As mudanças que ocorrem no nosso corpo não são todas reversíveis e nem tudo é um mar de rosas! Mas antes de continuarem a ler, convém também referir que cada corpo é um corpo e que precisamente por isso, as coisas não se sucedem de maneira igual para todas nós. Portanto, se ainda não chegaram aqui, mantenham-se firmes que com vocês pode ser diferente ou, caso não seja, resta-nos manter-nos unidas.

Posto isto, o assunto que me traz aqui é talvez dos mais dolorosos quando se trata de analisar os efeitos da gravidez, do pós-parto, da amamentação, da própria gravidade… e, por aí, a fora. Falo-vos de mamas! Maminhas! Peito! O que lhe quiserem chamar, um assunto que é importante para a nossa auto-estima e para a nossa postura.

Antes de tudo, isto é, antes dos filhos, das gravidezes, etc… eu era uma pessoa feliz e realizada com o que a natureza me tinha oferecido. Entretanto, engravidei uma primeira vez, tudo espectacular, veio o pós-parto e os primeiros meses continuaram ainda mais espectaculares. Porém, a medida que o tempo foi passando, muita coisa foi acontecendo, algumas foram desaparecendo e sofrendo negativamente com a gravidade. O peito foi uma delas. A preguiça, a falta de tempo e de paciência nunca me deixaram reencontrar o meu novo número de sutien. E a verdade é que andei na ilusão durante muito tempo.

Depois, engravidei uma segunda vez, voltou tudo a ser espectacular, depois com a amamentação também. No entanto, há algumas semanas que era necessário enfrentar a realidade. E, finalmente, ganhei coragem para passar horas no provador de uma loja de roupa interior numa espécie de bra fitting. Experimentei vários modelos, poucos tamanhos na verdade, porque é um facto que o peito se foi. Portanto, a solução é arranjar a melhor forma de o “arrumar” para que eu própria me sinta confortável no dia-à-dia, quando visto alguma coisa com decote e até mesmo pela minha postura.

Há quem me diga para ter paciência, pois o peito ainda pode mudar. Yeah right!!! Isso deve ser daquelas coisas que só acontecem mesmo às outras… Mas, pronto, embora decepcionada com o número que me calhou na rifa – se bem que o tamanho não é de todo o pior – estou com pouco mais contente, pois ando muito mais confortável.

Sei que existem lojas espectaculares para fazer  o bra fitting, como a Dama de Copas – e ainda lá hei-de ir em breve. Contudo, para já, fui a uma loja da marca Intimissimi, onde me tiram as medidas e foram-me trazendo vários modelos diferentes para vermos quais os mais indicados para mim. No final, trouxe um cartão com o tamanho e isso é importante, porque, regra geral, corto as etiquetas e, depois, deixo de saber o tamanho, a copa… essas coisas.

E só para que conste, eu nunca usei um tamanho tão pequeno e isso é bastante esquisito. Pronto, o desabafo está feito!

Amigas, com vocês como foi? Aumentou? Diminuiu? E quem é que decidiu ser mais radical e passar à cirurgia estética? Contem-me tudo, porque eu já não digo nunca a nada 🙂

Boa tarde!

Comentários

comentários