Após o parto, a mulher irá ter uma perda de sangue, chamada de lóquios, os quais NÃO são considerados menstruação, mas sim, os restos do parto. Na maioria das mulheres que não estão a amamentar, a sua menstruação retoma ao fim de aproximadamente dez semanas. Contudo, nas mulheres que amamentam, a menstruação pode atrasar até cerca de 20 semanas ou mais. Porém, não se deve espantar se estiver a amamentar e a menstruação surgir mais cedo, pois existem diferenças entre cada mulher e os seus níveis hormonais, que são influenciados também pela amamentação.

Quando a menstruação retomar, não estranhem se for irregular e um pouco diferente do que era habitualmente. Algumas mulheres caracterizam a sua menstruação, a seguir ao parto, com mais fluxo, porém, posteriormente, tudo volta à sua normalidade. É importante perceber que nem sempre quando a mulher menstrua a ovulação acontece. Isto é, pode ter a sua menstruação SEM ovular ou pode ovular E menstruar algum tempo depois. É, por isso, importante saber os sinais da ovulação, pois, muitas vezes, nesta altura, aparecem surpresas que se chamam Manuel ou Francisca, não é verdade?! Na consulta de revisão pós-parto, pela 4ª-6ª semana de pós-parto, este é um bom tema para ser abordado e pensar também que tipo de contracepção irão fazer, de acordo com a preferência do casal!

Vamos agora a algumas questões importante:

1. Quando se dá a ovulação no pós-parto?

Quando o bebé faz sucção durante a mamada envia sinais a uma glândula no cérebro que liberta a hormona responsável pela produção de leite. Se a mulher amamentar frequentemente, de forma a produzir grandes concentrações dessa mesma hormona, a ovulação pode ser suprimida. É, claro, que isto também varia de mulher para mulher, sendo ,por isso, difícil prever uma data certa para a primeira ovulação após o parto. A melhor forma de saber se está a ovular é observar o muco cervical (corrimento vaginal normal que a mulher tem no período de ovulação), o qual vai mudando ao longo do ciclo hormonal da mulher e passa por diferentes fases:

Evolução do muco cervical:

Seco = período menos fértil (- -)

Pegajoso = período ainda pouco fértil (-)

Molhado = um pouco mais fértil (+ -)

Clara de ovo = super fértil (++)

2. Amamentação como contracepção: 
Amamentar pode ser um contraceptivo na medida em que inibe a ovulação, como já foi referido. Ainda assim, não é um método 100% eficaz, pois devem cumpridos alguns requisitos, tais como:
– O bebé deve ser amamentado em exclusivo;
– O bebé deve ter menos que 6 meses de idade;
– A mãe deve evitar estar mais do que 4/6 horas longe do bebé, sem amamentar;
– É de evitar usar chuchas que confundam o bebé e atrasem a ida à mama;
– A mãe deve fazer mamadas nocturnas, também de forma frequente.
3. Outros sinais de que a ovulação está a voltar:
– Maior desejo sexual (sim, ele volta meninas! Não se preocupem);
– E, mais uma vez, o aumento do muco cervical, conforme descrito;
– Pode sentir uma ligeira picada no baixo ventre;
– Diminuição da temperatura corporal;
– Tensão mamária;
– Retenção de líquidos;
– Há quem diga que ficamos com T(reinadas) P(ara) M(atar), que se pode manifestar por uma sensibilidade emocional aumentada, que nos aguça o humor, se é que me entendem 😉
Espero que esta informação tenha sido útil para as senhoras no pós-parto, partilhem com as recém-mães, pois ainda existem muitas dúvidas e receios quando a primeira menstruação chega (cedo de mais).
Enfª Carmen Ferreira

Comentários

comentários