Falar em destralhar, em ter menos (mas melhor), em não ceder às compras de impulso e não fazer do consumo a base, por assim dizer, da nossa vida leva a uma necessiade de reprogramar o nosso próprio estilo de vida. Ou não vivêssemos nós numa sociedade que parece impelir ao consumo a toda a hora e que nos cria necessidade que, bem analisadas, talvez nem sejam assim tão reais.

E quando o assunto é o (nosso) guarda roupa e o dos nossos filhos, os desafios são grandes, sobretudo quando é preciso praticar o desapego. Quando é preciso aprender a desligar-nos de peças de roupa e acessórios que teimamos em achar que vamos usar ou com os quais teimamos em ter uma ligação emocional sem motivo. Para além disso, não é preciso fazer grandes contas de cabeça para perceber que este item tem um peso considerável no orçamento familiar. E, por falar nisso, quem é que ainda não se deparou com um par de calças dos filhos a dar pelos tornezelos ou uma camisola que mais parece um crop top?! Nesta matéria, o início deste ano lectivo não tem sido fácil.

E fora o crescimento, as mudanças de estação acabam por ter sempre um pouco de dramático e, a verdade é que, às vezes, é preciso recorrer a ajuda de quem percebe efectivamente do assunto para conseguirmos encontrar a nossa organização. Vocês sabem que, este ano, eu assumi que ia tentar fazer diferente e, por isso, não fui para as lojas sem antes fazer uma limpeza geral nos armários, sem experimentar as roupas e sem organizar as gavetas e os armários. A partir daí, fiz uma lista (por prioridades) que acaba por ser importante também no que toca ao dinheiro que vou gastando.

Até aqui, parece tudo relativamente simples. Passei algum tempo a pesquisar, na internet, dicas. Para organização, o método da Marie Kondo, de quem se fala muito agora, tem dicas excelentes, sem esquecer o Pinterest e mesmo algumas contas de Instagram que nos ajudam muito na questão da arrumação.

A parte que, para mim, se torna mais complicada é a composição do próprio guarda-roupa. Ou seja, aquilo que está lá dentro. Eu não quero ter demasiado e andar constantemente com a sensação de que me falta as peças fulcrais para certas ocasiões (uma reunião, um evento, etc) ou para quando estamos naqueles dias em que não nos sentimos bem com nada ou quando quero andar mais confortável, mantendo uma certa elegância e sofisticação. E isto não se aplica apenas a nós, o mesmo acontece com as crianças e, na minha modesta opinião, especialmente quando temos uma filha.

Foi, neste sentido, que decidi procurar a orientação de uma profissional que está mais do que habituada a lidar com estas questões de forma pragmática e objectiva – o que se traduz, para mim, numa optimização do meu tempo. No entanto, sabia que não podia contratar ninguém para o fazer, financeiramente não era o momento ideal, mas, na verdade, nem é preciso, sabem?

O Centro Comercial Alegro dispõe de um serviço de consultadoria de imagem e personal shopper, com acompanhamento da Inês Viana.

Este serviço é completamente gratuito e o seu propósito é o de dar um reforço positivo à auto-estima e confiança das pessoas e, por isso, não pensem que se trata de um serviço para nos pôr a andar de igual e todos na moda. E desenganem-se se acham que por ser gratuito se torna pouco profissional.

Eu inscrevi-me no site e estive com a Inês Viana na passada terça-feira. Esta foi a segunda vez que estivemos juntas. Na primeira, antes de qualquer coisa, conversamos o tempo suficiente para nos conhecermos melhor e para ela perceber que pessoa tinha à sua frente e de que forma me podia ajudar.  É importante saber o que me levou ali, qual o meu estilo de vida e quais as minhas principais dificuldades.

Style alegro alfragide

Desde que fui mãe que a estação do ano a seguir é uma tragédia, o corpo muda, eu mudo… Se também passam por isto, deixem nos comentários para eu não me sentir tão sozinha. Depois, não esquecer que durante muito tempo usei roupa demasiado formal, portanto a roupa do dia-a-dia era pouca e pouco adequada às minhas necessidades actuais. Acho, porém que este ano, pela primeira vez vou ter menos necessidade de comprar roupa. No entanto, quero aprender a ser mais versátil com o que tenho e a saber exactamente o que me faz falta. Uma das coisas que a Inês vos ensina de imediato é que não vale a pena comprar uma peça com a qual não vão conseguir fazer, pelo menos, dois outros coordenados. Mas mais não digo, pois vocês têm absolutamente que experimentar o serviço My Style do Centro Comercial Alegro.

Esta minha segunda visita à Inês Viana teve, no entanto, um próposito mais especifico. É já no próximo sábado, dia 30 de Setembro, que o Style vai regressar ao Alegro Alfragide. E, mais uma vez, volta a oferecer 25 euros aos clientes que fizerem 50 euros em compras para aproveitar nesta reentré escolar e profissional, mas há mais. Para celebrar o estilo e a autenticidade em grande, na 7ª Edição do STYLE o Alegro Alfragide, em parceria com a Up Agency, organiza um casting para crianças e jovens até aos 16 anos.

E eu, como vou querer aproveitar a acção dos 25 euros em cartão, e como o meu objectivo é  fazer compras inteligentes, decidir reunir-me com a Inês Viana e, com a sua ajuda, seleccionar alguns dois itens para a próxima estação que nos fariam mais falta. E agora, já tenho tudo preparado. Sábado, lá estarei bem cedo para fazer as minhas compras.

  • Vantagens: Sei exactamente o que vou comprar; não me vou dispersar e não me vou surpreender, no final, com o valor que eu gastei numa manhã de compras.

Aproveito para vos deixar também o convite a vocês, de visitar este Centro Comercial e usufruir das vantagens às quais o Style já nos habituou – talvez, o melhor seja fazerem como eu e irem o mais cedo possível 🙂

Se estão a pensar nas minhas compras…. essas eu mostro no sábado!

Para mais informações e consulta do regulamento, aceder a este link: http://alegro.pt/blog/detalhe/style-7a-edicao

Boa noite.

Comentários

comentários