Lembro-me cada vez menos de pegar no meu telemóvel para partilhar as coisas do nosso fim-de-semana. O tempo é sempre pouco e o Vicente e a Laura estão numa fase extenuantemente maravilhosa. Parece contraditório, mas, afinal, a maternidade é ou não é mesmo assim: um maravilhoso estado de bipolaridade?! 🙂

É extenuante porque  Laura tem um ano e meio e está na fase em que entende o que nós dizemos, mas daí a fazer o que lhe pedimos, vai uma grande distância. Para além disso, a forma como ela se diverte é a espalhar todos os brinquedos que pode pela casa – se fossem apenas os brinquedos eu ainda estava com sorte. O Vicente, que caminha a passos largos dos cinco anos, está numa fase de mudança, está mais maduro, mais rapazinho, as brincadeiras começam a ser outras e a companhia dele é simplesmente viciante, porém também bate mais o pé e é mais difícil dar-lhe a volta ou até mesmo conversar para dar ultrapassar uma birra. E a cereja no topo do bolo, é ter os dois juntos. E é aí que passamos à parte maravilhosa. Passear com um em cada uma das minhas mãos é das melhores sensações que vivo actualmente. Ver a forma como o Vicente trata a irmã e vice-versa faz-me ficar muitas vezes parada, simplesmente a observar para, a seguir, dar-lhes todos os beijinhos que consigo.

Na verdade, o tempo passa a correr quando estamos os três (ou os quatro) juntos. Tenho, quase sempre, ambas as mãos e ambos os braços ocupados, ora com um ora com o outro. Quando consigo escapar-me é porque é preciso ir fazer qualquer outra coisa. Ainda assim, já conseguimos ter momentos muito bons, de brincadeiras, mesmo que se oscile sempre entre o estado de melhores amigos e o de implicância total – são irmãos e está tudo dito.

Também é verdade que tenho andado numa fase em que preciso dedicar tempo à nossa casa, é preciso destralhar e arrumar e também tenho tido alguns fins-de-semana ocupados com trabalho. Mas, no meio de tudo isto que anda a acontecer, sinto-me a sair finalmente daquela bolha da maternidade e a despertar para o mundo, no sentido em que tenho cada vez mais vontade de recuperar a minha vida social. Tenho vontade de ligar às minhas amigas, convidá-las para ir jantar, beber um copo (sim, também faz parte) ou ir ao cinema.

Sinto-me com energia para vencer o cansaço e o comodismo, arranjar-me e sair de casa. E foi isso que aconteceu este fim-de-semana, que começou com uma ida ao Moda Lisboa. Reservei “lugar” para o último desfile precisamente para me dar tempo de conversar, beber um copo e ainda tinha prometido passar pelo espaço da Rowenta que estava a fazer penteados completamente gratuitos. Vocês sabem que é uma das minhas marcas do coração. Já era consumidora de pequenos eletrodomésticos da marca muito antes de sequer ponderar ter a oportunidade de trabalhar com eles. E a seguir à qualidade, a durabilidade é outro dos factores de diferenciação da marca, pelo menos no que toca a aspiradores, secadores de cabelo e pranchas de alisar, onde se baseia a minha experiência.

rowenta fashion stylist

Estas ondas magnifícas foram feitas com o novo modelador da marca, o Fashion Stylist, um autêntico 3 em 1: alisar, encaracolar e frisar. Achei super fácil de usar, porque eu sou péssima a usar este tipo de modeladores em mim própria e o facto de ter a ponta em plástico evita as queimaduras acidentais.

moda lisboa
E este foi o look escolhido para o primeiro dia da Moda Lisboa

No sábado esteve imenso calor e já começo a lidar um pouco mal com os “35 graus” em Outubro, mas hoje esteve mais fresco e aproveitamos para dar um passeio no Lx Factory, era dia de mercado rural, visitamos ainda a livraria Ler Devagar – uma das sugestões que vos deixei para este fim-de-semana – e lanchamos no Wish Slow Café.

Sozinha, aproveitei ainda a sesta da Laura e a hora de maior calor para visitar e conhecer o Wanderlust, o primeiro triatlo de mindfull do mundo, assisti a uma conversa da Cristina Ferreira, numa versão mais intimista e carregada de “women power” que é capaz de ter deixado 90% das pessoas que ali estavam emociadas e de lágrima nos olhos.

wanderlust

E agora, é altura de organizar a agenda da próxima semana e de preparar tudo muito bem, pois durante a maior parte da semana irei estar “sem marido”. Mesmo que a grande parte dos dias, os horários de trabalho e as exigências não lhe permitam estar mais presente durante a semana ou participar mais nas rotinas, a verdade é que sabemos que está sempre ali um apoio, não é verdade?

 

Espero que o vosso fim-de-semana tenha sido bom 🙂

Boa noite.

Comentários

comentários