Um parto por cesariana pode ser um pouco stressante para o corpo e mente da mulher, pois, muitas vezes, é seguido de um longo trabalho de parto ou até mesmo uma situação de emergência. Esta opção de parto é mesmo o último recurso possível, pois é sempre considerada uma cirurgia. Após um parto por cesariana existem diferenças relativamente ao parto vaginal, que a mulher deve saber para poder antecipar algumas das suas necessidades:

1. Alimentação após a cesariana:
Esta parte é a que preocupa mais as recém-mamãs que passaram por um jejum e precisam de alimento para amamentar o seu bebé! A alimentação da cesariana faz-se algumas horas após a mesma (os protocolos de início de alimentos e água variam um pouco consoante as Maternidades) e será sempre algo muito ligeiro e mais à base de alimentos líquidos (não esperem para já um brunch completo meninas!). Se tolerarem bem esta primeira ingesta de alimentos, a dieta irá adaptar-se (mas sempre alimentos mais ligeiros). Quando puder iniciar a toma de água e alimentos a equipa de enfermagem irá avisá-la!
DICA: Ingira pequenas quantidades e faça-o de forma pausada e devagar, pois muitos dos fármacos que fez intra-operatórios podem originar náuseas e/ou vómitos.
2. Controlo da dor após a cesariana:
Será sempre administrada medicação para a dor, numa fase inicial via endovenosa e, posteriormente, via oral. Dói mais que o parto vaginal? É uma recuperação totalmente diferente, pois implica mais tecidos para regenerar. Contudo, é variável de mulher para mulher!
 
3. Levantar após a cesariana:
A primeira vez que se levante será sempre com apoio da equipa de enfermagem, pois o mesmo deverá ser apoiado e
supervisionado. Após uma cesariana a mulher perde algum sangue e a sua mobilidade com a sutura sofre alterações. Portanto, é necessário que se levante com apoio.
DICA: Quando se levantar primeiro eleve a cabeçeira da cama e vire-se de lado. Progressivamente com apoio dos braços e pernas levante-se e aguarde alguns segundos antes de se colocar de pé totalmente. Pois, levantar muito rápido pode criar uma sensação de lipotímia (desmaio) e aumento de dor na zona da sutura.
SUPER DICA: Faça sempre força com os seus braços e pernas para recrutar o mínimo possível a zona abdominal, de forma a não sentir desconforto.
3. Urina e movimentos intestinais após uma cesariana:
Antes de iniciar a cesariana, a mulher é algaliada (colocam um tubo – a algalia- na bexiga para sair a urina), portanto só depois de se levantar é que vão retirar a mesma. Após ser retirada a mulher pode não sentir vontade de urinar durante algum tempo. E, por outro lado, a primeira vez que urina após a desalgaliação é diferente (pode sentir um ligeiro ardor e dificuldade em começar ou parar de urinar). Tudo isto é temporário e caso não seja, deve contactar o seu médico para avaliar.A parte intestinal só irá funcionar um a dois dias mais tarde, dado que estiveram em jejum algum tempo e também devido à pouca ingesta nos dias seguintes (e o efeito de algumas medicações também pode atrasar o funcionamento do nosso intestino). Ah! E não minhas queridas, não rebentam as sutura no momento de evacuar (eu sei que estavam a pensar nisto 😉 )

4. Perdas de sangue (lóquios):
TODAS as mulheres perdem sangue via vaginal após o parto. A quantidade é ligeiramente variável, porém uma mulher submetida a cesariana pode não ter tanta percepção da saída dos lóquios enquanto estiver deitada, numa fase inicial. Porém, em termos de fluxo é semelhante a um parto vaginal e o aumento do seu fluxo nada tem a ver com o tipo de parto.
DICA: Após o bebé mamar, o fluxo de saída de sangue aumenta ligeiramente, pois a mesma hormona que faz o leite materno sair, faz também o útero contrair e assim aumentar a saída dos lóquios.
5. Produção de leite materno após a cesariana:
É um grande mito pensar que mulheres submetidas a cesariana não produzem leite. A produção nada tem a ver com o tipo de parto. Contudo, após a cesariana a mulher pode ter maior desconforto e se não adaptar o bebé à mama (estímulo principal para produzir leite) não consegue ter uma produção de leite de forma tão eficaz quanto uma mulher que amamenta frequentemente. Mas a sua capacidade de produção não se altera pelo tipo de parto.
DICA: Colocar o bebé à mama assim o mais rápido possível e assim que nasça realizar contacto pele a pele, para favorecer o processo de amamentação. Mesmo em contexto de bloco operatório é possível fazê-lo!
6. Sutura após a cesariana:
Numa fase inicial a sutura estará tapada com um penso compressivo e posteriormente será mudada para um penso impermeável.
DICA: não deve molhar o penso compressivo no banho, caso o faça
a equipa de enfermagem para refazer e assim evitar infecções da mesma. Com o penso impermeável já poderá tomar banho com dignidade e molhar à vontade!;)Deve validar com a equipa de saúde ou médico assistente quando irá retirar pontos/agrafos (em certas suturas não existe necessidade de retirar os pontos).
SUPER DICA: Após a sutura cicatrizar e os pontos caírem, deve realizar uma massagem vigorosa frequentemente na sua cicatriz, para que esta fique com mais sensibilidade e menos marca visível. (também é válido para quem tem um parto vaginal meninas!!!!).
Partilhem com as recém-mamãs e grávidas para que possam ajudá-las nesta nova fase!
Enfermeira Carmen Ferreira

Comentários

comentários