É muito frequente, nas sessões, os pais questionarem qual a idade certa para mudarem o seu pequenote para o seu quarto. E qual será a melhor altura: Quando nasce? Passado uns meses? Passado um ano?! 
Bom, na verdade, não existe uma idade absoluta ou um consenso entre os profissionais da área relativamente a estão questão, existindo sim, algumas orientações que nos podem guiar/orientar com mais segurança neste momento, por vezes, tão angustiante… para nós, os pais. Não é verdade? Se pensarmos que cada bebé tem o seu próprio ritmo de desenvolvimento, pode acontecer que para uns, a transição para o quarto próprio não faça diferença; já outros, podem ressentir-se com essa mesma transição. Sendo assim, depende sobretudo do vosso bebé. Contudo, como não sabemos à partida como vai ser a reação do nosso bebé e se ele vai ser daqueles a quem “tanto faz” ou, se pelo contrário, para quem esta transição vai mesmo custar, o melhor que têm a fazer – por precaução – é seguir alguns conselhos que os estudos da área sugerem, sendo eles:
 – Tendo por base o padrão geral, as guidelines apontam que esta mudança,
favorecedora de autonomia e de independência, deverá acontecer (sensivelmente) por volta do oitavo mês de idade. Porquê? 
Porque é por esta altura que: diminui significativamente o risco do síndrome de morte súbdita do lactente; e é a partir desta fase de desenvolvimento que, em termos cognitivos, o bebé adquire a noção do objeto permanente. Isto é, em que ele ou ela se apercebe da ausência/presença dos pais no mesmo espaço físico, experienciando maior ou menor angústia.
– Por outro lado, esta transição não deverá exceder os dois anos de idade, pois a partir desta faixa etária, a criança poderá desenvolver ansiedade ao ter que dormir sozinha fazendo uso de comportamentos mais opositivos para permanecer mais tempo no quarto dos pais.
Todavia, como em qualquer etapa da vida dos nossos bebócas, a decisão primeiramente deverá acontecer no “coração” dos pais para que depois – com firmeza e consistência – a consigam implementar com sucesso na vida dos seus mais que tudo. A ser bem, deveria ser um caminho sem retrocessos.
Deste feito, para que esta transição possa ainda ocorrer de forma harmoniosa existem alguns cuidados que podemos ter, ora espreitem:
1. O quarto deverá ser um local calmo e com cores neutras;
2. Deve fazer-se um esforço por cumprir rotinas de sono e higiene;
3. Durante o dia deve começar-se por deitar o bebé na sesta no quarto para que progressivamente se familiarize com este espaço físico;
4. Deve deixar-se o bebé dormir com o seu objeto de transição (fralda, chucha…);
5. Sempre que possível deve-se acalmar o bebé quando acorda no próprio quarto até voltar a adormecer evitando trazê-lo novamente para a cama dos pais.
6. Com crianças mais velhas, podem ler-se histórias no quarto ao anoitecer e brincar no quarto sempre que possível para que a criança o sinta como um espaço seu, positivo e seguro.

Não se esqueçam, o mais importante é os pais sentirem-se seguros e tranquilos para que a criança encare essa mudança como algo de natural e feliz para todos.

Até ao próximo artigo.

 

Comentários

comentários