Programar as primeiras férias dos nossos filhos e com os nossos filhos, é sempre algo que nos pode deixar um pouco ansiosas, especialmente se for um bebé ainda muito pequeno. Com o Vicente fui aprendendo a descomplicar ano após ano e, sobretudo, fui conseguindo encontrar a melhor forma de todos nós sentirmos que estamos de férias. Pois, para mim, o primeiro passo para umas férias – em família – felizes está no seu próprio planeamento. Por isso, enumerei alguns dos aspectos que eu considero essenciais a ter em conta no planeamento das vossas férias:
1. Para onde vão? O destino! 
As rotinas serão diferentes, consoante o vosso destino, por exemplo, a vossa dinâmica será diferente se estiverem numa praia mais a norte do país ou, pelo contrário, se estiverem em pleno Alentejo ou Algarve. Pois, se a Sul por volta das 10h30 já estarão muito provavelmente a pensar em arrumar as coisas para sair da praia (por causa do calor), pelo contrário, se estiverem por exemplo, em Peniche ou em Moledo, a essa mesma hora talvez ainda esteja frio para ir para a praia.
2. O tipo de alojamento. 
Se optarem por uma casa/apartamento, em que têm que ser vocês a preparar todas as refeições, a minha sugestão é programar! Sim, com tempo, comecem a fazer refeições em maior quantidade para conseguirem congelar o que sobrar. Assim, quando estiverem de férias, a vossa única preocupação será a de não se esquecerem de ir tirar do congelador. Ou, então, optem por coisas simples que não vos prendem muitas horas na cozinha, tanto na preparação como na arrumação – explorem várias combinações de saladas, por exemplo. E também não se preocupem muito com a arrumação a limpeza da vossa casa. Lembrem-se que as férias são para todos. Se, pelo contrário, estiverem em regime de hotel ou apartamento com regime de refeição e de serviço de quartos incluído, tirem partido ao máximo do facto de não terem que se preocupar com refeições durante esses dias. E só uma chamada de atenção: se os vossos filhos já tiverem iniciado a diversificação alimentar, contactem o hotel previamente e informem-se se existem refeições adaptadas para eles, pois é bem possível que existem, especialmente se for um destino que receba muitas famílias e muitas crianças.
3. Localização. 
Para mim, este é um dos aspectos a ter mais em conta e com o qual nos devemos preocupar. Como sabemos, se vamos para um destino de praia com bebés, temos uma série de restrições e de cuidados que não nos devemos esquecer: temos que respeitar as horas de menos calor, pensar no conforto do bebé nas deslocações para a praia, no nosso conforto, pois vamos carregar o bebé e toda a “parafernália” de coisas que levamos connosco, etc…
O ideal é conseguirem esquecer o carro durante aqueles dias e, assim, evitarem as preocupações com o estacionamento, com o tempo que vão perder entre os percursos e correr o risco do vosso filho adormecer no carro, não esquecendo que o carro é um forno e pode ser muito cansativo para o bebé toda esta logística do “entra e sai”. Tentem encontrar um alojamento que seja verdadeiramente “walking distance” da praia – digo verdadeiramente, pois, muitas vezes, aquilo que lemos nos anúncios não corresponde à verdade e falo por experiência própria. O tipo de praia também é importante, praias mais pequenas e de maior afluência, se calhar não são bem o mais indicado. Dificilmente vão conseguir estar à vontade, estender a vossa toalha (sem tocar na do vizinho), ter espaço para a piscina que vão querer levar para refrescarem o vosso bebé, para ter uma tolha na sombra só para ele… pois, com sorte, talvez até consigam que durma uma sesta.
4. A altura do ano: As chamadas “épocas altas e épocas baixas”, que tem influência não só na afluência de pessoas, como também no preço. Os meses de Julho e Setembro acabam por ser os mais apetecíveis para quem passa férias com filhos, pois são mais calmos e também mais em conta.
5. Antecipação: Se forem daqueles casos em que conseguem programar com antecedência as vossas férias grandes, o meu conselho é que, no início do ano, procurem nos sites da especialidade as várias promoções e ofertas que são lançadas para o verão, por várias cadeias de hotéis, e que podem permitir-vos ter umas férias num sítio melhor, com outro tipo de comodidade por um preço muito acessível. Este ano, pela primeira vez, foi isso que fizemos. Desde Fevereiro que temos as férias de verão marcadas e pagas, num destino que para mim, é o ideal para esta nossa fase de vida e para filhos com as idades dos nossos – falarei sobre isso e sobre rotinas nas férias num outro post.
como planear férias em família + como ter umas férias com filhos mais tranquilos + passos para planear férias em família + o que ter em conta quando se está a organizar umas férias + como sobreviver às primeiras férias com filhos
Lembrem-se, acima de tudo, o objectivo das férias é precisamente terem férias, descansarem, terem rotinas que vos permitam desfrutar da companhia uns dos outros, evitando que sejam uma continuação do stress do dia-a-dia. E, para isso, se não podemos controlar o facto de os nossos filhos serem uma caixinha de surpresas; das birras; de termos de cuidar deles; deles nos absorverem o tempo todo e toda a nossa paciência; e de, mesmo de férias, haverem rotinas e horários que temos que manter; pelo menos que consigamos controlar as outras variáveis das férias que podem servir para equilibrar e fazer a diferença para melhor durante aqueles dias. Afinal, passamos um ano inteiro a sonhar com as férias de verão, não é?
E, mesmo estando já em cima da altura de férias, espero que estas dicas vos sejam úteis, senão agora, talvez numas próximas férias! 🙂

 

Comentários

comentários