O nosso fim-de-semana foi bom. Foi tranquilo e teve muito de “coisinhas para tratar”. Por exemplo, tive que ir às compras de roupa para o Vicente. O tempo arrefeceu e eu senti-me no dever de mãe de lhe ir comprar calças, porque o rapazinho só tinha dois pares depois da limpeza geral que lhe fiz no guarda roupa. Depois, houve momentos de lazer, fomos à Feira da Luz, combinamos lanchar com amigos, as crianças brincaram até cair literalmente para o lado de sono e eu ainda me escapei para ir jantar fora com uma amiga.

Nestes dias, não sei se já se aperceberam, mas tenho ficado um pouco mais afastada do blogue e das redes sociais. Na verdade, alimento o mínimo indispensável até chegar novamente a segunda-feira e a semana arrancar a todo o gás. E a razão é precisamente esta: passar a semana inteira de um lado para o outro e a dividir o tempo com a minha família com o computador e as redes sociais. Chega o fim-de-semana e sinto a necessidade de abrandar o ritmo e isso obviamente leva a que a minha prioridade deixe de ser o telemóvel e a postagem do que andamos a fazer. Mesmo se, na minha vida, o peso do blogue e consequentemente das redes sociais passou a ser grande (e ainda bem, porque sinto-me cada vez mais realizada profissional e pessoalmente pela relação que se vai estabelencendo quer com cada um vós quer com as marcas com as quais tenho o privilegio de trabalhar).

No entanto, a gestão de tempo é bastante difícil, como sabemos, e os meus filhos estão a crescer demasiado rápido, precisam e merecem toda a minha atenção. Ainda assim, a minha planificação semanal continua a ter o sábado e o domingo preenchidos, mas na prática tenho sentido que se o tempo não der para para fazer alguma coisa, então que – nestes dias – seja o blogue a esperar. Afinal, de segunda a sexta, são os meus filhos a esperar muitas vezes que termine um trabalho, que responda a um e-mail ou a terem paciência para as fotografias que tenho que tirar ou para os eventos aos quais tenho que ir.

A nossa vida é feita de ciclos e há momentos diferentes em que temos que fazer apostas igualmente diferentes. Assim, depois da família, senti que era o momento de apostar no lado profissional, mas agora é preciso um equilibrio. E, acreditem, não é nada fácil de encontrar. Haverá pessoas para quem isto será algo completamente natural e instintivo, da mesma forma que, desse lado, vocês esperam e gostam que haja essa partilha.

Contudo, também é bom ir jantar fora e perceber que o tempo rendeu muito mais do que se o jantar fosse partilhado com o telefone, com as fotografias e as postagens nas redes sociais. Também me sabe bem desfrutar da vida, sobretudo quando 90% do meu tempo é ocupado com momentos de partilha, do quais eu gosto e faço de questão de fazer. No entanto, estava-me a faltar o equilíbrio e, por isso, para já, os fins-de-semana são um pouco mais reservados e dedicados à família. Talvez, porque na verdade, não temos feito nada de extraordinário a seguir as férias de verão e eu ainda ando em modo organização total da nossa vida. Talvez seja por isso…

De qualquer forma, foi um fim-de-semana bom, tranquilo e rodeado de pessoas interessantes, com as quais aprecio muito conversar, porque me inspiram sempre de alguma forma; também passei horas a mais em centros comerciais; a Laura conseguiu partir um colar meu e cortar-se, tive duas horas para conseguir estancar o sangue (confesso que já estava a ficar agoniada); fui jantar comida tailandesa que é das minhas cozinhas favoritas; e, por fim, meti-me a tirar o verniz gel e, neste momento, ainda tenho duas unhas com o dito cujo e, entretanto, a acetona acabou… Giro, não é?

 

E o vosso fim-de-semana como foi? 🙂

Boa noite!

Comentários

comentários