Lagos era uma novidade para mim, que não conhecia. E confesso que ia com sentimentos mistos. Por um lado, com vontade de conhecer as praias e paisagens que sabia serem muito bonitas. Porém, por outro, tinha ouvido falar igualmente das águas frias e do tempo mais fresco. Foi a nossa segunda opção de férias, porque queríamos mais tempo de praia e fora da nossa rotina com os miúdos. Por algum motivo se diz que as crianças crescem mais nas férias, pois, ora bem, é dos poucos momentos, ao longo do ano, que podemos dedicar exclusivamente aos nossos filhos.

Se estão a caminho deste destino ou se, tal como eu, ficavam sempre meio indecisos, aqui fica uma espécie de mini roteiro… para vos abrir o apetite 🙂

Onde fazer praia?

Praia da Dona Ana

  • Aspectos positivos:

É a praia ideal para ir com crianças. Pequena, mas que, mesmo assim, não fica super cheia, abrigada entre rochas (importante por causa do vento), com piscinas naturais formadas pela água do mar onde as crianças brincam à vontade. Dentro deste género de espaço, tem espaço q.b sobretudo para quem faz o horário com crianças (9h – 11h30)

  • Aspectos menos bons:

Areia um pouco suja, talvez porque tivessem andado a colocar mais areia na praia.

O estacionamento, se bem que para quem faz horários baby-friendly não tem que se preocupar. 

Meia Praia

Fomos apenas um dia, talvez tenhamos tido azar por causa do fenómeno do vento vindo de Espanha, mas estava bastante desagradável. 

  • Aspectos positivos: 

Os longos quilómetros de areal e de praia. Se procuram uma praia realmente com espaço, então, esta é a vossa praia.

  • Aspectos menos bons:

O vento, sem dúvida.

Outras praias:

Praia de Porto de Mós

Não chegamos a ir, mas é também das mais procuradas pelos turistas (digo todos aqueles que procuram Lagos para passar férias). 

Praia do Camilo

Fica mesmo ao lado da Praia da Dona Ana e é também ainda mais bonita do que esta. Igualmente situada entre rochas, porém um pouco mais pequena. A grande desvantagem – para quem tem filhos – é a longa escadaria que vos leva até à praia e, depois, no regresso. Não tivemos coragem para a enfrentar, ainda que, em bom rigor, não quisemos arriscar por causa do Vicente. Ele estava tão feliz com a sua praia (Dona Ana) que foi ali que ficamos.

Esta praia tem um óptimo restaurante – ainda cá em cima – com uma vista soberba sobre o oceano.   

Onde comer?

Lanche/Pequeno-almoço:

Pastelaria Gombá: conhecida pelo seu bolo de café. Visitamos e fomos agradavelmente surpreendidos com a ausência de turistas (estrangeiros)

Pastelaria Taquelim Gonçalves: Foi lá que fomos comprar os doces típicos algarvios para trazer. 

Croissanteria 29

Especialidade croissants, claro, com uma série de combinações possíveis. Desde o simples, ao com manteiga ou, numa versão mais arrojada, o croissant cachorro quente. Pelo meio, encontram os mais tradicionais com doce de ovos e chocolate. 

Preço croissant simples: 0,90 cêntimos

Almoço/Jantar:

Mar d’Estórias:

É mais um espaço cultural do que apenas um sítio para comer. Distribuído por vários andares, encontram uma loja de artigos de artesanato e produtos gourmet; uma galeria; uma secção de livros e música; uma cafeteira e ainda um terraço. 

Adega da Marina:

Super popular, um restaurante tradicional com pratos do dia a preços bastante acessíveis. Ao meio-dia já tinham fila à porta. Prepararem-se para algum tempo de espera devido à grande a afluência.

Preço médio/refeição (Família de quatro): 50 Euros (sem sobremesas e sem vinho)

Barrigada

Excelente peixe grelhado, óptimo atendimento (paciência com crianças). 

Recomendo a barrigada de peixe com quatro variedades de peixe à discrição por apenas 12,50 euros. O vinho verde de pressão é óptimo.

Preço médio/refeição (Família de quatro): 50 Euros 

Os Dois Irmãos 

Restaurante médio, mas talvez dos únicos onde se consiga uma mesa para jantar sem marcação e sem horas de espera. 

Recomendo a espetada de tamboril e a cataplana de peixe. 

Preço médio/refeição (Família de quatro): 60 Euros

Al-kibir 

O restaurante mais barato da nossa semana. No entanto, sem comprometer a qualidade das refeições. Os pedidos levam algum tempo, porque é tudo feito na hora. Recomendamos as Lulinhas fritas. 

Preço médio/refeição (Família de quatro): 45 Euros

A Tasca do Jota 

O nosso luxo da semana. Foi o restaurante mais caro onde jantamos, mas também o menos confuso e o mais sofisticado. Para tapas ou pratos mais gourmet, é o restaurante ideal. Staff simpático. Recomendo as tiras de lulas crocantes, a tábua de queijos, o polvo à lagareiro e o leitão. 

Muito importante para quem vai com crianças: não têm sopa. 

Preço médio/refeição (Família de quatro): 70 Euros (com vinho, prato principal, tapas e menu infantil) 

No entanto, deixo-vos um conselho. Se estão a pensar visitar Lagos nesta altura do ano, programem em que restaurantes querem fazer as vossas refeições, fazendo as respectivas reservas de mesa em cada um deles.

Muitos dos locais a que queríamos ir era revelou-se impossível reservar mesa ou, em alternativa, enfrentávamos um tempo de espera de, no mínimo, entre 1,30 a 2h. Portanto, com filhos torna-se um pouco desesperante mesmo que a vossa hora de jantar seja bem cedo. Perdem em espontaneidade, contudo ganham em segurança. 

Onde Ficar? 

Nós ficamos alojados no Condomínio do Mar, numa busca de last minute no site Homeaway. O Condomínio, em si, é bastante simpático, situado a poucos metros da Meia Praia e da Marina e apenas a 10 minutos de carro de tudo o resto. 

Com duas piscinas (uma de adultos e outra de crianças) e um restaurante, onde todos os dias íamos buscar sopa fresca para o almoço. Não havendo vento, os finais de tarde na piscina eram espectaculares.

Com a casa, em particular, não tivemos muita sorte, no sentido em que tinha muita muito pouca coisa, embora nos tivessem dito que estava equipada com tudo. O acompanhamento pela agência que nos alugou o apartamento também não foi o melhor, pois nunca chegaram a responder ao nossos e-mails e mensagens. No fundo, não estiveram para se chatear. 

Muito sinceramente, Lagos é um destino simpático para ir de férias em família, pois mesmo tendo usado o carro todos os dias, a verdade é que não sentimos isso como algo de cansativo. É uma cidade pequena, muito procurada por turistas estrangeiros, com paisagens bonitas. O único senão é o pagamento de parqueamento todos os dias até à meia noite na avenida principal. 

Da Marina até ao Forte e, depois, percorrer as ruas estreitas do centro da cidade de Lagos, visitando as pequenas lojas de comércio local, é um passeio agradável de fim de dia, princípio de noite. 

Boas férias 🙂

Boa noite.

Comentários

comentários