Nem de propósito, depois de escrever sobre a fase dos quatros anos, encontrei um artigo em que se falava de várias maneiras de ensinar a gratidão aos nossos filhos. Para mim, um dos valores mais importantes que devemos incutir, juntamente com a humildade. Encontrar diariamente motivos pelos quais somos gratos, ajuda-nos a acordar e a deitar sempre em paz connosco próprios. E numa sociedade em que o consumo se banalizou e em que o acesso a bens é tão grande, é cada vez mais importante conseguirmos centrar-nos naquilo que realmente importa, nos valores que fazem de nós pessoas integras e que não são valores materiais.

Vou-vos deixar aqui as 10 dicas com as quais mais me identifiquei:

  1. Surpreender os nossos filhos. As surpresas ajudam as crianças a ver as coisas como um presente e não como um direito. Quando existem muitas opções nunca estamos satisfeitos, sempre à espera de uma que seja mesmo a melhor. Não sentem isso?
  2. Falar sobre os melhores momentos do nosso dia. Por aqui, é já uma rotina diária perguntar-mos uns aos outros como foi o nosso dia e sempre à hora de jantar. Começou como uma brincadeira e agora é o momento mais importante do nosso dia, uma forma de nos aproximarmos e de nos fazer pensar as coisas boas que nos acontecerem e que merecem ser partilhadas (e pela quais estamos gratos).
  3. Contar histórias da nossa infância aos nossos filhos. Há muitas histórias que falam sobre a dificuldade e a perseverança, sobretudo se nos remetermos ao tempo dos nossos avós. Há pouco tempo, comecei a falar do avô Florindo ao Vicente, fui buscar fotografias antigas para lhe contar várias coisas sobre este avô que nunca conheceu (fisicamente).
  4. Incentivar os nossos filhos a ajudar alguém sem um motivo, uma altura específica ou associado a um evento em particular. Devemos contribuir para que a solidariedade seja algo tão natural no seu dia-a-dia e em pequenas coisas como ajudar a vizinha mais idosa que precisa de ajuda para atravessar a estrada. Não se esqueçam que nós também educamos pela observação, portanto, há que dar o exemplo.
  5. Devemos concentrar-nos no positivo durante todo o dia. É um enorme esforço diária, mas que, sem dúvida compensa e tem o poder de transformar o nosso dia. Pequenas coisas como substituir o “não consigo” pelo “vou tentar” ou, então, o “tenho fome” pelo “vamos lanchar juntos”, são um bom ponto de partida.
  6. Ensinar a dizer um obrigada completo. Explicar que devem dizer o motivo pelo qual estão a agradecer, por exemplo: “obrigada pelo jantar”, ” obrigada por teres brincado comigo”…
  7. Ensinar que é melhor dar que receber. Um bom exemplo é, quando vamos comprar um presente para o amigo que faz anos, deixar de comprar a dobrar. Pois, muitas vezes, compramos o presente e ainda algo para o nosso filho. É ou não é verdade?
  8. Arranjar tempo para que façam algumas tarefas domésticas. Sem nunca terem ajudado, simplesmente nunca vão dar valor ao esforço que é preciso para manter uma casa organizada e para mantermos as nossas próprias coisas organizadas. Vejam este quadro das tarefas que podem delegar por faixas etárias.
  9. Deixar os filhos mais velhos cuidarem dos mais novos. Contribui para desenvolver uma atitude de gratidão para com os pais. Coisas tão simples como deixar que leiam um livro ou que ajudem a vestir são já óptimos exemplos.
  10. Presenciar experiências e não apenas coisas! Sem dúvida dos mais importantes. É importante que se mudem os valores e que se deixe de pensar tanto no lado material. Vamos deixar a recompensa com um brinquedo, para por exemplo, optar pela ida a um museu ou a um jardim que saibam que o vosso filho gosta muito.

Se gostaram, partilhem! Achei super simples e, especialmente, com uma mensagem tão importante! Afinal, somos nós os principais educadores dos nossos filhos e os principais responsáveis por lhes passar este – o valor da gratidão – (e outros) valores.

Boa noite.

Comentários

comentários