O Vicente foi pela primeira vez ao dentista e, sinceramente, não sei qual dois dois saiu de lá mais apavorado, se ele ou eu! Era a primeira vez que ela via aquela cadeira estranha; que sentia aquela luz intensa por cima da sua cara e toda a parafernália de instrumentos esquisitos e, alguns deles, a fazer uma ruído agudo que nos entra nos ouvidos, e, como se não bastasse, ainda nos colocam dentro da boca.
Grande parte de nós não nutre uma grande simpatia por este especialista, nem tem particular gosto em ter que o visitar – eu incluída! Ora, achava eu que numa primeira consulta com crianças muito pequenas, seria feita uma espécie de “visita guiada” por aquele espaço, com alguma pedagogia mas sobretudo de forma a cativar e a ganhar a confiança da criança e para mostrar que não está ali nenhum bicho papão! Ora que, na primeira consulta, se fez o normal para uma consulta de medicina dentária, a começar pela limpeza dos dentes. Sentei-me com ele no meu colo, ele que já não estava muito bem disposto por ter acordado a meio da sua sesta, e a dentista começou a querer meter escovas e tubo de aspiração na sua boca e começou o pânico! De lágrimas nos olhos, ele trepava por mim a cima. Sem saber muito bem como contornar aquela situação, tentei começar a brincar e imitar o que era para fazer, abria a boca, sentia a escova, etc… mas já não valia a pena, o Vicente já não iria colaborar mais. A dentista era simpática, já a assistente não se calava por um segundo, mas pior que isso era estar constantemente a fazer comentários sobre como ele se devia portar, ao mesmo tempo, que insistia em colocar-lhe o tubo de aspirar na boca: dizia que tinha que se portar bem; que não podia acordar a irmã (a santinha que estava connosco e que dormia no carrinho ali ao lado); tinha que deixar a doutora limpar os dentes, tinha isto e que tinha mais aquilo… Não sei quanto tempo lá estivemos, mas foi uma confusão à sua volta, com quarto mãos a tentar limpar-lhe os dentes até que, de repente, virou-se para de frente para mim, enfiou a cara no meu peito e ninguém mais lhe viu os dentes.
Tivémos ainda o azar dele estar meio a dormir e de ter levado a chucha – nada que eu não me lembrasse que seria tema de conversa. E estava certa, expliquei que com a irmã, são muitas novidades e que vamos fazer tudo com mais calma, mas de nada serviu. Disseram-lhe que tinha dar a chucha à irmã; que tinha que a dar aos peixinhos; que, no Verão, prometia deixar deixar a chucha, enfim…. Voltei a tentar explicar que tinha a noção disso, porém, que a situação obrigava a que eu tivesse calma e que não fosse radical, que ele tanto estava ali hoje com chucha, como havia dias em que não se lembrava mais dela… Mas de nada servia!
Não foi de todo a experiência que estava a espera e muito menos o Vicente, claro! No fim, perguntei o que podíamos melhorar na sua higiene oral, afinal, estávamos ali também para falar disso e para, que o Vicente também aprendesse alguma coisa e ouvisse como é importante cuidar dos dentes – em vez de todos os comentários que ouviu e que pouco ou nada contribuíram para se ele descontraísse. Contudo, para além, de nos ter dito para esfregar os dentes com um pouco mais de força e para usar uma boa pasta de dentes (pois ajudar a evitar que a comida se agarre aos dentes), só vim de lá com a indicação para passar a usar uma espécie de fio dental todos os dias.
Quando nos vimos fora do consultório, respiramos os dois de alívio e prometi-lhe que da próxima vez, iria ser mais divertido – espero conseguir cumprir a minha promessa –  e, como ainda era cedo, fomos comprar o tal fio dental e espairecer, depois daquele início de tarde meio caótico!
Deixo-vos a dica: fio dental comprado na loja Tiger, super barato e recomendado pela dentista:
ir ao dentista com as crianças + fio dental para crianças + loja tiger + higiene oral infantil + lavar os dentes

 

ir ao dentista com as crianças + fio dental para crianças + loja tiger + higiene oral infantil + lavar os dentes
Pelo menos ele achou piada ao pequeno instrumento e não se queixou de ter que o usar e também acho que, para não ter que voltar ao dentista, ele vai deixar-nos lavar-lhe os dentes mais a sério!
Por aí, já alguém passou por esta experiência com os vossos filhos? Como correu?
Bom Dia.

Comentários

comentários