Estivemos um fim-de-semana inteiro sem telefone, televisão, internet e redes sociais e não sentimos falta do que fazer. O que não estava nos planos era ser um fim-de-semana tão cheio de emoções com a visita do Papa a Fátima e a final do Festival da Eurovisão da Canção, que deu uma vitória emocionante ao “nosso” Salvador Sobral.

E ainda que tenha muito para vos contar, começo por dizer que não custou nada passar este fim-de-semana desconectados e, muito menos, voltar a um estilo de vida mais simples, que nos permite um outro desfrutar do tempo – que, aliás, dá a sensação de passar muito mais devagar. Fomos para a zona de Seia, como vos disse. e ficámos alojados no Chão do Rio, na aldeia de Travancinha, um turismo rural composto por algumas, poucas, casinhas em pedra e onde a nossa vida é ao ritmo que nós desejamos.

É verdade que não conseguimos o tal “slow living” que tanto desejamos, porque a vida com crianças é tudo menos “slow”, é vivida com muitas exigências e com um controlo total por eles, pelas rotinas e pelos seus desejos que se impõem com a força de lei! Ainda assim, consegui mostrar aos meus filhos como se faz o pão, onde as galinhas põem os ovos, o que comem as ovelhas da Serra da Estrela, o som dos grilos, dos sapos e das rãs, de onde vêm as cerejas… Mas, acima de tudo, consegui mostrar-lhes uma coisa que, para mim, não tem preço: a liberdade de brincar na rua e de serem crianças livres e exploradoras. Foi assim que cresci e sei que isso foi bastante importante no meu crescimento.

No Chão do Rio, vivemos como queremos pois, nesta propriedade com cerca de oito hectares, há praticamente tudo aquilo que precisamos, o pão quente chega todos os dias à tarde e, à chegada, recebemos uma cesta com mantimentos para os pequenos-almoços, alguns regionais, outros bem fresquinhos. Ainda assim, pegámos nas bicicletas para ir à mercearia mais perto, onde só há o essencial e, por isso, só se gasta o dinheiro estritamente necessário.

Os dias pareciam intermináveis e, quando chegava a noite, ainda apetecia o calor da lareira para aquecer a casa – foi preciso fazer cerca de 300 quilómetros para voltar a ter um serão de lareira. E, no dia seguinte, lá estava o galo avisar que eram horas de levantar, ainda que não fosse realmente necessário, pois os “galinhos” cá de casa fazem muito bem o trabalhinho deles.

Nestes dias senti que andava a dar muito pouco aos meus filhos, sobretudo daquilo que é verdadeiramente essencial: o estar por inteiro e em exclusivo, a liberdade e as memórias que só estas experiências proporcionam. Por outro lado, senti que andava a dar demasiada importância a coisas supérfluas e, extremismos à parte, é preciso um equilíbrio na nossa vida.

Obviamente que, no Chão do Rio, ninguém fica incontactável, pois há televisão, acesso à Internet e os telemóveis têm rede, mas nós optámos por desligar por completo. E sabem que mais? Foi fácil, soube a pouco e quando voltamos a reconectar estava tudo lá à nossa espera e tirando a vontade de saber como tinha sido a passagem do Papa e a vitória do Salvador Sobral, o resto estava tudo na mesma e nem tive vontade de correr atrás da informação perdida. Percebi que os nossos dias são mais curtos, muito por culpa do tempo que inconscientemente passamos nas redes sociais, naquela história de ser “só mais uma coisinha”.

Foi um fim-de-semana muito cansativo, não vou esconder, mas feliz, leve e tanto assim foi que hoje custou muito mais entrar no ritmo. Fez-me pensar, especialmente neles. E fez-me pensar como foi bom para a nossa família, para a forma como interagimos uns com os outros, para a consciência das responsabilidades e da atenção que temos que dar uns aos outros.

Esta experiência, que nos foi proporcionada pelo canal de televisão A&E, é muito semelhante à das três famílias que decidem abandonar a cidade, precisamente para fugir a tudo o que de negativo se vive, muito por culpa das redes sociais. E é no meio rural que vão encontrar a tranquilidade que precisam para recomeçar com um novo estilo de vida. São três histórias que vão poder acompanhar já a partir do dia 17 de Maio, neste canal, na segunda temporada da série Desconexão Total – que, agora, até eu tenho curiosidade em acompanhar.

Algumas fotografias que vos deixo:

 

Arrow
Arrow
Slider

 

Ao longo desta semana ainda vou voltar a falar sobre este fim-de-semana.

Boa noite.

Comentários

comentários