1. Quando começar alimentação sólida?
De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o aleitamento materno deve ser mantido em exclusivo até aos 6 meses. Desta forma, podemos assegurar todos os benefícios para a saúde e desenvolvimento da criança. Pelos 6 meses os bebés podem começar a alimentação complementar. Porém, alguns bebés já nos dizem antes (ou, em alguns casos, depois dos 6 meses) que estão prontos, ou seja, já manifestam interesse pela comida, já procuram
colocar na sua boca quando os pais comem, já estão interessados neste novo mundo…
Os 6 meses são um momento privilegiado a vários níveis:
–  O bebé já apresenta uma maturidade gastro-intestinal que o ajudará a digerir e absorver melhor os alimentos;
– Apresenta uma coordenação neuro-muscular ideal para pegar e levar o alimento à boca, bem como perceber até onde deve colocá-lo na boa, não sendo usando apenas a sucção;
– Auto-regulação é também importante nesta fase, pois o leite materno ainda será o alimento principal até ao primeiro ano de vida e os alimentos da alimentação da criança não precisam de ser em grandes quantidades, pois a criança tem a capacidade de gerir as suas necessidades;
– As suas habilidades psicossociais estão mais apuradas, tornando o momento da refeição uma actividade em família na qual a criança tem:
– A cognição está mais desenvolvida e todos os dias novas aprendizagens surgem e fazem com que o momento de alimentação seja não só de nutrição mas também de aprendizado de novos sabores, texturas, cores…
– Por conseguinte, a criança já conseguirá proceder a uma integração sensorial também dos alimentos, criando uma relação positiva com os mesmos no momento da refeição.
2. Se começarem a comer mais cedo há problema?
Não é recomendado pela OMS, pois o bebé ainda não estará preparado a todos os níveis referidos anteriormente. Os benefícios do aleitamento materno até aos 6 meses são superiores à iniciação de sólidos antes desta idade, por isso se conseguirem manter 6 meses, melhor para o vosso bebé e para vocês!
3. Porque há tantas teorias em relação à introdução de sólidos?
Cada profissional de saúde tem a sua corrente e cabe aos pais decidirem como qual se identificam mais. A introdução de sólidos está pensada em duas variantes: a tradicional (com sopas e papas, em que a textura pouco varia e o bebé não tem parte activa neste processo) e o método Baby Led Weaning (o termo é recente, mas o método é o que a nossa espécie usou desde sempre. O bebé tem um papel activo e os alimentos são apresentados na sua forma natural, devidamente preparados de acordo com a idade da criança). A vertente tradicional em que a sopa e papas são uma opção com regras de introdução dos alimentos, está pensada para crianças que começaram antes dos 6 meses a comer (logo, ainda sem as capacidades acima descritas). Por isso, existem essas regras, que estão estudas de acordo com vários protocolos. No entanto, estas regras, segundo estudos recentes, não são obrigadas a serem seguidas de forma rígida em crianças cuja alimentação começou a partir dos 6 meses, o que é necessário é o bom senso e cuidado na apresentação dos alimentos.
4. Primeiro a sopa ou a papa?
Depende da idade do bebé, da sua evolução de peso… de muitos factores que o profissional de saúde que vos segue deve orientar. As papas apresentam um valor energético maior que as sopas, e a sua grande maioria grandes quantidades de açúcar (alimento expressamente proibido até aos 2 anos de idade, 1 ano pelo menos!). Independentemente do método que usarem recomendo que optem por alimentos e receitas saudáveis, pois estes alimentos vão ajudar o bebé a formar novas células e fazer com que estas funcionem harmoniosamente. Portanto a escolha dos alimentos certos para nutrir o corpo é fundamental!
5. Que quantidades de alimento? 
Como já referi, a partir dos 6 meses, o bebé tem a capacidade de auto-regulação, que o vai ajudar a perceber se quer mais alimento ou não. Se o bebé ficar com fome, pede mais mama… Se quiser comer mais um pouco da cenoura, ele pede… Tenham confiança no vosso bebé, ele é sábio. Além disso, o estômago de uma criança é pequeno, por isso as quantidades não serão iguais à nossas.
6. Quantas refeições é suposto dar? Nos primeiros tempos de introdução alimentar, a simbiose que o bebé tinha com a mãe durante a amamentação vai ser (progressivamente) transferida para os alimentos, daí ser importante que esta fase seja tranquila e respeite o tempo da criança. Até ao primeiro ano de vida o bebé fará cerca de 4 refeições, sendo que duas delas serão o almoço e o jantar (conforme a rotina familiar e do bebé). Mais uma vez relembro, alguns bebés farão esta transição mais rápido que outros. Testem e vejam se o bebé apresentar sinais de fome pela hora do jantar experimentem dar uma refeição (se não quiser a refeição completa não se preocupem que depois complementará com a maminha!).
7. Quanto tempo demora a introdução alimentar?
A transição do aleitamento materno para os alimentos deve ser gradual e respeitar o ritmo da criança. Portanto, impor dias ou semanas para mudar um alimento para o outro vai variar, claro, conforme o nosso bebé. A introdução alimentar pode ser feita até aos 2 anos de idade, contudo em geral pelo 1º ano de vida a criança já experimentou uma variedade de alimentos e já estará mais autónoma neste processo.
Podemos então afirmar que a introdução alimentar está concluída quando:

A criança solicita comida quando tem fome e sabe
reconhecer quando está saciada;

É mais autónoma na ingestão alimentos (ainda com
supervisão);

O seu paladar está formado e apresenta um repertório
alimentar (tem as suas preferências e gostos).
Não precisamos de seguir tudo à risca, precisamos sim de uma boa orientação e perceber que existem várias correntes com as quais nos identificamos mais ou menos. Tudo é permitido desde que:
1. Seja saudável
2. Esteja de acordo com a preferência e à vontade da família
3. E acima de tudo que a criança seja “ouvida”
Procurem um profissional de saúde que respeite as vossas opções e vos oriente de acordo com as mesmas e os critérios referidos anteriormente.
Vejam mais dicas sobre introdução dos alimentos aqui:
Podem também acompanhar os episódios d’ Uma enfermeira em casa dos Vs, com mais dicas, truques e receitas para um bebé que esteja a iniciar a sua alimentação complementar: Uma enfermeira em casa dos Vs.
Enfª Carmen Ferreira
 
Enfermeira Carmen Ferreira + Colaborações + As viagens dos Vs + gravidez + maternidade + bebés
 
Esperamos que estas dicas sejam úteis para vocês
e
que aproveitem o melhor desta fase!
Também me podem encontrar por aqui:

Comentários

comentários