Com o final das férias aí à porta aproxima-se, para muitas famílias, a entrada no primeiro ano das suas crianças e, com ela, a ansiedade por parte de alguns miúdos e graúdos. É um momento muito importante na dinâmica familiar em que todos – pais e filhos – estão expectantes sobre o que vai (e como vai) acontecer.

Na cabeça dos pais está, muitas vezes, fortemente presente a grande mudança que vai acontecer na vida dos seus filhos: se antes o tempo passado na escola era a brincar, agora já não vai ser assim. Por esta razão, a mensagem dos pais, logo desde início do ano lectivo, para os seus filhos é:

  • Lembra-te tens que te sentar no lugar da frente”
  • “Agora não te podes levantar”
  • “Não fales sem autorização! Passa tudo do quadro! Presta atenção! “Ouve o que a professora te diz”
  • “Agora não vai ser só brincadeira”

Se estas recomendações são sinal de preocupação e da vontade de que tudo corra pelo melhor, a verdade é que, não raras vezes, a pressão vai-se instalando devagarinho. E com isso, podemos estar a dificultar a adaptação dos mais pequenos. Dependendo do seu temperamento, podem ficar mais ou menos ansiosos e ter maios ou menor dificuldade em se separar das figuras de vinculação e dos adultos que foram a sua referência ao longo destes cinco, seis anos.

É importante termos consciência que os ambientes e os objetivos de aprendizagem na entrada no primeiro ano são efetivamente diferentes: maior cumprimento pelos horários, maior controlo postural, novas aquisições, entre outras, o que também vai exigir da parte de todos uma nova organização e resposta comportamental mas não nos podemos esquecer que eles se prepararam progressivamente.

Importa, pois, passar a mensagem que, afinal, a nova escola não é um bicho papão!

Na verdade, a pré-escola foi fundamental para o desenvolvimento dos pré-requisitos necessários para um processo de aprendizagem bem sucedido. A brincar, aprendeu-se e muito, lembram-se? E eles são capazes! Ainda que agora com outro cunho vai ser importante que eles percebam que vão passar “para outro nível” e que têm capacidades para enfrentar os desafios que vão surgir, tal como fizeram até aqui, pois o exercício da responsabilidade, da autonomia e da autoestima vai e deve continuar.

Assim, para que esta nova etapa corra da melhor forma possível e sem stress, partilho com vocês algumas dicas:

  • Falem em casa sobre as mudanças que irão acontecer e aquilo que, à partida, vão encontrar nesta nova etapa. Sem dramas e com muito entusiasmo: agucem-lhes a curiosidade! Vai ser divertido!
  • Não desvalorizem os sentimentos da criança. Antes, escutem quais os seus receios e preocupações e de forma realista desafiem-nos a encontrar soluções caso isso eventualmente aconteça; Ponham-os a pensar.  Não caiam em afirmações generalistas e que podem não acontecer como: “vai correr tudo bem”.
  • Envolvam-nos no processo de escolha dos materiais e da escola;
  • Reforcem os aspetos positivos que vão encontrar com esta nova transição;
  • Planifiquem com antecedência as vossas rotinas. Uma semana ou quinze dias antes convém começarem a implementar os novos horários.  A planificação é um dos grandes segredos para que as mudanças ocorram sem grandes dificuldades!
  • Evitem comparar o vosso filhote com outras crianças: “olha para o Martim, vês, ele não está ansioso”;
  • Visitem a escola para ficarem a conhecer o espaço e o percurso que irão a partir desta altura fazer desconstruindo ideias irrealista que se possam eventualmente ter criado.

Lembrem-se:

A maioria das vezes, são as nossas expetativas sobre a situação e não a situação em si que nos gera ansiedade e tensão por isso, pais, relaxem, dêem tempo ao tempo e com calma e serenidade tudo vai correr pelo melhor.

Com efeito, esta mudança deve acontecer gradualmente pois qualquer transição/adaptação leva o seu tempo a efetivar-se e não é assim de um dia para o outro. Por isso, tenham calma e tenham presente que, quanto mais calmos e serenos estiverem, melhor os vossos filhos enfrentarão este novo desafio.

Confiem em vocês e no vínculo que estabeleceram com os vossos filhotes. Perante qualquer adversidade estamos sempre a tempo de mudar e evoluir!

E, claro, uma certa dose de ansiedade faz parte e ajuda a que tudo corra bem!

Bom regresso!

Palavras-chave para a entrada no primeiro ano: calma, ponderação, planificação, organização, rotinas, vínculo.

E já que falamos do regresso às escola, não se esqueçam de dar uma vista de olhos também neste artigo:

7 Dicas para acabar com o caos matinal!

entrada no primeiro ano

Mochila e estojo Faísca Macqueen – Loja Dreamy World Amoreiras

Comentários

comentários