Não foi combinado, mas a chegada do Outono coincidiu com a minha ligeira mudança de visual. Por um lado, a necessidade de disfarçar os cabelos brancos que vão sendo cada vez mais e, por outro, alguma vontade em mudar o corte de cabelo, ainda que eu soubesse que não queria tirar-lhe cumprimento.

É nestes momentos que recorro sempre ao Matt, já vos falei dele – aliás, foi com ele que a Laura cortou pela primeira vez o cabelo. Gosto da forma como ele nos ouve em primeiro lugar, mesmo quando aquilo que dizemos não faz grande sentido. E, para além disso, gosto particularmente que – contrariamente a 99% dos cabeleireiros – ele seja bastante consciente nas mudanças que faz. Ou seja, se eu lhe digo que quero ser loira, ele dá-me o devido desconto entre o impulso da mudança e aquilo que realmente me fica bem. Um exemplo.

Na primeira vez, as raízes foram pintadas da forma tradicional e eu confesso que achei tudo muito cedo. Invariavelmente a nossa cor natural acaba sempre por ficar alterada e lá estamos nós a criar mais uma cor intermédia no cabelo que se junta as nuances. Enfim, aquilo que mais me incomodou foi sentir que perdia a tonalidade natural do meu cabelo. Portanto, hoje essa era uma das minhas “queixas”, pois se não queria ter cabelos brancos, não queria igualmente pintar o cabelo. Um pouco contraditório, eu sei. Porém, o importante é que o Matt entendeu (e concordou comigo) e, por isso, usou um outro produto que, em vez de pintar, disfarça os brancos.

Muito sinceramente, nesta fase, acho que é o suficiente para mim e talvez para muitas de vós que estão com o mesmo dilema que eu: o que fazer com os primeiros cabelos brancos! Em que não queremos algo radical como pintar, mas também não nos sentimos bem com os cabelos brancos. No final, fiquei muito feliz com o resultado, senti-me mais eu, por assim dizer. Se quiserem que o Matt explique um pouco melhor esta técnica, eu posso pedir-lhe. Quem sabe não será uma boa alternativa também para vocês.

E assim, dei as boas vindas ao outono, que é simplemsente a minha estação do ano preferida. Não gosto de chuva, mas gosto daquele friozinho que já nos faz procurar um outro tipo de roupa e de calçado. Não gosto dos dias mais curtos e mais escuros, mas gosto do cheiro a castanhas (e de as comer também). Gosto das cores e tonalidades da estação e do barulho do pisar das folhas secas no chão.

Para mim, nesta altura dá-se sempre o início de um novo ciclo. Procuro ter mais cuidados  comigo, porque acho que depois do verão, o nosso corpo/organismo precisa de um boost de nutrientes, de hidratação entre outros cuidados. E se, na minha agenda, se começam a traçar novos planos e novos projectos, porque não fazê-lo com o visual renovado?

 

Que sejas muito bem-vindo, Outono.

Boa noite 🙂

 

Coisas que podem querer saber: 

O Salão do Matt fica no nº 5 da Rua Ivens, em Lisboa, e chama-se Lisbaeta

A túnica que tenho vestida, o casaco, ou lá o que seja, é da Primark.

Comentários

comentários