente” para fazer fotografias giras. Mas outra vezes, não há nada! Rien! O que ainda se vai safando é mesmo Instagram, por ser mais imediato.

 

Porém, a verdade é que é nessa fase (de pais) em que nos encontramos, não há muito tempo para desfrutar de o que quer que seja. Estamos numa fase em que parece que somos engolidos pelo Vicente e pela Laura e que, ao fim do dia, quando adormecem (finalmente) estamos tão cansados que adormecemos com eles. O que nem sempre é bom, pois despertamos lá pela 1h da manhã meio atarantados sem saber muito bem o que se passou.

 

Com uma diferença de pouco mais de três anos entre eles e um com cinco anos e uma com 20 meses, somos atropelados pelas exigências. Com a Laura é tudo muito mais físico (colo, correr atrás, antecipar, sem num estado de alerta constante e que, ao mínimo descuido, dá asneira) e o Vicente com uma exigência psíquica capaz de tirar a paciência a um santo. E eu, confesso, que estou numa fase já bem distante desse patamar.

 

De alguma forma, isto vai melhorar com o tempo, embora com outros desafios, claro, mas esta "labuta" de quando se está com eles neste momento está quase a vencer-me.

 

Entre o momento em que o primeiro acorda e que o último adormece, eu nem dou pelo tempo passar e claro que é ao fim-de-semana que tudo é mais intenso e concentrado. Não somos seguramente caso único com um filho a dizer que não quer sair de casa, enquanto o outro já está a abriu uma embalagem de creme e se transformou num boneco de neve. Com um a mudar de temperamento num estalar de dedos e outra que não faz nada do que lhe pedimos. Com um que não quer que a irmã mexa nos brinquedos e outra que pede colo de cinco em cinco segundos. E não será preciso continuar…

 

Ao fim do dia acrescenta-se mais um elemento “perturbador”, o stress! Choram em conjunto, gritam em conjunto, escalam na euforia até sabermos muito bem onde é que aquilo vai dar. Nisto são super amigos, ao mesmo tempo que uma pessoa tenta não queimar o jantar e, não raras as vezes, tenta não perder o raciocínio para aquele e-mail urgente que está a tentar responder e ainda tenta não perder o sorriso quando o marido chega a casa.

 

Ontem, numa birra despropositada do Vicente enquanto regressávamos a casa os dois a pé, pedi-lhe para fazer o mesmo com o pai. Para não ser apenas comigo, pedi-lhe mesmo a sério! Se calhar, deixava de passar por exagerada quando levanto a voz. Se calhar, uma mãe exausta também perde a paciência com mais facilidade. Não sei, digo eu!

 

No sábado de manhã fomos ao Oceanário, a convite do Pingo Doce, a propósito na nova colecção Super Animais 2, uma campanha que já reverteu um valor bem interessante a favor do Oceanário. Aceite por todos os motivos, por nós, pela Laura para quem era a primeira vez e pelo Vicente que está cada vez mais interessado. Para além disso, recomendo vivamente, pelo menos por uma única vez, tentarem fazer uma visita guiada, porque é mesmo espectacular. Aprendem os miúdos e aprendemos nós!


Mas julgam que vi alguma coisa durante a visita ao Oceanário? Nada! Para chegar a horas é aquele filme que já todos conhecemos e depois é, nestes momentos, que os dois querem o meu colo, que querem os meus braços ou a minha atenção. É óptimo ter uma filha despachada, mas é óptimo para ela. A vida destes pais, até que estes pequenos seres se transformem em pessoinhas que representem o menor perigo possível, é como andar numa montanha russa a grande velocidade. De olhos no chão para não a perder de vista, sempre atrás sem agarrar porque ela não quer, mas a tentar agarrar para que ela não se atirasse para o banho com as lontras ou que não fosse apanhar “flores” para a floresta tropical. Também foi preciso controlar a excitação para não bater no vidro dos aquários e colocar a vida marinha toda num alvoroço. E no meio de tudo isto, o Vicente que para se soltar, não me pode perder de vista. Saí de lá toda torta por ter andado com a Laura no “colo da anca". Sabem qual é? Aquele colo quando os encaixamos de lado, no osso?

 

Estas são as fotografias que resumem na perfeição a minha passagem pelo Oceanário:


Como se vê: a postura de mãe, o olhar de mãe… tudo o que é de mãe esta aqui.

 

E no domingo o que fizemos? Eu só pensava em não fazer nada. Pensava e sonhava que que os dois dormiam até mais tarde; que se entretinham a brincar mais tempo sozinhos ou em conjuntos, desde que sem os típicos gritos de guerra e os choros. Mas, na realidade, não foi nada disto que se passou e eu adormeci com o Vicente quando o fui deitar. Pessoalmente, começa a fazer-me confusão esta “desordem”, talvez por não existir uma separação entre aquele que é o meu ambiente de trabalho, o dos filhos e o da casa que, no fundo, é mais um trabalho com uma carga horária exigente.

 

E pronto, do nosso fim-de-semana é mesmo isto. Não é tão bom sinal quando chegamos ao seu fim com este tipo de sentimentos e não me deixa confortável saber que não estou a conseguir aproveitar o tempo inclusivamente com eles. Mas, por outro lado, vamos encarar isto com um importante sinal de que é preciso preciso abrandar o ritmo, rever prioridades, talvez de uma nova organização e, até mesmo, de uma mudança de estratégias.

 

E entretanto, mamãs com bebés da idade da Laura, já levaram os vossos filhotes ao Oceanário? Se sim, como correu?

 

Para os fãs deste programa, não se esqueçam que existe este cartão: E se pudessem viver o Oceanário sem limites?

 

Boa noite :)

Recomendo || Experiências para este fim-de-semana

25.11.17 | Vera Dias Pinheiro

E não é que estamos já no último fim-de-semana de Novembro e falta - oficialmente - menos de um mês para o Natal?! E, de repente, senti uma espécie de arrepio, porque é sinal que estamos a chegar ao fim de mais um ano. O tempo, por seu lado, continua generoso, se bem que, a esta altura do campeonato, não se trata de um elogio. Precisamos tanto, mas tanto de chuva...


Mas bom, enquanto isso, se ainda não se renderam à azáfama do Natal, deixo-vos aqui alguns dos programas que seleccionei para partilhar com vocês. E se ainda não fizerem planos para este fim-de-semana, chegou a altura de pensarem nisso e eu dou-vos uma pequena ajuda!


SOLIDARIEDADE || 14ª Edição da Feira de Solidariedade – RASTRILLO


  • Quando? 23, 24 e 25 de Novembro, das 12h às 23h e 26 de Novembro, das 12h às 18h
  • Onde? Pavilhão 1, Centro de Congresso de Lisboa - Antiga FIL

Descrição:  São cerca de 40 stands de diversas marcas e produtos, onde a totalidade das receitas angariadas reverterá a favor da Organização. Com o alto patrocínio da Sua Excelência O Presidente da República, o RASTRILLO recebe todos os anos cerca de 10.000 visitantes, bem como o apoio de 300 voluntários que colaboram com esta Feira de Natal. A Associação de Lares Familiares para Crianças e Jovens Novo Futuro é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) que se encontra no ativo há 21 anos, contando atualmente com cerca de 73 crianças e jovens em quatro lares distribuídos pelo país.


SOLIDARIEDADE || 8ª Edição da Feira de Natal da AJU


  • Quando? 26 de Novembro, das 10h às 20h
  • Onde? Grande Real Villa Itália Hotel, Cascais

Descrição: Numa lógica de responsabilidade social, a AJU pretende viver este projecto de uma forma inovadora, criando laços e sentido de comunidade. A Feira de Natal AJU 2017 já vai na sua 8ª edição e é um evento anual de angariação de fundos que procura sustentabilidade e divulgação, para que a Fundação AJU (www.ajusera.com) possa continuar a apoiar as famílias mais vulneráveis do concelho de Cascais. A entrada é gratuita e a promessa é a de um dia bem passado com 35 expositores multimarcas, animação para crianças e zona de restauração. A AJU apoia 360 famílias fragilizadas, num total de 950 pessoas. Através de um trabalho de proximidade centrado na pessoa humana e na família, a AJU desenvolve acções e projectos que dão respostas concretas aos desafios actuais. A visita de cada um é muito importante.


CINEMA || Filme da Disney•Pixar COCO


Aquele que promete ser o filme da Disney Pixar para este Natal e que, quem já viu, amou, estreou ontem em todas as salas de cinema.


Descrição: No filme da Disney•Pixar, COCO, o aspirante a músico Miguel, junta-se ao encantador e vigarista Hector, numa extraordinária viagem pela Terra dos Mortos. O filme é realizado por Lee Unkrich, co-realizado por Adrian Molina e produzido por Darla K. Anderson ("ToyStory 3").


Trailer do Filme: http://disney.pt/filmes/coco


MERCADOS || Winter Market Stylista 2017


  • Quando? 25 e 26 de Novembro, das 10h às 19h
  • Onde? Rua do Açucar, Marvila (Lisboa)

Descrição: Um mercado organizado pela blogger Maria Guedes, no armazém ONE Your First Stop, em Lisboa, com propostas para toda a família: há roupa, sapatos e acessórios para mulher, homem, criança e até para a casa. Claro que nem a comida ficou esquecida. As marcas presentes são maioritariamente nacionais. Os preços de entrada deverão rondar os 2€.


E no tempo que vos restar, sabem o que vos digo?! Aproveitem mas é para estar em família e para descansar.


Quem sabe, por aqui, não nos dá para antecipar um pouco as datas e não acabamos por fazer a árvore de Natal. Se assim for, depois conto tudo! Palpita-me que este ano vamos ter alguma pertubação nas decorações de natal. Porque será? :)


 

Bom sábado!


 

Pág. 1/6